Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Município de Codó informa sobre trabalho realizado no combate ao mosquito Aedes aegypti

IMG_20160205_065607Na manhã desta quinta-feira (4) Coordenação de Vigilância em Saúde do Município de Codó reuniu a imprensa para informar a população sobre todas as atividades relativas ao combate do mosquito Aedes aegypti no mês de janeiro e o planejamento estratégico para o mês de fevereiro. Na ocasião estavam presentes o Secretário Municipal de Saúde Ricardo Torres, a Coordenadora de Vigilância em Saúde, Karen Cruz, o Coordenador da Dengue, Antônio Egídio, o gestor regional de saúde, Ribamar Oliveira, e Alana Priscila, Coordenadora do Setor de Educação e Saúde da Regional de Codó.
Diante da grave situação de Saúde Pública que representa o aumento de casos de microcefalia associado à ocorrência de epidemia Zika Vírus, o Ministério da Saúde comunicou aos municípios a seguinte providência: Suspender o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) do mês de janeiro/2016 para a realização de ciclo de 30 dias nos meses de janeiro e fevereiro, com inspeção de 100% de imóveis programados.
Ações de Combate
Com base nessa diretriz, a Coordenadora de Vigilância em Saúde, Karen Cruz, informou que o Município de Codó (MA) realizou ações de pesquisa larvária, tratamento dos depósitos servíveis, identificação de focos com larvas positivas do Aedes aegypti e tratamento focal, juntamente com atividades de educação em saúde em todos os bairros, visando sensibilizar a população no que diz respeito às medidas preventivas.
Inspeção além do estabelecido pelo Mistério da Saúde
Durante o primeiro mês do ano, os agentes de endemias conseguiram inspecionar um número de domicílios muito além do estabelecido pelo Ministério da Saúde. Para colocar em números o trabalho realizado, a secretaria informou que o município de Codó possui 38.899 imóveis cadastrados para serem trabalhados no Programa da Dengue, no qual ficou preconizado pelo Ministério da Saúde apenas 50% desses imóveis na zona urbana, que corresponde a 20. 347 imóveis. Com a intensificação do trabalho, os agentes de endemias e a equipe de supervisão da vigilância em Saúde conseguiu inspecionar 33.842 imóveis no mês de Janeiro, o que equivale a 169,21%. Além disso, realizaram o tratamento com larvícida de 2.785 depósitos com água em que foram encontrados o foco do mosquito.
Codó classificado como município de baixo risco
De acordo com o Secretário Municipal de Saúde, Ricardo Torres, dos 33.842 imóveis inspecionados no mês de Janeiro, foram encontrados apenas 88 imóveis com focos do mosquito, o que corresponde a 0,2% de Infestação Predial, que é classificado como baixo risco para o Ministério da Saúde. “É importante informar a população que esses números baixos refletem o trabalho diligente dos agentes de endemias, que por suas vez são fiscalizados por supervisores de campo da vigilância em saúde. Com motos e automóvel esses supervisores.

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.
Categoria: Local
Tag:

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*