Castro descarta motivação política em assassinato de médicos no Rio

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, confirmou nesta sexta-feira (6) que está descartada a hipótese de motivação política para o assassinato dos três médicos na madrugada desta quinta-feira na orla da praia da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Um deles é Diego Ralf Bonfim, irmão da deputada federal Sâmia Bonfim. O governador também explicou que está sendo feita uma investigação para descobrir os mandantes do crime. 

A declaração foi dada após encontro com o secretário executivo do Ministério de Justiça, Ricardo Capelli, que veio ao Rio de Janeiro acompanhar as investigações. Capelli afirmou que o governo federal está dando todo o apoio necessário para a elucidação do crime.

O secretário da Polícia Civil do Rio de Janeiro, delegado José Renato Torres, disse que os corpos encontrados nesta madrugada já estão sendo identificados. A hipótese é de que sejam os executores dos assassinatos, mortos posteriormente por lideranças do Comando Vermelho. Eles teriam cometido o crime por engano, ao confundirem uma das vítimas com um rival.

Os três médicos estavam no Rio de Janeiro para um congresso de cirurgia.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *