Como escolher um fundo de investimento: Guia Completo 2020

Com um novo ano começando, uma das primeiras dúvidas de quem está querendo começar a investir ou diversificar seus investimentos é saber como escolher um fundo de investimento promissor.

Olhar para o passado para fazer uma análise técnica costuma ser uma tática que dá certo, mas a empresa que rende hoje não necessariamente estará performando bem amanhã. O mesmo serve para os gestores de fundos.

Ainda assim, escolher um fundo de investimento é uma das melhores maneiras para começar a investir. Afinal, a empresa que gera o fundo já conta com analistas especializados em investimentos rentáveis.

Quer conhecer mais sobre o assunto e o que é preciso entender sobre como escolher um fundo de investimento em 2020? Então acompanhe os próximos tópicos deste artigo!

Fundo de investimento: o que é?

Depois de muito tempo você finalmente montou a sua reserva de emergência e agora está pronto para aumentar sua rentabilidade, certo? O problema é que, ao dar esse importante passo, as escolhas ficam mais complexas.

É para te ajudar a fazer essa escolha, que os fundos de investimento existem. Os fundos são uma carteira de ativos que podem ser de qualquer tipo. Eles são montados por empresas especializadas, e oferecidos aos seus clientes de acordo com seus perfis e as diferentes estratégias de investimento disponíveis.

Para simplificar, pense da seguinte maneira: se juntar a um fundo de investimento é semelhante a se tornar sócio de um clube. Cada associado paga uma taxa para usufruir do clube e, assim, aproveitar suas vantagens.

O papel do clube é administrar esses recursos e garantir que você tenha a melhor experiência possível. No caso dos fundos de investimento, a função das instituições é administrá-los para que o seu dinheiro renda o máximo possível.

Principais características

Apesar de os fundos serem diferentes, eles contam com características comuns. São elas:

  • Todos exigem uma aplicação inicial: esse valor representa o mínimo que precisa investir para se tornar um cotista de um fundo. É possível encontrar fundos de investimento que exigem aplicação inicial de apenas R$ 50;
  • Movimentação mínima: todo fundo tem um valor mínimo que precisa ser investido para poder solicitar um saque ou fazer um novo aporte. Os valores variam de um fundo para o outro;
  • Categoria: todo fundo de investimento está em uma categoria, ajudando a identificar quais são os tipos de ativos mais adquiridos. As categorias podem ser: açõescambialmultimercado ou renda fixa;
  • Níveis de risco: além da categoria, os fundos também possuem um nível de risco: agressivomoderado ou conservador;
  • Prospecto: todas essas informações vêm em um documento chamado prospecto. Ele demonstra tudo o que for essencial sobre o fundo que está analisando, como a carteira de ativos, o prazo de liquidação e qual a rentabilidade esperada. É primordial que você leia o prospecto antes de se decidir por um fundo.

Vantagens e desvantagens

Não existe um tipo de investimento perfeito. Todas as modalidades contam com suas próprias vantagens e desvantagens. Por isso, é importante avaliar bem e aprender como escolher um fundo de investimento antes de prosseguir.

Veja as vantagens e desvantagens dos fundos de investimento logo abaixo.

Vantagens

  • Liquidez: mesmo que alguns ativos tenham um tempo de resgate maior, o fundo que você escolher pode oferecer um prazo menor, dependendo dos ativos que compõem a carteira;
  • Diversificação: diversificar investimentos é importante para mitigar riscos. Porém, quem ainda tem pouco dinheiro para investir fica limitado ao Tesouro Direto. Como os fundos são formados por grupos de investidores, você passa a ter acesso a outros tipos de investimento que não teria por conta própria;
  • Gestão feita por profissionais: seus ativos são administrados por um profissional capacitado e licenciado para isso, que também é dedicado a acompanhar a evolução do seu patrimônio em tempo integral.

Desvantagens

  • Custos: a vantagem de ter uma gestão profissional não vem sem um custo. Contratar um fundo de investimento exige o pagamento de algumas taxas, como a de administração e performance, paga quando os investimentos superam a expectativa de rentabilidade;
  • Dificuldade para realocar: quando você gerencia ativos por conta própria, você tem a liberdade de vender e comprá-los quando quiser. Em fundos de investimento, esse processo é mais burocrático e lento;
  • IR semestral (come-cotas): semestralmente, é necessário pagar uma taxa sobre o lucro das operações do fundo. Algumas aplicações – como as de renda fixa – em um fundo seriam isentos caso investisse por conta própria.

Conheça seu perfil de investidor!

Agora que entendeu as principais características, vantagens e desvantagens dos fundos de investimento, chegou o momento de fazer uma auto-avaliação do seu perfil de investidor.

O investidor conservador é o mais avesso ao risco, preferindo maior segurança mesmo que isso signifique menor rentabilidade. Já o moderado possui certa tolerância aos riscos, mas ainda prefere relativa segurança. e costumam equilibrar investimentos seguros com arriscados.

O investidor arrojado é aquele que tem a rentabilidade como maior critério, mesmo que em investimentos menos seguros. Costumam investir em fundos de ações, imobiliários ou cambiais.

Como escolher um fundo de investimento?

Com tudo em mãos, chegou a hora de entender como escolher um fundo de investimento. A primeira coisa que precisa saber são os diversos tipos de fundos que pode participar. São eles:

  • Ações;
  • Renda fixa;
  • Multimercado;
  • Cambiais

Entenda as taxas

Antes de fazer parte de um fundo de investimento, é importante ficar atento às taxas que podem ser cobradas. Como mostramos ao longo do artigo, existem três taxas a pagar em um fundo de investimento.

taxa de administração é um valor anual que é pago à empresa que gere o fundo. Costuma ser de 1% sobre a rentabilidade, mas não é um percentual escrito em pedra.

Já a taxa de performance não é cobrada sempre, apenas quando este atinge uma performance superior a um indicador do mercado, como CDI ou Ibovespa. É um tipo de premiação para a empresa gestora.

A terceira taxa é o come-cotas, ou seja, a cobrança de IR que mencionamos nas desvantagens dos fundos de investimento.

Conheça as regras e prazos

Como também mencionamos anteriormente, é interessante saber quais são as regras para as aplicações iniciais e como os fundos serão gerenciados.

Além disso, você também deve conhecer prazos como o período que levará para o investimento poder ser sacado sem a cobrança de multas e o quanto perderá caso opte por sacar do fundo fora desse prazo, por exemplo.

Estude os riscos

Através do prospecto, você saberá o nível de risco do fundo de investimento. Dessa forma, poderá analisar o risco que ele oferece e comparar com seu perfil de investidor.

Assim, você saberá se aquele fundo vai de acordo com seu padrão de comportamento nos investimentos.

Lembre-se de consultar o prospecto do fundo para conhecer taxas, regras, prazos e os riscos.

Defina seu objetivo e comece a investir!

Agora que tem todo esse conhecimento ao seu favor, chegou a hora de definir qual objetivo quer alcançar ao escolher um fundo de investimento. Comprar um imóvel? Fazer a viagem dos sonhos? Se aposentar mais cedo?

Não importa qual objetivo tenha, é essencial aprender e saber como escolher um fundo de investimento em 2020!

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.
Categoria: Nacional

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*