Inflação no Brasil tem destaque positivo entre as potenciais mundiais, aponta ranking

Após figurar como uma das inflações mais altas do mundo no começo do ano, o Brasil reverteu o cenário de aumento dos preços. Com a queda do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) nos últimos meses, o país registrou a sexta menor inflação em agosto entre os países do G20, grupo formado pelas maiores economias e emergentes, de acordo com levantamento da Austin Rating, publicado pela CNN Brasil.

De acordo com o levantamento, o Brasil apresenta um desempenho positivo em relação ao que vem sendo visto nos Estados Unidos e em países da Europa, onde o custo de vida chegou ao maior nível dos últimos 40 anos.

Segundo o ranking da Agência classificadora de Risco, o acumulado deste ano chegou a 4,4%, de janeiro a agosto. O índice é menor que o da União Europeia (7,6%), do Reino Unido (7,1%), da Alemanha (7%) e dos Estados Unidos (5,4%), motivado pela alta dos combustíveis, energia e preço do gás.

Já a Rússia, Argentina e Turquia lideram o ranking, com 14,3%, 78,5% e 80,2%, respectivamente, no acumulado do ano. De acordo com o economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini, no ano que vem o Brasil vai estar em uma posição ainda melhor do que a deste ano.

“A expectativa é que em maio de 2023 os juros iniciem um ciclo de queda, porém não tão acentuada devido aos fatores conjunturais da política de contenção da inflação. Medidas como o limite do teto do ICMS não é uma ação consistente que garante uma deflação por um longo prazo”, disse o economista à CNN Brasil.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *