História e ciência validam existência de Jesus e veracidade da Bíblia

Alex McFarland, um dos principais apologistas cristãos, defende a história de Cristo e mostra por que se pode confiar nela. Para chegar lá, ele primeiro explica os quatro tipos de testemunhos que os historiadores desejam.

“Eles querem testemunhas oculares. Eles querem vários testemunhos. Eles querem um testemunho antecipado. E o quarto é um testemunho hostil”, disse McFarland.

Quanto às testemunhas oculares e antecipadas, os Evangelhos Mateus, Marcos, Lucas e João são de homens que conheciam Jesus em carne e osso ou receberam seus fatos de testemunhas oculares como Maria, a mãe de Jesus, e outros. As epístolas Paulo são escritas por um homem que encontrou o Cristo ressuscitado.

Quanto ao testemunho hostil, muitas fontes externas escreveram sobre este Jesus. Segundo McFarland essas fontes escreveram um trabalhador das maravilhas, fez milagres, alegou ser Deus, crucificado na Páscoa.

De acordo a CBN News, o autor afirmou que os principais fatos do Evangelho, a morte, divindade e ressurreição, apenas baseados em fontes judaicas, gregas e romanas antigas que certamente não eram amigas da igreja em expansão.

“Isso é muito convincente para os historiadores porque representa objetividade, que essas fontes – nenhum amigo do movimento – também corroboram os fatos fundamentais do que sabemos sobre Jesus”, disse.

Além disso, o apologista apontou, Will Durant, um ateu a maior parte de sua vida, mas possivelmente o historiador mais confiável do mundo, testemunhou que os quatro Evangelhos são absolutamente confiáveis do ponto de vista histórico.

McFarland sugeriu que Durant diria se rejeitarmos esses Evangelhos, também teríamos que rejeitar uma centena de outros nomes antigos, cuja autenticidade nenhum historiador sonharia em questionar, como Aristóteles e Júlio César as quais não tem tantas evidências para como temos para Jesus.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *