Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Criadas 2.203.987 milhões de vagas de emprego formal nos primeiros oito meses de 2021

O Brasil criou 372.265 vagas de emprego formal no mês de agosto. Com isso, ao longo dos oito primeiros meses de 2021, o país soma 2.203.987 novos postos de trabalho com carteira assinada. Os números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério do Trabalho.

O desempenho do mês de agosto é resultado de 1.810.434 admissões e de 1.438.169 desligamentos, gerando o saldo de 372,3 mil. Com esse resultado, o total de brasileiros ocupados com carteira assinada chega a 41,566 milhões.

O mercado de trabalho formal vem registrando forte recuperação desde julho de 2020 – a exceção foi dezembro, que teve saldo negativo, como ocorre tradicionalmente, devido à demissão de trabalhadores temporários para o fim do ano.

No primeiro semestre, o país registrou criação de 1,5 milhão de novos postos, com destaque para a recuperação dos setores de serviço e comércio.

A geração de novas vagas no mercado formal é um reflexo da retomada da atividade econômica. Além disso, o programa de manutenção do emprego e renda (BEm), que permite a suspensão de contratos de trabalho e redução de jornada e salários, com um período subsequente de estabilidade no emprego, contribui para a manutenção desses postos.

Serviços puxa desempenho

O Caged registrou avanços nos cinco setores da economia avaliados, com destaque para serviços, responsável pela criação de 180.660 postos. De acordo com o Ministério do Trabalho, a maioria dessas vagas foi gerada nas atividades de informática, comunicação, financeiras, imobiliárias e administrativas.

O comércio respondeu pela criação de 77.769 empregos, número próximo do registrado pela indústria, que avançou com 72.694 postos. Na sequência, aparecem o setor de construção (32.005 postos) e agricultura (9.232 vagas).

Em agosto, todos os estados registraram saldos positivos na geração de empregos com carteira. O melhor desempenho foi de São Paulo, com 113.836 postos, seguido de Minas Gerais (43.310 vagas) e Rio de Janeiro (22.960 empregos).

Caged X Pnad

resultado do Caged segue contrastando com o que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Contínua) do IBGE. A última rodada, divulgada em agosto, apontava que a taxa de desemprego no Brasil foi de 14,1% no trimestre encerrado em junho. O número de desempregados chegou a 14,4 milhões.

A Pnad considera vagas formais e informais e apresenta dados trimestrais. Já as informações do Caged refletem números mensais apenas de empregos formais e regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Isso significa que, no Caged, não são contabilizados trabalhadores sem carteira nem os que trabalham por conta própria ou os funcionários públicos.

Os dados vêm dos registros que as empresas enviam ao Ministério da Economia, que é responsável por controlar as admissões e demissões dos trabalhadores sob o regime da CLT.

O Globo

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.
Categoria: Nacional