Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Urgente – Bandidos sequestram mulher e filha de funcionário do Banco do Brasil de Pedreiras

Noite de quarta-feira (22), por volta das 19h, criminosos invadiram uma casa na cidade de Pedreiras (MA) e sequestraram a namorada e a filha de Witace Cavalcante, tesoureiro da Agência do Banco do Brasil daquela cidade. Ainda segundo as informações, elas foram levadas para um cativeiro, localizado nas proximidades do povoado Eiras, para obrigar o funcionário a entregar todo o dinheiro que estava nos cofres da agência.:

O sequestro aconteceu ontem à noite, entre 19h00 e 19h30, quando o Witace chegou em casa e foi abordado pelos assaltantes. Os criminosos  já chegaram com armas apontadas para ele. 

Logo em seguida, chegaram a namorada e a filha do tesoureiro. A família foi rendida. A filha e a namorada foram levada para um cativeiro na estrada vicinal que dá acesso ao povoado Eiras (localizado entre as cidades de Pedreiras e Lima Campos). 

Os bandidos cortaram arame farpado, entraram na área de vegetação, entregaram edredom para as duas se protegerem do frio e um deles ficou vigiando. 

Nesse tempo, os demais integrantes do bando obrigaram o funcionário a entrar na agência para pegar o dinheiro e entregar para eles, como resgate devolverem a namorada e e filha sã e salva.

No entanto, alguma coisa deu errado, a ação criminosa foi suspensa e os bandidos fugiram. 

O vigia foi alertado, ele disse para as duas mulheres ficarem naquele local até as 9h da manhã de hoje,  em seguida, ele se evadiu junto com os comparsas sem levar nada da agência. 

A namorada e a filha do funcionário procuraram uma casa próxima e pediram ajuda. A polícia foi buscá-las no período da manhã de hoje.  Elas conta que não sofreram nenhum tipo de violência física. Porém, estavam abaladas. 

As vítimas estão neste momento (12h30), sendo ouvidas na Delegacia Regional de Pedreiras.

Major Ricardo Almeida, comandante do 19º BPM de Pedreiras, solicitou apoio de todo efetivo e pediu para os PMs que estavam encerrando o plantão, continuassem em operação. Para a imprensa local, ele disse que ainda é cedo para falar sobre o sequestro.

Não há informações sobre prisões

Os serviços internos (caixas, mesas…) da agência do Banco do Brasil de Pedreiras não funcionaram nesta manhã de quinta-feira, dia 23. Apenas os terminais eletrônicos ficaram operando.

Policiais civis e militares foram informados do sequestro e realizam operações neste momento para prender o bando.

Por Carlinhos Filho

 

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

FISCALIZAÇÃO: Auditores autuam Rede D’Or no Rio: 1,6 mil médicos sem registro

Uma ação da Secretaria de Inspeção do Trabalho realizada nesta semana em 11 hospitais na Rede D’Or São Luiz no Rio de Janeiro encontrou 1.606 médicos trabalhando sem o devido registro.

A ação foi uma continuidade de uma fiscalização ocorrida na rede hospitalar em dezembro de 2017. Segundo se apurou à época, fisioterapeutas eram demitidos dos hospitais, mas muitos permaneceram trabalhando de forma autônoma ou por meio de empresas constituídas. Na ocasião, a empresa foi autuada por falta de registro de 380 fisioterapeutas.

“Iniciamos, então, uma segunda etapa da operação, uma vez que constatamos que o mesmo ocorreu com os médicos, em grande parte demitidos e ainda em atividade, com mesma rotina de trabalho”, afirmou Barbara Rigo, coordenadora de Combate à Fraude Trabalhista da Superintendência Regional do Trabalho no Rio de Janeiro.

De acordo com a fiscalização, a terceirização é ilícita, pois estão presentes elementos da relação de emprego, inclusive a subordinação a escalas e padrões de atendimento.

“A fiscalização vai a campo e constata a irregularidade a partir de entrevistas com profissionais e análise de documentos, verificando a realidade dos fatos. Havia também médicos que eram sócios de empresas, os chamados ‘pejotas’, há anos, apesar de presentes os elementos da relação de emprego, para os quais também foi constatada a falta de registro”, explicou Bárbara.

FGTS – A partir da identificação de médicossem registro, a fiscalização procedeu ao levantamento dos valores de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) que deixaram de ser recolhidos, tendo como base de cálculo da remuneração os valores de notas fiscais dos médicos terceirizados e recibos de pagamento de autônomos.

A empresa foi notificada a recolher R$ 31,6 milhões devidos. Ela já havia sido notificada a recolher outros R$ 811 mil pelo débito de FGTS de fisioterapeutas, totalizando R$ 32,4 milhões de FGTS devido apurado na ação fiscal, ao longo da qual foram lavrados 158 autos de infração. A empresa teve concedido prazo de 10 dias para apresentação de recurso em relação a cada um dos autos.

 

Ministério do Trabalho
Assessoria de imprensa

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Auditores resgatam 38 trabalhadores de garimpo ilegal no Pará

Uma operação do Grupo Móvel de Erradicação do Trabalho Escravo resgatou na sexta-feira (17), de um garimpo clandestino na reserva florestal Amana, no Pará, 38 trabalhadores submetidos a rotinas degradantes, com jornadas exaustivas, sem carteira assinada nem condições mínimas de segurança e saúde. Eles viviam em cabanas improvisadas no meio da floresta. Todos tinham sido contratados para exploração de ouro pela proprietária da fazenda.

A exploração, conhecida como Garimpo do Coatá, fica no km 302 da Rodovia Transamazônica, próximo ao município de Jacareacanga, no sudoeste do Pará. O garimpo era utilizado há vários anos no interior da fazenda, em uma área de 224 hectares, com dez frentes de trabalho. A área é de preservação ambiental.

Segundo informações do Instituto Chico Mendes de Conservação e Bioversidade (ICMBio), que participou da operação junto com o Ministério do Trabalho, o Ministério Público do Trabalho, o Ministério Público Federal, a Defensoria Pública da União, com apoio do Batalhão de Policiamento Ambiental da Polícia Militar do Pará, a dona do garimpo declarou deter direito de uso de uma área de 76,5 mil hectares na reserva florestal.

Com a atividade do garimpo, a proprietária da fazenda recrutava trabalhadores para exploração de ouro no local. Ela oferecia uma porcentagem de 15% como pagamento. Nas várias frentes de trabalho, os auditores-fiscais encontraram garimpeiros, cozinheiras e ajudantes que dividiam, entre si, geralmente em grupos de quatro pessoas, o pequeno lucro da exploração. A maioria, porém, tinha dívidas na cantina da sede da fazenda, onde adquiriam produtos de consumo diário, comida e bebida literalmente a preço de ouro.

Um garimpeiro entrevistado pelos auditores disse que era cabeleireiro em Jacareacanga e largou tudo para trabalhar no garimpo. Conta que tudo lá era cobrado a peso de ouro. “A carne custa 3 gramas; a cachaça, 1 grama, e assim por diante. A proprietária oferece apenas arroz e feijão. O restante, ela vende aos trabalhadores, com preços muito acima dos de mercado. O fumo custa aqui R$ 10 em ouro, enquanto na cidade pode ser encontrado por R$ 5”, relatou.

Tudo é anotado num caderno. O acerto é feito quando o empregado vai embora. No entanto, muitos estão presos ao trabalho no garimpo em função das dívidas contraídas em produtos de subsistência. A água que consumiam era proveniente de igarapés, e, para as necessidades fisiológicas, havia banheiros improvisados no mato.

Dona Maria, que é cozinheira de um grupo, recebe 20 gramas de ouro por mês pelo trabalho de servir aos garimpeiros. “Eu, quando recebo, vendo o ouro para empresas compradoras de ouro no local”, afirma. “Mas em depoimentos colhidos pelos auditores foi constatado que a proprietária se oferecia para comprar o ouro deles a R$ 100 o grama. No mercado, o preço é cotado a R$ 150”, explica o coordenador operacional do Grupo Móvel, Maurício Krepsky.

O local é de difícil acesso, a quase 100 km de Jacareacanga, município mais próximo, e a 300 km de Itaituba pela Rodovia Transamazônica. Existe apenas uma estrada de 24 km para chegar à sede da propriedade. Para ir às frentes de trabalho é ainda mais complicado. Os garimpos ficam dentro da floresta e as estradas de acesso estão em péssimas condições. Quando chove muito, fica intransitável, mesmo para veículos 4×4.

“Nossa equipe teve muito trabalho para chegar às frentes de trabalho, devido às péssimas condições do trajeto, com muita lama e árvores caídas no caminho. O calor é desgastante e não era oferecido aos trabalhadores condições mínimas de atividade e alojamento. Eles tinham que laborar das seis da manhã às seis da tarde, de domingo a domingo, com pequenos intervalos de almoço realizado em cabanas de plástico improvisadas”, ressalta Krepsky.

Havia também, segundo o auditor, a exploração sexual das cozinheiras. “O valor do programa também era retido pela proprietária do garimpo para devolução apenas quando as cozinheiras fossem embora. Caso um garimpeiro fosse deixar o garimpo sem a quitação da dívida com os programas e não houvesse saldo suficiente de sua produção, esse prejuízo era suportado unicamente pelas cozinheiras, sem o ressarcimento pela proprietária do garimpo”.

Segundo Krepsky, era cobrado dos trabalhadores até o valor do transporte da cidade de Itaituba até a entrada do garimpo. “E para transportar o trabalhador de moto ou carro da entrada do garimpo até a sede do garimpo, ou vice-versa, era cobrado pela empregadora o valor de 2 gramas de ouro (R$ 200) para percorrer uma distância de 26 km”.

Nas frentes, os trabalhadores moram em barracos improvisados e cobertos por lona preta, sujeitos a intempéries e picadas de mosquitos. Seu José, um dos garimpeiros resgatados, conta que foi acometido pela malária várias vezes. “Já peguei duas vezes numa mesma semana”, disse o trabalhador.

Nenhum deles tem carteira assinada e recebem seu pagamento em um percentual do ouro que consegue achar. A maior parte fica com a proprietária da fazenda, que não fornece nenhum equipamento de segurança e cobra por tudo que fornece, inclusive para entrada na propriedade.

Com base nos depoimentos colhidos nas frentes de serviço e nas condições encontradas, o grupo decidiu pela retirada de todos os trabalhadores e autuar a dona da fazenda por uso de mão de obra análoga à de escravo. Todo o transporte dos trabalhadores e sua acomodação em Itaituba, aonde foram levados para aguardar o pagamento das rescisões e direitos trabalhistas devidos, foi custeado pela proprietária, que terá ainda, conforme imposto pelo Ministério Público do Trabalho, de arcar com dano moral e coletivo.

Dano ambiental – A ação, que culminou no maior resgate de trabalhadores em extração de minérios e metais preciosos pelo GMóvel, teve a participação efetiva do ICMBio, órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, que fiscaliza as UCs do Bioma da Amazônia e, junto com a área de inteligência da Inspeção do Trabalho, vem realizando o monitoramento das atividades no local desde 2014. “As atividades ilegais de garimpo na reserva florestal já ocorrem há bastante tempo. O grupo, após o flagrante nas frentes em atividade, decidiu também pela interdição imediata das frentes de trabalho, e o maquinário, avaliado em mais de R$ 1 milhão, foi apreendido pelo instituto”, explicou Diego Rodrigues, chefe do setor de Proteção do ICMBio.

