O levantamento, realizado com 4.179 pessoas, em 227 municípios, entre quarta-feira (11) e sexta-feira (13), mostra que, com a sua prisão, diminuiu o eleitorado do ex-presidente Lula, e aumentou a desconfiança sobre sua possível candidatura, mas ainda assim ele mantém a liderança com mais de 30% das intenções de voto. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob número BR08510/2018. A margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos.

De acordo com os números, o petista tem 31% da preferência dos eleitores, seis pontos a menos do que teve na última pesquisa do instituto, em janeiro deste ano, quando aparecia com até 37%.

Nos cenários em que Lula fica fora do páreo, Jair Bolsonaro e a ex-senadora Marina Silva (Rede) aparecem tecnicamente empatados na liderança. O deputado tem 17% e ela de 15% e 16%.

Nos cenários de segundo turno, Lula venceria qualquer um dos adversários com votação beirando os 50%, mas sem ele, qualquer outro candidato do PT perderia tanto para Bolsonaro quanto para Geraldo Alkcmin (PSDB).

O Cenário 1 apresentou o seguinte resultado:

  • Lula (PT) – 31%
  • Jair Bolsonaro (PSL) – 15%
  • Marina Silva (Rede) – 10%
  • Joaquin Barbosa (PSB) – 08%
  • Geraldo Alckimin (PSDB) – 06%
  • Ciro Gomes (PDT) – 05%
  • Álvaro Dias (Podemos) – 03%
  • Manuela D´Ávila (PCdoB) – 02%
  • Fernando Collor (PTC), Rodrigo Maia (DEM), Henrique Meirelos (MDB), Flávio Rocha (PRB) e João Amoêdo (Novo) – empatados em 1%.
  • Paulo Rabello de Castro (PSC), Guilherme Boulos (PSol), Guilherme Afif Domingo não pontuaram.

Se o presidente Michel Temer substituir Henrique Meireles, ele fica com a mesma pontuação (1%), mas Lula cai para 30% e os demais mantêm seus índices.

Se o ex-presidente Lula for trocado pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, a liderança passa a ser de Jair Bolsonaro. Veja os números:

  • Jair Bolsonaro (PSL) – 17%17
  • Marina Silva (Rede) – 15%
  • Ciro Gomes (PDT) – 09%9
  • Joaquim Barbosa (PSB) – 09%9
  • Geraldo Alckmin (PSDB) – 07%
  • Alvaro Dias (Podemos) – 05%5
  • Manuela D’Ávila (PC do B) – 02%2
  • Fernando Haddad (PT) – 022
  • Fernando Collor de Mello (PTC) – 02%2
  • Rodrigo Maia (DEM) – 01%1
  • Flávio Rocha (PRB) – 01%1
  • Henrique Meirelles (MDB) – 01%1
  • João Amoêdo (Novo) – 01%1
  • Paulo Rabello de Castro (PSC), Guilherme Boulos (PSol) e Guilherme Afif Domingos (PSD) não pontuam.

Com Michel Temer, sem Lula, o presidente sobe para 2%, Bolsonaro, Marina, Ciro, Joaquim Barbosa, Alckmin e Álvia Dias mantêm as mesmas pontuações.

Nos cenários de segundo, Lula venceria Bolsonaro por 48 a 31, Alckmin por 48% a 27% e Marina por 46% a 32%. Sem Lula, e sendo Haddad o seu substituto, o petista perderia tanto para Bolsonaro, por 37 a 26, quanto para Alckmin, por 37% a 21%. Jacques Wagner, outro possível substituto de Lula, também perderia para Bolsonaro, por 39% a 23%. e para Alckmin, por 41% a 17%.

(Com dados da Folha de São Paulo e do Datafolha