Em 2017, Lula pediu para ser respeitado como o demônio

Em outubro de 2017, quando aguardava para ser preso após a condenação de nove anos e seis meses de prisão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez um longo discurso em Brasília, onde lembrou que, no passado, ele era temido “feito o demônio”.

Eu não tenho cara de demônio, mas quero que me respeitem como se eu fosse – declarou ele dizendo que em várias campanhas eleitorais, o prédio da Bolsa de Valores de São Paulo fechava as portas, quando havia uma passeata do PT na região.

Eles sabem que, comigo, a economia brasileira não vai ficar mais subordinada ao rentismo – disse o petista se referindo aos acionistas das bolsas de valores.

Nesse mesmo discurso, Lula ainda declarou que era mais favorável ao regime autoritário da Venezuela que levou a população para a extrema pobreza, do que a intervenção política dos Estados Unidos.

– Não concordo com tudo o que acontece na Venezuela, mas concordo menos com o “seu” Trump cuidando da Venezuela.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *