Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Maranhão é recordista e Codó tem Ricardo Archer e Biné Figueiredo no Listão dos de Fichas Sujas

O Tribunal de Contas da União (TCU) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgaram esta semana uma lista com os nomes de 7.431 gestores que tiveram contas julgadas irregulares pelo tribunal nos últimos oito anos. A relação contém nomes de pessoas físicas que tiveram contas julgadas irregulares com trânsito em julgado (sem possibilidade de recurso) nos oito anos anteriores à realização das próximas eleições, marcadas para outubro deste ano.
Segundo técnicos do TCU, ex-governadores, ex-prefeitos, ex-secretários e até organizações não-governamentais foram listados. Conforme o TCU, ao todo, 11.408 contas foram julgadas irregulares, o que significa que há casos em que um gestor teve mais de uma conta reprovada pela Corte.
Maranhão Recordista
De acordo com dados do TCU, o Maranhão é o estado que, nos oito anos anteriores à próxima eleição, tem mais pessoas responsáveis por contas julgadas irregulares para fins eleitorais. Lá, foram registrados 659 casos. Na lista constam os nomes do atual prefeito de Brejo, José Farias; o atual prefeito de Chapadinha, Magno Bacelar, juntamente com sua esposa, que já comandou o município, Danúbia Carneiro; os ex-prefeitos de Caxias, Paulo Marinho e Márcia Marinho; o deputado estadual Hemetério Weba; e o ex-prefeito de Imperatriz, Ildon Marques.
Biné e Ricardo no listão dos Fichas Sujas
O município de Codó também teve o desprazer de ter dois representantes no Listão dos Fichas Sujas, como os ex-prefeitos Ricardo Archer e Biné Figueiredo. Mesmos com seus nomes gravados na infame lista, os velhos políticos codoenses, em anos eleitorais, ainda instem em divulgar que são pré-candidatos a qualquer coisa (dependendo da natureza do pleito). Este ano, por exemplo, Biné insiste em divulgar que poderá ser candidato a deputado estadual. Ricardo é mais resignado e aguarda em silêncio, mas já já ele aparece dizendo que quer o melhor para Codó (rsrsrsr).
Povo de Codó quer se livrar da corrupção
No entanto, a boa notícia é que os codoenses podem tomar providências para que os ex-prefeitos Fichas Sujas não consigam nem  se candidatar.

Veja aqui a lista

Roseana, Lobão e Sarney Filho reúnem multidão na convenção estadual do MDB

A convenção estadual do MDB oficializou as candidaturas rumo às eleições 2018, neste domingo (29). Agora pode se falar de que Roseana Sarney é candidata ao governo do Maranhão. Onde os candidatos escolhidos para a chapa majoritária ao senado federal foram Edison Lobão e Sarney Filho. Ambos com causas voltadas para as necessidades do povo.

A experiência na política realmente tem feito a diferença na vida da população. Assunto destacado, justamente por relembrar feitos importantes na vida do povo maranhense.

“Eu sempre caminhei ao lado do meu povo, eu sempre dei a mão para o meu povo e sempre fiz o Estado crescer e se desenvolver. Tudo isto gerou melhores dias, melhores salários para nossa gente. Estimulamos a livre concorrência e o direito das pessoas para abrirem seus negócios sem medo do governo. E vou voltar a realizar e valorizar o povo da forma como deve ser feito”, disse Roseana.

Mas falar das necessidades do povo é chamar a atenção para a própria experiência na vida política. E um marco histórico com sua reeleição neste ano.

“Muitos que gostariam de estar conosco aqui hoje não puderam, mas mesmo assim dou minhas saudações. Hoje começamos a caminhada da independência. Independência da pressão e da coação que estamos vivendo. José Sarney foi senador por cinco mandatos, eu tenho quatro e vou enfrentar o quinto com muita determinação e coragem que adquiri em todos estes anos de experiência na vida política”, afirmou Lobão.

E para complementar a fala, Sarney Filho se emociona ao falar na trajetória política, mas principalmente por ter uma causa voltada para a natureza e o bem-estar do ser humano.

“No meu caso tenho uma longa história política ligada ao povo do Maranhão. E defendo a natureza! Quem defende a natureza defende o bem-estar, principalmente dos mais pobres. O senado não é lugar para amadores. E sim para pessoas experientes. Brasília é uma guerra, e precisa de senadores com experiência assim como eu e Lobão”, reafirmou Sarney Filho.

O espaço estava lotado de pessoas que acreditam na volta de Roseana e a presença de José Sarney repercutiu de forma positiva, dando incentivo com uma mensagem de coragem e esperança, para que a guerreira possa fazer muito mais do que fez já fez pelo o Maranhão.

“O povo clama pela volta de Roseana e não pode ser diferente. O que já deu certo, vai dar ainda mais. Quero ver o povo Maranhense voltar a ser alegre e viver com dignidade”, declarou José Sarney.

Estiveram presentes as principais lideranças do MDB de todo o Estado, juntamente com o apoio de suas famílias. A cantora Alcione fez questão de estar presente e cantar o jingle oficial da Guerreira. Um momento histórico da chapa formada pelo partido para todo o Maranhão, rumo às eleições 2018.

ASCOM – Senador Edison Lobão.

Marcelo Coelho destaca o sucesso da convenção que confirmou a candidatura de Flávio Dino

O secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais, Marcelo Coelho, foi o único político de Codó que levou uma caravana para a convenção Todos Pelo Maranhão, que aconteceu no último final de semana no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, em São Luís.

O evento foi um grande sucesso de público e atraiu milhares de pessoas de todas as partes do Maranhão. Em entrevista ao blog do Marco Silva, Marcelo Coelho fez uma análise positiva da convenção que confirmou a candidatura a governador de Flávio Dino.

“Eu acho que na história do Maranhão nós nunca tivemos uma convenção desse porte e dificilmente teremos uma convenção participativa com a população com o povo do Estado presente, conversando com os candidatos, conversando com o governador. (…) Nós temos aí um caminho até o dia 07 de outubro”, disse o secretário.

Por Marcos Silva

Multidão participam de convenção para confirmar coligação de Flávio Dino

O governador Flávio Dino teve o nome confirmado em convenção neste sábado (28) para disputar a reeleição pela Coligação Todos Pelo Maranhão. O vice-governador Carlos Brandão (PRB) também foi oficializado na vaga de vice. E os deputados federais Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) foram homologados como candidatos ao Senado.

A convenção é o momento em que os partidos escolhem os candidatos que vão disputar a eleição. O evento no MultiCenter Sebrae, em São Luís, reuniu milhares de pessoas, entre filiados a partidos políticos e não filiados.

A Coligação Todos Pelo Maranhão reúne 15 legendas: PCdoB, PDT, PP, PPS, PROS, PSB, PT, PTB, PR, PRB, DEM, PEN, PTC, Solidariedade e PPL.

“É a maior convenção da história do Maranhão”, disse Flávio Dino. Durante o discurso, ele fez um balanço de algumas ações realizadas pela atual gestão.

“Aqui no Maranhão estamos fazendo a nossa parte. Governo perfeito só o de Deus, o nosso Governo não é perfeito, mas quero dizer que fiz neste período tudo o que eu podia fazer”, afirmou, lembrando os efeitos da crise econômica nacional sobre todo o país.

Ele listou programas como o Escola Digna, o Mais Asfalto, o Cheque Minha Casa, o Mais IDH e tantos outros.

“Fizemos neste período tudo o que podíamos. Fizemos o máximo, e por isso todos os Estados do Brasil respeitam o Maranhão, porque sabem que estamos na direção certa”.

O vice-governador Carlos Brandão disse que se trata de um “governo que governa para o povo. Flávio Dino é extremamente preparado, competente, capaz e dedicado. E teve a competência de escolher uma equipe extremamente competente para o governo”.

União

Os candidatos ao Senado também ressaltaram o novo momento vivido pelo Maranhão a partir de 2015.

“É um momento de muita responsabilidade política. O povo deu a oportunidade ao grupo liderado pelo Flávio Dino de fazer as verdadeiras mudanças”, disse Weverton.

“O governador deu voz à juventude no interior do Maranhão, à juventude da periferia. E nunca mais vão conseguir calar a nossa voz. Todos esses partidos que estão aqui são do time da vitória”, afirmou Eliziane.

Segundo ela, “saímos do momento da história do Maranhão quando apenas uma família de poderosos controlava esse estado. Eles precisam entender que nossas famílias não vão ser mais comandadas. Estamos vivendo um novo momento do Maranhão”.

Weverton acrescentou que todos fazem parte “de uma chapa vitoriosa liderada por um homem que teve a coragem de procurar na escuridão e encontrar a luz para essas crianças pobres que não tinham acesso à escola, através do programa Escola Digna. Que teve a coragem de abrir hospitais enquanto os outros Estados fechavam”, acrescentou.

Lula

O governador Flávio Dino também falou sobre o ex-presidente Lula e voltou a defender que o petista possa ser candidato à Presidência da República. “Todos nós que estamos aqui defendemos a Justiça, eleições justas, eleições livres. E para ter eleição justa no Brasil, para cada um poder votar em quem quiser, é fundamental que a gente diga Lula Livre, para ter democracia no país,”

“Não significa dizer que todo mundo vai votar no Lula, mas significa que quem quiser votar no Lula vai ter o direito de escolher seu presidente da República”, afirmou.

ASCOM PCdoB

Você sabe quais são os 10 Estados mais pobres do Brasil?

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2015 (último levantamento disponível, o próximo será feito em novembro deste ano), estes são os Estados com os menores PIB (Produto Interno Bruto, medida que avalia a riqueza produzida) do país.

1°   Roraima PIB: R$ 10,35 bilhões
2°   Acre PIB: R$ 13,62 bilhões
3°   Amapá PIB: R$ 13,86 bilhões
4°   Tocantins PIB: R$ 28,93 bilhões
5°   Rondônia PIB: R$ 36,56 bilhões
6°   Sergipe PIB: R$ 38,55 bilhões
7°   Piauí PIB: R$ 39,15 bilhões
8°   Alagoas PIB: R$ 46,36 bilhões
9°   Paraíba PIB: R$ 56,14 bilhões
10° Rio Grande do Norte PIB: R$ 57,25 bilhões
Fonte IBGE

Eleições 2018: saiba o que candidato e eleitor podem e não podem fazer durante o período de campanha

Candidatos e eleitores devem respeitar regras estabelecidas pela Justiça Eleitoral a partir do próximo dia 16, data em que estará liberada a propaganda eleitoral, conforme resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caso contrário, estarão sujeitos a multas e até a cassação do mandato, no caso dos eleitos.

Em 7 de outubro, brasileiros vão às urnas escolher candidatos a presidente e vice-presidente da República, governador e vice-governador, senador, deputado federal e deputado estadual ou distrital. Onde houver segundo turno, a campanha nas ruas vai até 27 de outubro, na véspera da votação (28, domingo).

Veja abaixo um resumo do que podem e não podem fazer candidatos e eleitores durante a campanha eleitoral deste ano:

O que pode o candidato

  • Distribuir folhetos, adesivos e impressos, independentemente de autorização, sempre sob responsabilidade do partido, da coligação ou do candidato (o material gráfico deve conter CNPJ ou CPF do responsável pela confecção, quem a contratou e a tiragem);
  • Colar propaganda eleitoral no para-brisa traseiro do carro em adesivo microperfurado; em outras posições do veículo também é permitido usar adesivos, desde que não ultrapassem meio metro quadrado;
  • Usar bandeiras móveis em vias públicas, desde que não atrapalhem o trânsito de pessoas e veículos;
  • Usar em carreatas, caminhadas e passeatas ou durante reuniões e comícios alto-falantes, amplificadores, carros de som e minitrios entre 8h e 22h, desde que estejam a, no mínimo, 200 metros de distância de repartições públicas, hospitais, escolas, bibliotecas, igrejas e teatros.
  • Realizar comícios entre 8h e 24h, inclusive com uso de trios elétricos em local fixo, que poderão tocar somente jingle de campanha e emitir discursos políticos;
  • Fixar propaganda em papel ou adesivo com tamanho de até meio metro quadrado em bens particulares, desde que com autorização espontânea e gratuita do proprietário;
  • Pagar por até 10 anúncios em jornal ou revista, em tamanho limitado e em datas diversas, desde que informe, na própria publicidade, o valor pago pela inserção;
  • Arrecadar recursos para a campanha por meio de financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual)
  • Fazer propaganda na internet, desde que gratuita e publicada em site oficial do candidato, do partido ou da coligação hospedados no Brasil ou em blogs e redes sociais;
  • Promover o impulsionamento de conteúdo na internet (post pago em redes sociais), desde que identificado como tal e contratado exclusivamente por partidos políticos, coligações e candidatos e seus representantes, devendo conter o CNPJ ou CPF do responsável e a expressão “Propaganda Eleitoral”;
  • Fazer propaganda em blogs, redes sociais e sites de mensagens instantâneas com conteúdo produzido ou editado por candidato, partido ou coligação;
  • Usar ferramentas para garantir posições de destaque nas páginas de respostas dos grandes buscadores;
  • Enviar mensagens eletrônicas, desde que disponibilizem opção para descadastramento do destinatário, que deverá ser feito em até 48 horas.

O que não pode o candidato

  • Fixar propaganda em bens públicos, postes, placas de trânsito, outdoors, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus, árvores, inclusive com pichação, tinta, placas, faixas, cavaletes e bonecos;
  • Fazer propaganda em bens particulares por meio de inscrição ou pintura em fachadas, muros ou paredes;
  • Jogar ou autorizar o derrame de propaganda no local de votação ou nas vias próximas, mesmo na véspera da eleição;
  • Fazer showmício com apresentação de artistas, mesmo sem remuneração. Cantores, atores ou apresentadores que forem candidatos não poderão fazer campanha em suas atrações;
  • Fazer propaganda ou pedir votos por meio de telemarketing;
  • Confeccionar, utilizar e distribuir camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas, bens ou materiais que proporcionem vantagem ao eleitor;
  • Pagar por propaganda na internet, exceto o impulsionamento de publicações em redes sociais;
  • Publicar propaganda na internet em sites de empresas ou outras pessoas jurídicas, bem como de órgãos públicos;
  • Fazer propaganda na internet, atribuindo indevidamente sua autoria a outra pessoa, candidato, partido ou coligação;
  • Usar dispositivos ou programas como robôs, conhecidos por distorcer a repercussão de conteúdo;
  • Usar recurso de impulsionamento somente com a finalidade de promoção ou benefício dos próprios candidatos ou suas agremiações e para denegrir a imagem de outros candidatos;
  • Fazer propaganda eleitoral em sites oficiais ou hospedados por órgãos da administração pública (da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios);
  • Agredir e atacar a honra de candidatos na internet e nas redes sociais, bem como divulgar fatos sabidamente inverídicos sobre adversários;
  • Ao fazer divulgação do financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual) para arrecadação de recursos de campanha, os candidatos estão proibidos de pedir votos;
  • Veicular propaganda no rádio ou na TV paga e fora do horário gratuito, bem como usar a propaganda para promover marca ou produto;
  • Degradar ou ridicularizar candidatos, usar montagens, trucagens, computação gráfica, desenhos animados e efeitos especiais no rádio e na TV;
  • Fazer propaganda de guerra, violência, subversão do regime, com preconceitos de raça ou classe, que instigue a desobediência à lei ou que desrespeite símbolos nacionais.
  • Usar símbolos, frases ou imagens associadas ou semelhantes às empregadas por órgão de governo, empresa pública ou estatal;
  • Inutilizar, alterar ou perturbar qualquer forma de propaganda devidamente realizada ou impedir propaganda devidamente realizada por outro candidato.

O que pode o eleitor

  • Participar livremente da campanhaeleitoral, respeitando as regras sobre propaganda nas ruas e na internet aplicadas aos candidatos;
  • Apoiar candidato com gastos de até R$ 1.064,10, com emissão de comprovante da despesa em nome do eleitor (bens e serviços entregues caracterizam doação, limitada a 10% da renda no ano anterior);
  • Fazer doações acima de R$ 1.064,10 apenas mediante transferênciaeletrônica (TED) da conta bancária do doador direto para a conta bancária do candidato beneficiado;
  • Fazer doações para candidatos por meio de sites habilitados pela Justiça Eleitoral para realizar financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual);
  • Ceder uso de bens móveis ou imóveisde sua propriedade, com valor estimado de até R$ 40 mil;
  • Prestar serviços gratuitamente para a campanha;
  • No dia da votação, é permitida só manifestação individual e silenciosada preferência pelo partido ou candidato, com uso somente de bandeiras, broches, dísticos e adesivos;
  • Manifestar pensamento, mas sem anonimato, inclusive na internet.

O que não pode o eleitor

  • Trocar voto por dinheiro, material de construção, cestas básicas, atendimento médico, cirurgia, emprego ou qualquer outro favor ou bem;
  • Cobrar pela fixação de propagandaem seus bens móveis ou imóveis;
  • Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou outra pessoa, dinheiro, dádiva ou qualquer vantagem, para obter ou dar voto, conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita;
  • Fazer doação para campanha com moedas virtuais;
  • Se servidor público, trabalhar na campanha eleitoral durante o horário de expediente;
  • Inutilizar, alterar, impedir ou perturbar meio lícito de propaganda eleitoral;
  • Degradar ou ridicularizar candidato por qualquer meio, ofendendo sua honra.
  • Fazer boca de urna no dia da eleição, ou seja, divulgar propaganda de partidos ou candidatos

Fonte:G1

Rádio de luto: faleceu Geraldo Sanches da Radio Mirante AM de Codó

É com uma tristeza infinita no coração que venho comunicar o falecimento de um grande amigo que certamente marcou as vidas daqueles que puderam conviver com ele. É uma notícia inesperada, mas a morte infelizmente surge a qualquer momento e por vezes leva as pessoas que nos são especiais.

Ficam as recordações de um homem maravilhoso que deu e ensinou muito a todos nós. Aos seus queridos familiares deixo os meus sinceros pêsames

Jose Geraldo dos Santos “Geraldo Sanches.”
Geraldo era Baiano chegou em Codo nos anos de 80, veio trabalhar na Radio Eldorado e depois foi pra Mirante onde trabalhou por 30 anos.
Ele  Estava internado no Hospital São Marcos da Cidade de Teresina, onde veio a falecer nessa manhã. Dono de uma voz inconfundível, Geraldo Sanches dono de uma voz inconfundivel e notabilizou-se por ser um grande noticiarista e também apresentou o programas.
Ainda não sabemos onde será seu velório.

Quem e a diretora do HGM Esther moura ?

A frase milenar de Sócrates “conhece-te a ti mesmo”, se aplica também à gestão hospitalar. No Hospital HGM, em Codó, a máxima do filósofo foi colocada em prática e trouxe mudanças significativas para a entidade. Para compreender melhor a rotina e os processos da organização, as lideranças ouviram os colaboradores  pontos de vista de toda a equipe, que traçou um Raio-X do hospital, trazendo uma percepção clara e imparcial do hospital, suas virtudes e oportunidades de melhoria.

Esther moura leopoldino,40 anos, casada, mãe de um menino de 10 anos, natural da cidade de Arcoverde pe, residente da cidade de são luís há 14 anos desde 2014.
Formada em psicologia clinica pela universidade católica de Pernambuco, com especialização nas seguintes área:
Saúde publica ( laboro -são luís), gestão em emergência em saúde publica em 2017 pelo sírio libanês-são Paulo, concluindo em 2018 auditoria, gestão e planejamento em saúde (laboro-são luís).
Funcionaria efetiva do município de são luis há 7 anos lotada no hospital de urgência e emergência clementino moura – socorrao 2,psicóloga e trabalha atualmente em sistema de plantão.
Locais em que já trabalhou:
1 – Psicóloga e coordenadora de dst/aids de Arcoverde – pe.
2 – Coordenadora do programa municipal de dst /aids em Coroatá – ma.
3 – Responsável pela implantação do programa de saúde mental de Coroatá – ma.
4 – Secretaria de desenvolvimento social de Coroatá – ma.
5 – Implantação de vários programas e projetos na área de saúde em algumas cidades do maranhão.
6 – Coordenadora de psicologia do socorrao 2 em são luís – ma.
7 – Primeira diretora administrativa do hospital geral de piritoro -ma (3 anos).
8 – Diretora administrativa da unidade mista do são bernardo em são luis – ma.
9- Diretora administrativa da unidade mista do Itaqui=bacanga de são luis – ma.
10 – Diretora geral do hospital geral dr.Marcolino jr – hgm em codo – ma.

Por Lenno