Criança de 10 anos intoxicada em ritual de magia negra no Maranhão morre no HUT

Local frequentado pela família de menina que tomou coquetel (Foto: Reprodução/TV Clube)
Local frequentado pela família de menina que tomou coquetel (Foto: Reprodução/TV Clube)

Na manhã desta quinta-feira (28/04), o Hospital de Urgência de Teresina confirmou a morte da menina Francisca Alice, de 10 anos, que estava internada após uma suposta intoxicação depois de ter passado por um ritual de magia negra.
A garota estava em coma desde o dia 14 deste mês após passar por uma cerimônia em um terreiro no interior de Timon. Ela teve falência dos órgãos e sofreu uma parada cardíaca.
ENTENDA O CASO
No dia 14 de abril deste ano, uma criança chamada Francisca Alice, de apenas 10 anos foi internada  com um quadro de intoxicação e marcas de tortura. A menina foi levada pelo pai ao HUT na última quinta-feira. O diretor do HUT, Gilberto Albuquerque, declarou que a criança chegou ao hospital já com a cabeça raspada e com diversas cicatrizes em formato de cruz espalhadas pelo corpo. Segundo os familiares, a suspeita é de que ela tenha sido obrigada a ingerir um líquido tóxico durante um suposto ritual de magia negra.
Os familiares da criança informaram que a mãe, supostamente, teria desaparecido e participaria de rituais de magia negra no Estado do Maranhão. Os parentes deixaram um frasco com o liquido ingerido para análise no HUT. Antes de supostamente desaparecer, a mãe teria informado que a criança passou mal de repente.
Suposto líquido ingerido pela criança internada (Foto: G1)
Suposto líquido ingerido pela criança internada
(Foto: G1)

A paciente foi transferida do Hospital Municipal do Satélite para o Hospital de Urgência de Teresina praticamente sem sinais vitais. Foram coletados resíduos no estômago da criança e do frasco que os parentes trouxeram para que a polícia pudesse analisar a possibilidade de algum tipo de veneno, droga, ou qualquer coisa que possa ter levado a criança ao quadro de saúde grave.
De acordo com a Conselheira Tutelar Socorro Arraes, a criança foi obrigada a ingerir uma substância tóxica durante um suposto ritual de magia negra no estado do Maranhão. “Nos foi repassado que os pais frequentavam o centro no Maranhão. Nós notificamos o Ministério Público e já fizemos todos os encaminhamentos”, afirmou.
Pais pagariam R$ 3 mil por tratamento
A mãe da menina revelou que pagaria R$ 3 mil para tratar a asma da filha por meio de um ritual de magia negra. Segundo a conselheira tutelar Socorro Arrais, a informação foi durante depoimento na quarta-feira (20) na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente.
“Ela afirmou ser frequentadora do ritual há quatro anos e levava a filha porque queria curá-la de uma asma. A mãe diz que a responsável pelo ritual cobrou R$ 3 mil pelo tratamento, mas que só R$ 500 teriam sido pagos até o momento. Ainda sob orientação dessa mulher, ainda não identificada, a mãe comprou o líquido ingerido pela criança e que provocou a intoxicação”, contou a conselheira revelando ainda que o ritual foi realizado no Maranhão.
Por se tratar de uma tentativa de homicídio, a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) encaminhou o caso para o do 11º Distrito Policial. No entanto, o caso voltou à DPCA, que só vai se pronunciar sobre a investgação após o recebimento do laudo que va indicar as substâncas contidas no líquido ingerido pela criança.