Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Vacinação contra a gripe começou ontem em Codó, veja quem precisa tomar

A campanha nacional de vacinação contra o vírus influenza, que provoca a gripe, começa nesta segunda-feira (17) em todo o país. A vacina está disponível nos postos de saúde para as pessoas que fazem parte do público-alvo. A novidade é que o grupo passa a contar também com professores da rede pública e privada.

Além dos professores, devem ser vacinados também idosos com mais de 60 anos, crianças pequenas (entre 6 meses e menos de 5 anos), gestantes, mulheres que acabaram de dar à luz (até 45 dias após o parto) e trabalhadores da saúde

(veja abaixo detalhes). O Ministério da Saúde pretende vacinar 54,2 milhões, número que representa 90% do público-alvo. A campanha de vacinação contra a gripe vai até o dia 26 de maio.
No dia 13 de maio, que cai em um sábado, está prevista uma mobilização nacional, com ações de vacinação em diversas cidades. Nos dias 2 e 3 de maio, ocorrerão ações de vacinação de professores em escolas públicas e privadas de todo país. Cerca de 2,3 milhões deverão ser vacinados, segundo o ministério.

“Pela primeira vez, o Brasil está vacinando os professores contra a influenza. Estamos atendendo a uma solicitação constante desses profissionais de serem incluídos no grupo prioritário da vacinação. São profissionais que têm

contato com dezenas de alunos diariamente, ficando expostos à contaminação”, disse o ministro da Saúde, Ricardo Barros.
A vacinação contra a gripe tem como objetivo reduzir casos graves da doença que levam à hospitalização e aumentam o risco de morte.
Quem deve se vacinar:
  • Idosos a partir de 60 anos
  • Crianças de 6 meses a menores de 5 anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias)
  • Trabalhadores de saúde Povos indígenas
  • Gestantes Mulheres que acabaram de dar à luz (até 45 dias após o parto)
  • Pessoas privadas de liberdade (inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas)
  • Funcionários do sistema prisional
Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes e hipertensão, também podem se vacinar, desde que haja prescrição médica. Só não é necessário a prescrição médica para pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS (Sistema Único de Saúde), que deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a vacina.

A vacina é contraindicada para pessoas que tenham alergia a ovo de galinha e seus derivados e para quem já teve reação alérgica grave a doses anteriores. Proteção A vacina oferecida na rede pública protege contra os três

subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS (Organização Mundial da Saúde). Os subtipos são variações do vírus A (H1N1), A (H3N2) e gripe B. A vacina precisa ser tomada todos os anos, já que os subtipos do vírus variam de ano a ano.

A transmissão da gripe acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas por pessoas contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também pode ocorrer por meio das mãos e objetos contaminados

ao falar, tossir ou espirrar. Também pode ocorrer por meio das mãos e objetos contaminados.
A vacina é recomendada para todas as pessoas e qualquer um pode tomar em clínicas particulares. O valor da dose da vacina tetravalente, que inclui a proteção contra quatro subtipos do vírus, gira em torno de R$ 130,00.
Tira-dúvidas A pessoa pode pegar gripe mesmo tendo tomado a vacina? A vacina da gripe diminui a chance de contrair a doença em até 85%. Essa proteção pode aumentar se a pessoa tomar a vacina anualmente. Neste caso, ela chega a 90%. Como a proteção não é total, há uma pequena chance da pessoa imunizada adquirir a doença. Outra possibilidade de infecção é quando a exposição ao vírus ocorre imediatamente após se tomar a vacina. Ela se torna efetiva após cerca de 15 dias da aplicação. “A gripe é mais comum no inverno. Por isso a vacinação é feita antes do inverno chegar”, diz o infectologista Adílson Cavalcante.

Quem está tomando antibiótico pode tomar a vacina? “Pode e deve”, diz Cavalcante. “A contraindicação para tomar a vacina é estar febril no dia da aplicação”, completa. Assim, uma pessoa que esteja tomando antibiótico e tenha

febre, deve adiar a vacinação. Caso contrário, pode tomar sem preocupações. A outra contraindicação existente é se a pessoa for alérgica a ovos, já que a vacina possui componentes de ovo.
 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.
Categoria: Local
Tag:

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*