Dilma Rousseff critica sanções econômicas contra a Rússia

A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou que é contra as sanções econômicas aplicadas pelos diversos países do Ocidente contra a Rússia em meio ao conflito do país contra a Ucrânia. De acordo com Dilma, medidas desse tipo só produziriam “mortes, fome e miséria” e não seriam eficazes.

– Somos, da nossa parte, contrários a qualquer política de intervenção econômica baseada em sanções, até porque tal política só produziu mortes, fome e miséria. Temos dois terríveis exemplos, os 60 anos de sistemáticas sanções aplicadas contra Cuba e as recentes sanções contra a Venezuela durante uma pandemia – afirmou.

A declaração da ex-presidente foi feita neste sábado (23), durante o Brazil Summit Europe, seminário em Berlim realizado por alunos brasileiros da Hertie School. A ex-chefe do Executivo participou remotamente. Também participam do evento os ministros do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso e Cármen Lúcia.

Em outro ponto de sua fala, Dilma afirmou ainda que a guerra entre Ucrânia e Rússia, e as sanções decorrentes do conflito, vão “remodelar a economia mundial” e promover uma maior regionalização das cadeias produtivas, como tem sido previsto pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

– [A guerra] Tem sem dúvida consequências econômicas e sociais sobre todos os países do mundo globalizado, mesmo que a globalização já viesse se enfraquecendo desde pelo menos a crise de 2008. As sanções fazem parte da guerra, por outros meios. E essas sanções têm o potencial de remodelar a economia mundial – completou.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *