Você sabe o que é o Certificado de Operações Estruturadas


Muitas são as chances de investimentos e diversas são as siglas no mundo financeiro. Se você está explorando possibilidades que se encaixem em seu perfil é natural que encontre sobre coe o que é e como funciona esse tipo de ação.
Para te ajudar a entender mais sobre esse tipo de operação, reunimos alguns detalhes importantes. Confira!
O que é COE?
O COE é o Certificado de Operações Estruturadas e ele é um investimento que combina a segurança das aplicações em renda fixa com a rentabilidade de investimentos na Bolsa de Valores, como ações, moedas, índices, commodities e outros.
Comparado a outros investimentos o COE ainda é um investimento novo no Brasil, iniciou suas operações em 2015, e por isso, ainda gera diversas dúvidas nos novos investidores.
O título é uma espécie de versão brasileiras das Notas Estruturadas que são muito comuns nos Estados Unidos e Europa e é uma forma interessante de diversificar uma carteira de investimentos sem grandes riscos.
Esse certificado pode ser emitido por bancos múltiplos, comerciais, bancos de investimento, caixas econômicas e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
O COE busca prever o comportamento do mercado nacional e internacional e, ao “acertar” a previsão, o COE paga ao investidor a parcela da renda fixa e variável. Por outro lado, se houver erro, o investidor recebe apenas a parcela da renda fixa.
Dessa forma, quando se investe em um COE, o indivíduo compra um título emitido por bancos, que aplica grande parte do seu capital em um título de renda fixa e uma pequena parcela em investimento de renda variável, com maior risco, mas retorno mais agressivo.
Para investir no COE não há um valor mínimo definido, isso depende do banco emissor e das opções que o distribuidor do título oferece. Assim como o valor, o prazo de vencimento depende da estrutura e, normalmente, são ofertados títulos com prazo entre 6 meses a 3 anos.
Essa forma de investimento promete garantia contra perdas, afinal, se o resultado for positivo, o investidor recebe o capital e os lucros e o se for negativo, recebe o capital investido de volta, livre de prejuízos. Existem duas modalidades de COE, o Capital Protegido e o Capital de Risco.
Valor Nominal Protegido
O COE da espécie Valor Nominal Protegido (VNP), assim como seu nome sugere, garante que o investidor receba, pelo menos, 100% do valor principal que investiu. Nessa modalidade, em qualquer que seja o cenário, no fim do prazo do investimento, o indivíduo resgata pelo menos o seu capital aplicado.
Valor Nominal em Risco
Já o COE de Valor Nominal em Risco (VNR) é aquele em que não há garantias do total aplicado pelo investidor, sendo possível que ele perca parte do capital investido no prazo de investimento. Mesmo que seja possível perder todo o capital investido, não corre risco de perder mais do que tem, então não há chances de contrair dívidas.
A grande maioria dos Certificados de Operações Estruturadas emitidos são do tipo protegido, porém, ao investir nessa modalidade é preciso ter atenção ao DIE, o Documento de Informações Essenciais.
Nele, o distribuidor do COE, seja corretora ou banco, fornece informações principais do seu investimento, como modalidade e garantia, emissor, rentabilidade, prazo, regras de ganhos e perdas, entre outros.
Tributos do COE
O COE, assim como os investimentos de renda fixa, sofrem tributação do Imposto de Renda de forma regressiva, de acordo com o tempo de aplicação. Dessa forma, quanto mais tempo durar o investimento, menor será a alíquota paga do IR.
Para investimentos de até 180 dias, a alíquota deduzida é de 22,5%. De 181 a 360 dias, a tributação é de 20%. De 361 a 720 dias, a porcentagem se dá em 17,5% e, acima desse prazo, a alíquota cobrada é de 15%.
Caso o resgate aconteça em um período menor do que 30 dias, é cobrado também o IOF, Imposto sobre Operações Financeiras, que varia de 96% a 3% a depender do dia. Lembrando que só haverá imposto a pagar se a rentabilidade final do COE for positiva.
O COE é uma opção de baixo risco, mas que oferece formas rentáveis para a carteira de investimento. Ele é uma grande oportunidade de diversificar seu portfólio de investimentos, permite o investimento no mercado estrangeiro, câmbios, não tem taxas e tributação é simplificada.
Por outro lado, ele possui baixa liquidez e não é garantido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), o que significa que o dinheiro não é devolvido em caso de falência do banco em que você realizou seu investimento.
Assim como qualquer investimento, é importante entender sobre ele para buscar opções que se encaixem em seu perfil e em seu bolso. Agora que você sabe mais sobre o COE, o que você acha sobre essa possibilidade? Aproveite suas novas informações e amplie sua cartela de investimentos!

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.
Categoria: Nacional

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*