Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Bolsonaro dispensa voto de quem pratica a violência

O candidato do PSL à presidência, Jair Bolsonaro, usou suas contas nas redes sociais na noite desta quarta-feira (10) para condenar as agressões contra eleitores adversários.

“Dispensamos voto e qualquer aproximação de quem pratica violência contra eleitores que não votam em mim. A este tipo de gente peço que vote nulo ou na oposição por coerência”, afirmou ele em postagens divulgadas no Facebook e Twitter.

O posicionamento de Bolsonaro foi tomado após relatos de casos de violência atribuídas por eleitores adversários a apoiadores do deputado.

Bolsonaro ainda utilizou as redes para pedir que as autoridades “tomem as medidas cabíveis” contra os atos de violência e “caluniadores” que tentam prejudicar a campanha dele.

Dispensamos voto e qualquer aproximação de quem pratica violência contra eleitores que não votam em mim. A este tipo de gente peço que vote nulo ou na oposição por coerência, e que as autoridades tomem as medidas cabíveis, assim como contra caluniadores que tentam nos prejudicar.

Pesquisa: Bolsonaro tem 54% dos votos válidos; Haddad, 46%

Na primeira pesquisa eleitoral do segundo turno, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL)lidera a corrida pelo Palácio do Planalto com 54% das intenções de votos válidos. O petista Fernando Haddad tem 46%. O levantamento foi feito pela consultoria de pesquisa Ideia Big Data em parceria com VEJA.

A pesquisa ouviu presencialmente 2.036 eleitores das cinco regiões do país entre a última segunda e esta quarta-feira. A margem de erro é de 2,67% pontos percentuais para mais ou para menos. O número de registro no TSE é BR-09687/2018.

Bolsonaro chegou ao segundo turno com a preferência de 46,03% do eleitorado (ou 49,2 milhões de votos). Haddad teve 29,28% dos votos válidos (31,3 milhões de votos).

Ao considerar as respostas totais dos entrevistados, Bolsonaro tem 48% das intenções dos eleitores, enquanto Haddad, 41%. Votos brancos e nulos somam 7%, enquanto indecisos ou que não responderam atingiram 4%.

Aluisio Mendes mais que dobra votação e sai fortalecido das eleições

O deputado federal reeleito Aluisio Mendes (PODE) saiu fortalecido e confirmou a consolidação de seu nome junto ao eleitorado maranhense no pleito deste ano. Com 105.778 votos, ele mais que dobrou a própria votação, se comparado com o total registrado em 2014, quando obteve 50.658 votos. Com o expressivo crescimento, ele saltou do décimo oitavo mais votado há quatro anos para o oitavo representante maranhense na Câmara, nestas eleições, em número de votos.

O saldo positivo é explicável: desde o início do primeiro mandato e durante toda a campanha eleitoral, vários municípios foram visitados pelo parlamentar, sempre reforçando nestes locais o empenho de abraçar bandeiras de serviços essenciais.

Pastor Carlos que foi quem apoiou a reeleição de Aluisio Mendes em Codó

Para o deputado, que é um dos líderes da Bancada da Lava Jato no Congresso Nacional, o resultado obtido nas urnas mostra que o Maranhão acredita em seu trabalho. “Quero agradecer aos mais de 105 mil votos recebidos na eleição deste ano. Essa votação é a prova de que o povo do nosso estado acredita em nosso trabalho. Podem ter certeza de que continuarei trabalhando, sempre em busca de benefícios para toda a população. Esta é a minha obrigação e o meu compromisso. Me dedicarei ao máximo para cumprir com estas metas e para honrar toda essa confiança”, disse.

“Com esta votação tão expressiva nossa responsabilidade aumenta. Se já mostramos ações positivas no primeiro mandato, será necessário mostrar ainda mais nos próximos quatro anos. Não medirei esforços para trazer mais benefícios, assim como fizemos na segurança, infraestrutura, agricultura, previdência, esporte e lazer, saúde e em outros setores”, finalizou Aluisio Mendes.

Nota ao povo do Maranhão

Em primeiro lugar agradeço `a minha família que sempre esteve ao meu lado. Estendo os meus agradecimentos aos candidatos a deputados estaduais, federais e senadores da nossa Coligação “União e Coragem para Fazer um Maranhão Melhor”. Agradeço também aos amigos, lideranças, apoiadores, a nossa militância e ao povo maranhense pela enorme acolhida e carinho que recebi nas ruas por onde passei.

Construí essa campanha eleitoral com base em dois eixos fundamentais: preparar o Maranhão e os maranhenses. No meu Caderno de Ideias, apresentei propostas em todas às áreas, como saúde, educação, segurança pública, infraestrutura, agricultura, turismo, programas sociais e, principalmente, para o desenvolvimento socioeconômico – por meio da dinamização da atividade econômica, geração de empregos e melhoria nas condições de vida das famílias maranhenses.

Como senador da República pelo Maranhão, o nosso mandato continuará a serviço do povo maranhense, lutando sempre para melhorar cada vez mais a vida das pessoas e do nosso País.

Roberto Rocha

Senador da República (PSDB-MA)

‘Efeito’ Bolsonaro faz PSL multiplicar senadores e deputados federais em Brasília

Impulsionado por Jair Bolsonaro, candidato mais votado do primeiro turno na eleição presidencial no Brasil – 49,2 milhões de votos (46,05%) –, o Partido Social Liberal (PSL) elegeu até o fechamento desta edição 52 deputados federais e quatro senadores em 16 estados.

Em São Paulo, o filho de Jair, Eduardo Bolsonaro, liderou a corrida para a Câmara, com cerca de 1,8 milhão de votos. Em segundo lugar ficou a jornalista Joice Hasselmann, com mais de 1 milhão. Somados, os números correspondem a 13,85% dos votos válidos no estado.

Os dois candidatos de Bolsonaro no estado saíram na frente do apresentador de televisão Celso Russomanno (PRB), o mais votado na disputa em 2014. Neste ano, ele recebeu cerca de 497 mil votos. Depois dele, aparece outro líder dos protestos pró-impeachment de Dilma Rousseff (PT), Kim Kataguiri (DEM), do MBL, com mais de 440 mil votos. Ele desbancou o palhaço Tiririca (PR), que também foi reeleito. Ainda em São Paulo, Bolsonaro conseguiu mais sete apoiadores, como o ator Alexandre Frota (cerca de 155 mil) e o empresário Luiz Philippe de Órleans e Bragança (mais de 118 mil), descendente dos imperadores Dom Pedro I e Dom Pedro II.
Completam a lista Coronel Tadeu (98,3 mil), Junior Bozzella (78,7 mil), Carla Zambelli (76,3 mil), General Peterinelli (74 mil) e Abou Anni (69 mil).
No Rio de Janeiro, estado pelo qual Bolsonaro é deputado federal e concentra sua maior força eleitoral, o subtenente do Exército Hélio Fernando Barbosa Lopes liderou a corrida rumo à Câmara dos Deputados, com mais de 345 mil votos. Vereador por Niterói, Carlos Jordy alcançou a quarta colocação no estado, com 204 mil votos. Do PSL, o empresário Luiz Lima ficou em oitavo, com mais de 115 mil votos, seguido pelo delegado Antônio Furtado (10º, com 104,2 mil), Sargento Gurgel (19º, com 63 mil), Major Fabiana (21º, com 57,6 mil), delegado Felício Laterça (30º, com 48 mil), Márcio Labre (31º, com 47 mil), Lourival Gomes (34º, com 41,3 mil), Chris Tonietto (37º, com 38,5 mil), Professor Joziel (40º, com 34,7 mil) e Daniel Silveira (41º, com 31,8 mil). Os 12 parlamentares representam 26% das 46 cadeiras do Rio em Brasília.
MINAS GERAIS