Segundo o ICMBio, a área total da fazenda, declarada pela proprietária, é de 76.503,00 ha. A área explorada pelo garimpo chega a 224 ha. Todo o local, onde estava havendo a exploração ilegal de minério, foi embargado, e os equipamentos usados na exploração do garimpo, destruídos, ficando a proprietária sujeita às autuações por grave dano ambiental. Foi confirmada a infração ambiental (Art. 45 do Dec. 6514/2008), que proíbe extrair de florestas de domínio público ou áreas de preservação permanente sem prévia autorização, seja pedra, área, cal ou quaisquer espécies de minerais. Foram aplicadas também sansões administravas e medidas cautelares com multa no valor de R$ 4.880.000,00 e apreensão dos equipamentos utilizados na infração ambiental, avaliados em R$ 1.024.000,00, além do embargo das atividades de extração mineral ilegal.

As rescisões trabalhistas calculadas pela auditoria fiscal do Ministério do Trabalho chegam a R$ 366 mil. Também foram emitidas notificações por descumprimento da legislação trabalhista e de segurança e saúde. Todos os trabalhadores resgatados receber três parcelas do seguro-desemprego a que têm direito.

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Público lota Praça São Sebastião para abertura da segunda edição da Feira Literária de Codó

Nagib ao lado da Pprofessora Luiza de Alencar Oliveira, autora do hino de Codó

A segunda Feira literária de Codó, a FLIC 2018, foi oficialmente aberta na última quarta-feira (22) na Praça de São Sebastião. Na cerimônia estavam presentes autoridades, como o prefeito Francisco Nagib, secretário de educação Paulo Buzar, secretários de governo e representantes do Legislativo, como o vereador Pastor Max. Também participaram do evento, educadores, estudantes e a comunidade em geral. A homenageada da noite foi a professora Luiza de Alencar Oliveira, autora do hino de Codó, que na oportunidade recebeu uma Placa e flores do prefeito Nagib.

“Estou muito emocionada e feliz por participar de um momento tão especial da educação de Codó. A composição do hino de Codó foi uma declaração de amor e gratidão, pois fui muito bem recebida aqui, pela natureza deste município e seu povo maravilhoso. Codó sempre me proporcionou momentos maravilhosos e me sinto muito compensada por isso. sempre soube que essa gestão e o prefeito teria a garra e a energia necessária para fazer uma educação de qualidade a nossas crianças, jovens, adulto e também aos idosos. Parabéns a todos!”, agradeceu a homenageada da 2ª FLIC.

Idealizada pela gestão Mais Avanço, Mais Conquistas, por maio da Secretaria de Educação Ciência, Tecnologia e Inovação, a Feira literária vai até o dia 25 de agosto, com uma programação bem diversificada e apresentações de mais de 45 escolas da rede municipal de ensino, além de cursos, palestras e oficinas para a comunidade estudantil de Codó e região. O público poderá contar com o lançamento de livros e apresentações culturais.

“Mais um grande paço dado e um avanço significativo para a educação que tanto desejamos. Permitir o maior acesso a leitura e a escrita é fomentar cada vez mais a transformação de nossas crianças e jovens e cidadãos melhores e mais esclarecidos e conscientes de seu papel na sociedade. Codó já enfrentou tempos difíceis na educação, mas agora dá saltos positivos, e a Feira Literária de Codó é um exemplo da consolidação desses novos tempos. Por isso vamos abraçar esse idéia e lutar para torna-l a Lei e que os próximos gestores continuem entendendo e investindo neste evento tão importante para nossa cidade”, afirmou o vereador Pastor Max.

“A idéia da Feira Literária de Codó surge em um cenário de muitos investimentos na educação, por parte do governo municipal e da necessidade de melhorarmos nosso IDEB. A feira é mais uma frente de investimentos, assim como a reforma e ampliação de nossa rede d ensino, aquisição de quinze ônibus escolares, compra de uniformes e materiais. Ou seja, estamos trabalhando para dar um grande salto na educação como um todo. As nossas crianças e nossos jovens gostam de ler e o nosso papel é incentivar cada vez mais”, disse o secretário de educação Paulo Buzar.

A FLIC já é um grande sucesso, contando com a participação de diversas livrarias do Maranhão e Piauí. A feira objetiva o incentivo a leitura a escrita e a formação de uma nova geração de amantes da literatura. “Bem vindos ao maravilhoso mundo mágico da leitura e do conhecimento em nossa segunda edição da Feira Literária de Codó. a FLIC é um projeto de nossa gestão e executado com muita competência pelo secretário Paulo Buzar e sua equipe. Estamos investindo muito em educação, em todas as áreas, como novas escolas, reformas, novos veículos e a FLIC é um grande instrumento de incentivo a leitura para nossas crianças e

jovens. Teremos uma programação com palestras de renomados autores, exposições de arte e uma série de atrações. Tenho certeza que é um projeto que renderá grandes frutos num futuro próximo”, concluiu o prefeito Nagib.

Ascom – PMC

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Secretário Marcelo Coelho fará visita técnica e anunciará inauguração do Parque Ambiental de Codó

Nesta quinta-feira (23) o Secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais, Marcelo Coelho, estará em Codó. O secretário chega as 9hs, juntamente com técnicos e engenheiros para uma visita técnica. Juntamente com o prefeito Nagib, Marcelo Coelho também anunciará a data de inauguração do Parque ambiental de Codó, localizado na região da Trizidela. O Parque Ambiental de Codó será o novo cartão-postal da cidade e um dos melhores espaços de lazer do Maranhão. O Complexo terá quadras poliesportivas, quadras de areia, pistas para caminhadas, pista de atletismo, playground e academias ao ar livre.

Em breve mais informações.

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Estados Unidos criam 157 mil vagas em julho e taxa de desemprego cai para 3,9%

TOPSHOT – US President Donald Trump speaks during a campaign rally at the Florida State Fairgrounds Expo Hall in Tampa, Florida, on July 31, 2018. / AFP PHOTO / SAUL LOEB

Os Estados Unidos criaram 157 mil empregos em julho, segundo dados com ajustes sazonais publicados hoje pelo Departamento do Trabalho. O resultado ficou fora do intervalo das estimativas de analistas ouvidos pelo Estadão/Broadcast, que previam geração de 175 mil a 250 mil vagas e abaixo da mediana, que apontava para criação de 193 mil postos de trabalho em julho.

Por outro lado, a taxa de desemprego caiu de 4,0% em junho para 3,9% em julho, em linha com a previsão.

Embora o resultado de julho tenha ficado abaixo das projeções, o resultado de junho foi revisado de 213 mil para 248 mil. Em maio, a revisão passou de 223 mil vagas criadas para 268 mil. Ambos os aumentos resultaram em ganho líquido de 59 mil no período.

O salário médio por hora dos trabalhadores subiu 0,26% no mês passado ante junho, ou US$ 0,07, para US$ 27,05 por hora. O dado veio acima da previsão do Broadcast e do The Wall Street Journal, de acréscimo de 0,20%. Na comparação anual, o aumento foi de 2,7%.

A taxa de participação da força de trabalho ficou estável em relação a junho, em 62,9% em julho. O indicador subiu de uma baixa recente de 62,3% em 2015 e se estabilizou nos últimos anos na faixa entre 62,6% e 63%.

O mês de julho marcou o 95º mês seguido de criação de empregos nos EUA, a série mais longa da história./Com Dow Jones Newswires.

