Pré-candidata Carol Costa fala sobre sua história pessoal e como a adversidade a impulsionou para luta política

Em emocionante relato de experiência dado em uma reunião em São Luís, a pré-candidata a deputada estadual, Carol Costa (MDB) falou sobre o drama que viveu em sua vida pessoal e como o momento de grande adversidade a impulsionou na luta contra o feminicídio, a violência doméstica e toda forma de agressão ao próximo. Carol Costa também falou sobre o movimento Somos Todos Mariana e de como passou do luto para a luta política. Veja trechos do depoimento

“Quando o luto me abateu, tudo o que eu tinha era vulnerabilidade, mas logo um propósito muito maior se apresentou me convocando à lutar. Já são 5 anos de atuação junto ao Somos Todos Marianas, projeto que nasceu no coração de Deus com a missão de nos erguermos para transformar nosso LUTO EM LUTA! Será impossível esquecer a dor que senti com o feminicídio de Mariana. Reconheci essa dor nos rostos de várias famílias que ajudamos a levantar por meio desse projeto, sempre em parceria com incansáveis profissionais na Casa da Mulher Brasileira, na Polícia Civil do Maranhão e no Departamento de Feminicídio do Maranhão”.

“Agora é tempo de alargar as tendas! Precisamos trabalhar mais para acolher mais mulheres e fazer da nossa sociedade uma realidade mais justa e mais digna. Agora é a hora de avançar! Mas nunca sozinha! Conto com você nessa luta por todos que precisam de dignidade e justiça. Eu reconheço minhas limitações, mas também reconheço minha vontade de servir, de vencer e de carregar a dor do próximo. Já são 5 anos, cinco anos de atuação como Somos Todos Marianas, cinco anos que nos movemos com um projeto que nasceu no coração de Deus, que deixou muito claro, para minha mãe, Flor de Liz, que deveríamos nos erguer e transformar o nosso LUTO EM LUTA!”

“Eu lembro como se fosse hoje, a dor que senti, quando Mariana foi assassinada covardemente. Lembro também, as lágrimas, os rostos, os choros e o sofrimento de cada mulher que passou por esse projeto e ajudamos a se levantar. E é claro que não posso deixar de honrar os parceiros, que caminharam sempre conosco como a Casa da Mulher Brasileira, a Polícia Civil do Maranhão e o Departamento de feminicídio do Maranhão, que sempre estão lutando conosco para que todas as mulheres tenham uma vida digna. Mas agora é tempo de alargar as tendas! Precisamos de mais espaço para acolher mais mulheres e fazer nossa sociedade mais justa e mais digna. Agora é a hora de avançar em políticas públicas sólidas e efetivas. E da mesma forma que tudo começou, há 5 anos, contamos com vocês nessa luta! É tempo de alargar as tendas! E de lutar por todos que precisam de Justiça e Dignidade. Juntos somos mais fortes!”