Em Minas Gerais, Marcelo Álvaro Antônio foi o candidato a deputado federal mais votado, com cerca de 230 mil, número correspondente a 2,28% dos mais de 15,6 milhões de votos válidos. O cabo da Polícia Militar Junio Amaral recebeu 158,5 mil votos e ficou em sétimo na lista mineira. Ele também será um dos 53 representantes do estado no Plenário em Brasília.
O PSL só não conseguiu candidatos entre os 10 mais votados no Distrito Federal e em seis estados (MA, PA, PI, RS, SE e TO). O senador Aécio Neves (PSDB-MG), que em 2014 disputou a Presidência, foi eleito na Câmara com 105 mil votos.
Para o senado, o filho primogênito de Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, foi o preferido de 31,36% dos eleitores que escolheram algum candidato no Rio de Janeiro: mais de 4,3 milhões. Já em São Paulo, o oficial da Polícia Militar Major Olímpio ficou em primeiro, com 25,81%: 9 milhões. O PSL ainda fez duas senadoras: Soraya Thronicke, no Mato Grosso do Sul, e a juíza Selma Arruda, no Mato Grosso. Senadores como o Edison Lobão (MDB/MA), Garibaldi Alves (MDB/RN), Eduardo Suplicy (PT-SP) e Eunício Oliveira (MDB/CE) não conseguiram se reeleger.
Lista de candidatos eleitos do PSL, partido de Jair Bolsonaro, para o Senado e a Câmara  dos Deputados
SENADO – 4
 
Major Olímpio (SP) – 9.039.645 (1º)
Flávio Bolsonaro (RJ) – 1.843.715 (1º)
Soraya Thronicke (MS) – 373.712 (2º)
Juíza Selma Arruda (MT) – 678.542 (1º)
 
CÂMARA DOS DEPUTADOS

Amazonas – 1
 
Delegado Pablo – 151.645 (2º)
 
Espírito Santo – 1
 
Dra. Soraya Manato – 57.741 (6º)
 
Goiás – 2
 
Delegado Waldir – 274.406 (1º)
Major Vitor Hugo – 31.190 (17º)
 
Mato Grosso – 1
Nelson Barbudo – 126.249 (1º)
 
Mato Grosso do Sul – 2
 
Tio Trutis – 56.339 (5º)
Dr. Luiz Ovando – 50.376 (7º)
 
Minas Gerais – 6
 
Marcelo Álvaro Antônio – 229.630 (1º)
Cabo Junio Amaral – 158.273 (7º)
Delegado Marcelo Freitas – 57.868 (46º)
Charlles Evangelista – 51.616 (48º)
Léo Motta – 51.014 (49º)
Alê Silva – 47.840 (51º)
 
Paraíba – 1
 
Julian Lemos – 71.899 (10º)
 
Pernambuco – 1
 
Luciano Bivar – 117.943 (7º)
 
Paraná – 3
Felipe Francischini – 241.537 (2º)

Filipe Barros – 75.326 (24º)
Aline Sleutjes – 33.628 (30º)
 
Rio de Janeiro – 12
 
Hélio Fernando Barbosa Lopes – 345.234 (1º)
Carlos Jordy – 204.048 (4º)
Luiz Lima – 115.119 (8º)
Antônio Furtado – 104.211 (10º)
Sargento Gurgel – 62.089 (19º)
Major Fabiana – 57.611 (21º)
Felício Laterça – 47.065 (30º)
Márcio Labre – 46.934 (31º)
Lourival Gomes – 41.307 (34º)
Chris Tonietto – 38.503 (37º)
Professor Josiel – 34.724 (40º)

Daniel Silveira – 31.789 (41º)
 
Rondônia – 1
 
Coronel Christósomo – 28.344 (8º)
 
Roraima – 1
 
Nicoletti – 12.969 (4º)
 
Rio Grande do Norte – 1
 
General Girão – 81.640 (6º)
 
Rio Grande do Sul – 3
Bibo Nunes – 91.664 (21º)
Sanderson Ferral – 88.559 (23º)
Nereu Crispin – 32.200 (31º)
 
Santa Catarina – 4
 
Daniel Freitas – 142.571 (2º)
Caroline de Toni – 109.363 (4º)
Fábio Schiochet – 87.345 (7º)
Coronel Armando – 60.069 (14º)
 
São Paulo – 10
 
Eduardo Bolsonaro – 1.843.715 (1º)
Joice Hasselmann – 1.078.659 (2º)
Alexandre Frota – 155.522 (16º)
Luiz Philippe de Órleans e Bragança – 118.456 (33º)
Coronel Tadeu – 98.373 (43º)
Junior Bozzella – 78.712 (54º)
Carla Zambelli – 76.306 (57º)
General Peterinelli – 74.189 (60º)
Abou Anni – 69.254 (63º)

Guiga Peixoto – 31.718 (70º)

Eduardo Bolsonaro supera Enéas e é o deputado federal mais votado da História do país

RIO – Com 95% dos votos apurados em São Paulo, Eduardo Bolsonaro (PSL) tornou-se o deputado federal mais votado da História do país. O filho de Jair Bolsonaro, candidato à Presidência pelo PSL, recebeu 1.751.748 votos, superando três campeões de votos em eleições passadas: Enéas Carneio, do PRONA, que teve 1.573.642 votos em 2002. Logo em seguida vinha Celso Russomanno(PRB), com 1.524.361 votos em 2014, e Tiririca, com 1.353.820.

A votação representa um crescimento de 2030% para Eduardo Bolsonaro, que foi o 61º mais votado em São Paulo na eleição de 2014 – a primeira que disputou, com apenas 82.224.

A segunda mais votada no estado também é do PSL: Joyce Hasselmann, com aproximadamente 1 milhão de votos.

Fonte:O Globo

Jair Bolsonaro e Fernando Haddad disputarão o segundo turno

Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) disputarão em segundo turno, marcado para o dia 28 de outubro, a Presidência da República. Com 99,99% das urnas apuradas, o candidato do PSL tinha 49.275.358 votos válidos (46,03%)  contra 31.341.839 (29,28%) do petista. Ciro Gomes (PDT) ficou na terceira posição, com 13.344.074 (12,47%) dos votos.

O PSDB, que disputou o segundo turno nas quatro últimas eleições (2002, 2006, 2010 e 2014), amargou a quarta posição neste ano com o candidato Geraldo Alckmin, que obteve 5.096.277 (4,76%) dos votos válidos. Marina Silva, que em 2014 chegou em terceiro, agora ficou em oitavo, com 1.069.538 (1%) dos votos.

Os candidatos que disputam o segundo turno têm perfis diferentes não só nas propostas como na trajetória política. Capitão da reserva do Exército, Bolsonaro foi deputado federal pelo Rio de Janeiro por 27 anos e acumula críticas em relação a discussões sobre questões de gênero, sexualidade e direitos humanos, além de defender a militarização de escolas e o armamento da população.

 Já o professor universitário Fernando Haddad foi ministro da Educação e prefeito de São Paulo. Substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja candidatura foi barrada pelo TSE por causa das condenações por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em segunda instância, Haddad concentrou sua campanha no primeiro turno na defesa dos feitos da gestão de Lula e prometeu retomar o desenvolvimento econômico com inclusão social.

O novo presidente será conhecido na noite de 28 de outubro. A posse está marcada para 1º de janeiro de 2019.

Confira os números*

  • Jair Bolsonaro (PSL): 46,03%
  • Fernando Haddad (PT): 29,28%
  • Ciro Gomes (PDT): 12,47%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 4,76%
  • João Amoêdo (Novo): 2,50%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 1,26%
  • Henrique Meirelles (MDB): 1,20%
  • Marina Silva (Rede): 1,00%
  • Alvaro Dias (Podemos): 0,80%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 0,58%
  • Vera (PSTU): 0,05%
  • Eymael (DC): 0,04%
  • João Goulart Filho (PPL): 0,03%

*Valores com 99,99% das urnas apuradas

Veja a relação dos deputados estaduais eleitos no Maranhão

COLIGAÇÃO FEZ 26 DEPUTADOS PDT / PCdoB / PSB / PRB / PR / DEM / PP / PTC / AVA (54,82% – 1.769.445)

DETINHA (PR)
87.870 votos

DRA. CLEIDE COUTINHO (PDT)
65.427 votos

DUARTE JUNIOR (PCdoB)
65.124 votos

ZÉ GENTIL (PRB)
62.180 votos

OTHELINO NETO (PCdoB)
58.308 votos

MARCIO HONAISER (PDT)
56.122 votos

DRA. THAIZA (PP)
51.748 votos

CARLINHOS FLORÊNCIO (PCdoB)
49.714 votos

NETO EVANGELISTA (DEM)
49.455 votos

MARCELO TAVARES (PSB)
47.752 votos

PROFESSOR MARCO AURÉLIO (PCdoB)
47.683 votos

ANDREIA REZENDE (DEM)
47.249 votos

EDSON ARAUJO (PSB)
45.626 votos

RAFAEL LEITOA (PDT)
45.462 votos

ANA DO GÁS (PCdoB)
44.288 votos

ADELMO SOARES (PCdoB)
43.895 votos

GLALBERT CUTRIM (PDT)
42.654 votos

PAULO NETO (DEM)
41.575 votos

DANIELLA TEMA (DEM)
40.444 votos

DR. YGLESIO (PDT)
39.609 votos

VINICIUS LOURO (PR)
39.321 votos

HELIO SOARES (PR)
38.324 votos

ANTONIO PEREIRA (DEM)
37.888 votos

CIRO NETO (PP)
36.668 votos

FABIO MACEDO (PDT)
34.839 votos

RICARDO RIOS (PDT)
33.176 votos

COLIGAÇÃO FEZ 5 DEPUTADOS MDB / PV / PSD / PSC / PMB / PRP (11,58% 373.627)

ADRIANO SARNEY (PV)
50.572 votos

RIGO TELES (PV)
42.131 votos

ARNALDO MELO (MDB)
35.958 votos

ROBERTO COSTA (MDB)
35.192 votos

CÉSAR PIRES (PV)
30.030 votos

COLIGAÇÃO FEZ 3 DEPUTADOS SD / PATRI (8,14% 262.803)

FERNANDO PESSOA (SD)
46.733 votos

RILDO AMARAL (SD)
33.234 votos

DRª HELENA DUAILIBE (SD)
31.131 votos

COLIGAÇÃO FEZ 2 DEPUTADOS PTB / PROS / PPS / PPL (4,39% 141.706)

MICAL DAMASCENO (PTB)
30.603 votos

PASTOR CAVALCANTE (PROS)
29.291 votos

PRTB SAIU SOZINHO E FEZ 2 DEPUTADOS

DR. LEONARDO SÁ
31.681 votos

FELIPE DOS PNEUS
21.691 votos

PSL SAIU SOZINHO E FEZ 1 DEPUTADO

PARÁ FIGUEIREDO
31.555 votos

PT SAIU SOZINHO E FEZ 1 DEPUTADO

ZE INACIO
31.603 votos

COLIGAÇÃO FEZ 1 DEPUTADO PMN / PHS (3,97% 128.087)

WENDELL LAGES (PMN)
22.983 votos

PSDB SAIU SOZINHO E FEZ 1 DEPUTADO

WELLINGTON DO CURSO
24.948 votos

REDE / PODE / DC (1,36% 43.891)

NÃO FEZ NENHUM DEPUTADO

PSOL / PCB (0,37% 12.005)

NÃO FEZ NENHUM DEPUTADO

Confira a lista dos deputados federais eleitos no Maranhão

COLIGAÇÃO FEZ 6 DEPUTADOS PCdoB / PRB / PPS / SD / PROS / PTC / PTB / PSB / DEM / AVA / PPL (29,90% – 977.763)

MÁRCIO JERRY (PCdoB)
134.221 votos

RUBENS JUNIOR (PCdoB)
111.581 votos

PEDRO LUCAS FERNANDES (PTB)
111.512 votos

CLEBER VERDE (PRB)
101.793 votos

BIRA DO PINDARÉ (PSB)
99.598 votos

JUSCELINO FILHO (DEM)
97.074 votos

COLIGAÇÃO FEZ 5 DEPUTADOS PDT / PP / PR / PATRI (26,49% – 866.310)

JOSIMAR MARANHÃOZINHO (PR)
195.701 votos

JUNIOR LOURENÇO (PR)
117.017 votos

ANDRE FUFUCA (PP)
105.582 votos

JUNIOR MARRECA FILHO (PATRI)
79.666 votos

GIL CUTRIM (PDT)
71.979 votos

COLIGAÇÃO FEZ 3 DEPUTADOS MDB / PV / PSD / PSC / PMB / PRP (15,76% – 515.381)

EDILAZIO (PSD)
106.559 votos

HILDO ROCHA (MDB)
77.631 votos

JOÃO MARCELO (MDB)
67.352 votos

COLIGAÇÃO FEZ 2 DEPUTADOS PMN / PHS (10,96% – 358.498)

EDUARDO BRAIDE (PMN)
189.834 votos

PASTOR GILDENEMYR (PMN)
47.756 votos

COLIGAÇÃO FEZ 1 DEPUTADO PSDB / REDE / PODE / DC (6,45% – 210.902)

ALUISIO MENDES (PODE)
105.777 votos

PT SAIU SOZINHO E FEZ 1 DEPUTADO

ZE CARLOS
76.893 votos

PSL / PRTB (4,62% – 151.100)

NÃO FEZ NENHUM DEPUTADO

PSOL / PCB (0,43% – 14.006)

NÃO FEZ NENHUM DEPUTADO

Balanço das Eleições 2018 no Maranhão

O resultado das eleições no Maranhão foi 100% totalizado às 3h39 deste domingo, 8 de outubro, após apuração das 15.830 seções de 5.742 locais de votação dos 217 municípios. Em coletiva, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Ricardo Duailibe, agradeceu o trabalho de todos os envolvidos no processo, enaltecendo o comprometimento do eleitor que não só compareceu como teve paciência para esperar sua vez de entrar na cabine para votar em 6 candidatos.

Nestas eleições 2018, o voto foi para deputado federal, deputado estadual, 2 senadores, governador e presidente. Para governador, venceu Flávio Dino com 59,29% e as duas vagas para senador foram preenchidas por Weverton Rocha e Eliziane Gama. Ainda foram eleitos 18 deputados federais e 42 deputados estaduais.

Durante todo o dia, o registro foi de tranquilidade, apesar de em alguns municípios, inclusive a capital, eleitores reclamarem de não saberem onde votar. “Em 2016, o TSE impôs aos TREs a extinção de várias zonas, mas isto não impactava o eleitor quanto ao local de votação de origem. Também temos a consciência limpa de que a Justiça Eleitoral pediu, por vários meses, em campanhas nacionais e locais, que o eleitor baixasse o aplicativo e-título, que buscasse informações em nosso site ou que fosse até o cartório para tirar a segunda via. Infelizmente, hoje, o que vimos foi muita gente procurando informação de última hora e as páginas oficiais não suportaram, ficando instáveis e não permitindo consultas. Ainda assim, mantivemos nosso 0800 098 5000 funcionando com a capacidade máxima e estávamos atendendo por telefone, além de presencialmente”, explicou o diretor-geral Flávio Costa.

Devido à influência das mídias sociais, muitas notícias falsas foram propagadas com facilidade, mas rapidamente combatidas pelos órgãos oficiais. “O eleitor não pode acreditar em tudo que lê e vê em rede social. Precisa checar fontes e, principalmente, não compartilhar antes de ter a verdade sobre aquilo esclarecido”, lembrou o presidente.

Por parte das forças de segurança, a avaliação foi positiva. O general Luiz Gonzaga Viana Filho, comandante da 22ª Brigada de Infantaria de Selva, que comandou do Maranhão as tropas daqui, do Pará e de Macapá, afirmou que nenhum incidente foi assentado por eles. Já a Polícia Militar, cujo efetivo empregado no pleito foi de 9.654 policiais, informou ter realizado 24 apreensões de material irregular de campanha, 9 por transporte irregular, 12 agressões que chegaram às vias de fato, 24 bebida alcoólica, 32 flagrantes, 38 boca de urna e 12 compras de voto, números considerados pequenos, considerando o tamanho do estado.

Quanto à votação, apenas nas seções 34, 35 e 36 de Vargem Grande foi preciso usar urnas de lona, isso porque a eletrônica foi encerrada às 17h por um equívoco da presidente de mesa.

Eleição para prefeito de Bacabal e 2º turno para presidente

O primeiro turno encerrou e os preparativos para o segundo turno iniciaram, já que terá disputa para o cargo de presidente entre os candidatos Jair Bolsonaro e Haddad no dia 28 de outubro, mesma data em que o Tribunal Superior Eleitoral autorizou o TRE-MA realizar eleição para prefeito da cidade de Bacabal, uma vez que o eleito em 2016 teve o registro de candidatura cassado.