Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Relacionamentos com sugar daddy podem ser perigosos

Os sites de namoro “Sugar Daddy” têm como alvo agressivo os estudantes universitários – com assinaturas premium gratuitas para inscrição em um e-mail, além de muitas garantias de que ser um “sugar baby” é seguro, fortalecedor e lucrativo.

Mas os sugar babys normalmente não têm controle sobre esses relacionamentos, que muitas vezes se tornam perigosos e exploradores.

Muitas mulheres não percebem a posição em que estão se colocando e a subjugação pela qual estão dispostas a passar para que um homem pague por suas coisas”.

Na Universidade de Harvard, por exemplo, os estudantes tendem a ter uma visão alegre e doce disso, disse Mariana De Leon, 19 anos, estudante de história e literatura.

Muitas pessoas brincam sobre isso, tipo, “deixe-me ir encontrar um sugar Daddy'”, disse De Leon. “Eu preciso entrar em contato com todos os meus amigos, preciso dizer a eles para parar com essas piadas, sem mais piadas de sugar baby.”

“Adocicar” quase sempre envolve uma troca coercitiva de dinheiro por sexo, alertam os especialistas- mesmo que a coerção seja sutil e independentemente das promessas do site de namoro de “mimar”, “mentoria” e “networking”.

“Você entregou um envelope em dinheiro e foi levado a um quarto de hotel e espera-se que faça sexo, ou eles acham que você precisa fazer”, disse Laura Ramirez, coordenadora do programa Coalizão contra o Tráfico de Mulheres.

“E os homens vão começar a dar mais presentes depois que você faz sexo.”

Logo, uma jovem pode estar na ladeira escorregadia para um comportamento mais extremo

Normalmente, o sugar daddy convence a mulher a fazer certas coisas jogando as coisas na sua cara.

“Lembra daquela bolsa que eu peguei para você?” Ou “Lembra da semana passada que paguei pelos cabelos e unhas?” é muito coercitivo… Não é o que o site marca como relacionamentos nos seus termos.

“Existe um desequilíbrio de poder entre o homem e a mulher”, disse Ramirez.

“Há uma expectativa de que o comprador ou o sugar daddy possa fazer o que quiser, com frequência há uma violência extraordinária quando a porta é fechada”, acrescenta Lauren Hersh, diretora nacional do World Without Exploitation, um grupo de combate ao tráfico sexual.

“Muitas vezes é violência sexual e física. Quando existe um preço, muitas vezes o comprador sente que pode fazer o que for, quando e como quiser.”

Uma “sugar baby”, de 23 anos, com sede no Brooklyn, disse que ela foi coagida a um trio indesejado durante umas férias caras com seu “sugar daddy“.

Para desencorajar esses elementos indesejados, os sites de relacionamento prometem trabalhar em uma iniciativa para denunciar proativamente os infratores à polícia.

Os sites de namoro sugar também garantem estar “trabalhando com advogados e especialistas em tráfico de sexo para financiar e lançar uma organização sem fins lucrativos que trabalhará nas melhores práticas para identificar, denunciar e prevenir o tráfico de sexo em várias indústrias, incluindo namoro, transporte, hospitalidade etc.

 


Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.
Categoria: Nacional