Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Malafaia cita legislações e convenções internacionais para denunciar: “Ideologia de gênero é crime”

A frase de Simone de Beauvoir citada na prova do ENEM de 2015 gerou muita polêmica e o pastor Silas Malafaia resolveu gravar um vídeo para mostrar as incoerências do discurso do movimento LGBT.

O pastor começa dizendo que nos últimos anos participou de inúmeros debates onde os ativistas afirmavam que os homossexuais já nascem assim e agora, para implantar a ideologia de gênero, aparecem com a frase da escritora francesa para dizer que ninguém nasce masculino ou feminino.

Malafaia lembra que a ciência não tem relação com ideologias. “A criança quando nasce, isso aqui é ciência, tem uma pré-disposição de herdar características psicológicas do sexo que veio”.

A opinião do religioso é que não há como comprovar cientificamente as afirmações do ativismo gay, pois só existe macho e fêmea e as demais coisas são “vícios contra a natureza”.

“A sexualidade nas diferentes espécies cumpre três funções principais: dualismo, complementariedade e fecundação. Que conversa é essa que ninguém nasce masculino e feminino?”, questiona.

Malafaia aproveita para mostrar a importância de votar em pessoas e partidos que não tenham posicionamentos contrários à família.

“Essa gente tem que ser varrida da política pelo viés democrático do voto”, afirma o pastor assembleiano que constantemente é alvo de investigações por parte do Governo.

Segundo ele, sua postura sempre foi “contra o ativismo gay, porque é ideológico”, e não contra os homossexuais. Uma prova da ideologia por trás do ativismo, segundo o pastor, está no fato de que estão “abolindo o dia dos pais e das mães” nas escolas, sob o argumento de que crianças adotadas por homossexuais não teriam um dos dois.

“Toda uma sociedade sendo subjugada por uma minoria”, esbravejou o pastor. “O governo que saiu [Dilma Rousseff] tentou aprovar [a ideologia de gênero na educação] no Senado em 2012, na Câmara em 2014, e foi retirado, rejeitado pelo Senado e Câmara”, relembrou.

Destacando que não estava construindo seus argumentos sob o ponto de vista religioso, mas a partir das leis que vigoram no país, Malafaia elencou as principais leis e convenções que estabelecem diretrizes sobre o assunto.

“O artigo 226, no caput da Constituição Brasileira. ‘A família é a base da sociedade, tem proteção especial do Estado’. Agora veja o artigo 229: ‘os pais, não a escola ou o Estado, têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores’. É dos pais, não é da escola. Ideologia de gênero uma vírgula […] Olha o artigo 221 o que diz: ‘A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios: respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família’. A TV não é para mostrar estupro, cena de ato sexual de gays, nem de hetero. Eu não estou inventando nada”, frisou.

Sobre a Convenção Americana de Direitos Humanos, que o Brasil é signatário, Malafaia destacou o tópico que fala sobre Liberdade de Consciência e Religião: “Item 4, do artigo 12: ‘Os pais têm o direito que seus filhos e pupilos recebam educação religiosa e moral, que estejam de acordo com suas próprias convicções’. Não é a escola que vai ensinar a sexualidade a nossos filhos, menores. Não tem parâmetro legal”, destacou.

Sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o pastor lembrou que as cartilhas distribuídas pelo Ministério da Educação durante o governo petista, com desenhos que simulavam sexo entre crianças do mesmo gênero, eram ilegais: “Artigo 79: ‘as revistas e publicações destinadas ao público infanto-juvenil deverão respeitar os valores éticos e sociais da pessoa e da família’. Não é os valores éticos do professor esquerdopata, comunista, não é o valor ético de petralha, não é o valor ético de ideólogo de esquerda, não”.

“Ensinar ideologia de gênero em escola municipal é crime”, frisou, acrescentando outro tópico do ECA: “’Artigo 249: ‘Norma punitiva aos pais que não cumpram seus deveres inerentes ao poder parental’. Olha que coisa de louco. Os pais são punidos se não exercerem a sua autoridade. Como é que a escola vai querer ensinar sexo? ‘A negligência da família no sustento material escolar dos filhos é punida pelo código penal nos artigos 244 e 246’. Se os pais são punidos […] Com aquela conversa de bullying – papo furado – querem erotizar crianças… Cartilhas eróticas. É proibido”, disse.

O pastor ainda exortou os cristãos a escolherem seus votos de forma criteriosa, para evitar que sejam eleitos políticos sem compromisso com os valores e as leis mencionadas. Assista:

Assista
 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.
Categoria: Gospel
Tag:

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*