O Estadão

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

No Maranhão, 216,5 mil crianças precisam ser vacinadas contra a pólio e o sarampo

No Estado do Maranhão, 216,5 mil crianças de um ano a menores de cinco precisam buscar os postos de saúde para receber a vacina contra a pólio e sarampo. Até esta quarta-feira (22), cerca de 56,6% do público-alvo do Estado recebeu a vacina contra essas doenças. A Campanha Nacional Contra a Poliomielite e Sarampo está na reta final da. Em todo o país, cinco milhões de crianças ainda precisam ser vacinadas. A última atualização dos Estados aponta que 56% das crianças do país estão protegidas contra as doenças. No total, 12,5 milhões de doses das vacinas foram aplicadas contra a pólio e sarampo (cerca de 6,2 milhões de cada). A meta do Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 95% das 11,2 milhões de crianças independente da situação vacinal delas e criar uma barreira sanitária de proteção da população brasileira.

“O prazo para término da campanha está se aproximando, é 31 de agosto. Convocamos pais e responsáveis a levarem as crianças que ainda não foram vacinadas, independente da situação vacinal anterior, já que neste ano a campanha é indiscriminada. O esforço do país é impedir que doenças já eliminadas não retornem o Brasil. Esse é um trabalho de toda a sociedade”, ressalta o ministro da Saúde, Gilberto Occhi.

Para a poliomielite, as crianças que ainda não tomaram nenhuma dose da vacina na vida serão vacinadas com a Vacina Inativada Poliomielite (VIP). As crianças que já tiverem tomado uma ou mais doses receberão a gotinha (Vacina Oral Poliomielite – VOP). Em relação ao sarampo, todas as crianças devem receber uma dose da vacina tríplice viral, independente da situação vacinal. A exceção é para as que tenham sido vacinadas nos últimos trinta dias, que não necessitam de uma nova dose.

Entre os estados com menor cobertura, estão o Rio de Janeiro, com 36,27% do público-alvo vacinado para pólio e 37,62% para sarampo, e Pará, que tem 41,04% pólio e 41,04% sarampo. Os estados que estão com as melhores coberturas vacinais são: Rondônia, com 88,89% para a pólio e 87,42% para o sarampo, seguido por Amapá com 82,74% pólio e 82,58% sarampo.

O Ministério da Saúde oferta todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Ao todo, são 19 para combater mais de 20 doenças, em todas as faixas etárias. Por ano, são cerca de 300 milhões de doses de imunobiológicos distribuídos em todo o país.

Casos de sarampo

Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo, em Roraima e Amazonas. Até o dia 21 de agosto, foram confirmados 1.087 casos de sarampo no Amazonas, e 6.693 permanecem em investigação. Já o estado de Roraima confirmou 300 casos da doença e 67 continuam em investigação. Entre os confirmados, 9 casos foram atendidos no Brasil e estão recebendo tratamento, mas residem na Venezuela.

Os surtos estão relacionados à importação, já que o genótipo do vírus (D8) que está circulando no país é o mesmo que circula na Venezuela, país que enfrenta um surto da doença desde 2017. Alguns casos isolados e relacionados à importação foram identificados nos estados de São Paulo (2), Rio de Janeiro (18); Rio Grande do Sul (16); Rondônia (1), Pernambuco (2) e Pará (2). O Ministério da Saúde permanece acompanhando a situação e prestando o apoio necessário aos Estados. Cabe esclarecer que as medidas de bloqueio de vacinação, mesmo em casos suspeitos, estão sendo realizadas em todos os estados.

Sarampo no mundo

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os casos de sarampo chegaram a um número recorde na Europa. Os dados, divulgados pela organização nesta segunda-feira (20/08), apontam que mais de 41 mil crianças e adultos na Região Europeia foram infectados com sarampo nos primeiros seis meses de 2018. O número total de casos para esse período excede os 12 meses reportados em todos os outros anos desta década.

Desde 2010, o ano de 2017 foi o que teve o maior número de casos: 23.927. Em 2016, registrou-se a menor quantidade: 5.273. Além disso, pelo menos 37 pessoas morreram devido à doença neste ano. Sete países da região tiveram mais de uns mil casos neste ano (França, Geórgia, Grécia, Itália, Rússia, Sérvia e Ucrânia). A Ucrânia foi a mais atingida com mais de 23 mil pessoas afetas, o que representa mais da metade da população do país.

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.