Produtores prosperam na produção de mel após capacitação do Senar

Antônio Caetano Neto, produtor rural e esposa, Eliane Torres, professora de artes, desenvolveram um projeto de produção de mel e seus derivados na chácara onde vivem, a partir do curso de Apicultura, uma ação Formação Profissional Rural (FPR), promovido pelo Senar em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Grajaú, há três anos.
Ele conta que antes do treinamento do Senar resistia em se aproximar e tratar com as abelhas, pelo medo de ser ferroado e por não possuir informações suficientes para o manejo.
A apicultura é um negócio que proporciona aos consumidores o contato com um produto natural de alto valor nutritivo. Antes de iniciar, é preciso conhecer os tipos de colmeias e isso, o seu Antônio sabe, porque entrou de cabeça neste trabalho promissor que é produzir mel.


Com o conhecimento adquirido pelo instrutor William Lacerda do Senar, seu Antônio se apaixonou pela atividade, e agora sabe tudo sobre abelhas, suas espécies, flores e árvores que as atraem para o criatório.
Aprendeu também a preservar as espécies e a promover a sustentabilidade. Em seu apiário que fica a quarenta e cinco quilômetros da sua casa, também a preservação é feita assim como os cuidados na produção do mel.
“Eu fiz um curso pelo Senar e depois fui buscar conhecimento sobre as abelhas apis – que são as italianas. Entrei de cabeça no mundo desses animais, que é totalmente diferente de que muita gente imagina, e que tem aversão. Depois que aquelas sem ferrão e que estão em extinção, e adquiri os troncos e estou fazendo a preservação”, ressaltou.
Neto ressalta que agora é uma referência em conhecimento sobre as abelhas e produção de mel no município. Tanto que é chamado para auxiliar o Corpo de Bombeiros, em caso de perigo.
“Há três anos eu montei um apiário para mim e estou produzindo mel. Me especializei e faço o resgate. Quando há alguma ocorrência com abelhas os Bombeiros me chamam, retiro e as levo para o apiário dando um destino correto para elas”, afirmou.

Artesanato e mel

Pedreiro de profissão, o grajauense organizou o seu espaço, onde mantém árvores, flores, plantas ornamentais e artesanato que faz em parceria com Eliane. Além disso, tem também caixas de abelhas em um número menor, que faz diariamente o acompanhamento. Ele comercializa anualmente uma média de seiscentos litros do produto, dentro e fora do município.
Mesmo sendo um trabalho relativamente novo para o casal, foi por meio de muito estudo que eles alavancaram a produção e a venda e na sequência, ela começou o aproveitamento do mel para a confecção de velas ornamentais, retirar o extrato de própolis, e fazer sabonetes, além de produzir licores com diversos sabores. A produção tem sido proporcional à procura pelos produtos.
“Fizemos o capacitação básica em apicultura em setembro de 2020, já a avançada em outubro do mesmo ano, e nesse período fomos orientados pelo instrutor a fazer a vela, a extrair o extrato de própolis, a fazer o sabonetes ”, disse a professora acrescentando que aprendeu também a envasar e criar rótulos junto com o marido, estruturando o espaço onde moram.
Para o Presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Grajaú, Raimundo Simas, resultados como estes, fortalecem o trabalho que a instituição juntamente com o sistema Faema/Senar vem fazendo em Grajaú e região.


“O Sindicato leva a capacitação e o produtor inicia a atividade e passe a ter resultados promissores. Isso é algo de grande valor para nós aqui do município e para o Maranhão. O Senar, sem dúvida, é uma referência.

Fonte: SENAR

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *