Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Codo estreia na Copa BR com vitória sobre o Sabia de Caxias

Time do Codó

A equipe codoense jogou ontem, sábado, 05/08, em Caxias, contra o Sabiá Futebol Clube. O elenco formado por 42 atletas, dentre eles o veterano Jackson Coelho, e muitos atletas que destacaram na Copa de Futebol união de Bairros 2017.

Time do Sabia

O elenco codoense é comandado pelo ex-jogador Marcelo Sá, e tem nos bastidores, a LICOF comandada por Wilson Moraes e a Superintendência de Esportes, que tem a frente Junior Goiabeira, que dão o suporte logístio da equipe.
A equipe codoense se deslocou até Caxias e enfrentou a equipe local do Sabiá, obtendo a vitória por 3×1. Seu próximo compromisso na Copa BR será contra a seleção de Coroatá, no estádio Renê Bayma, em data ainda a ser marcada.
Campeonato Maranhense 2017
Ano que vem Codó terá uma equipe disputando o Campeonato Maranhense serie B,esta provavelmente será a equipe que estará disputando o campeonato Maranhense, depois de muitos anos teremos uma equipe codoense disputando o Maranhense.
Fredson Ricardo – CREF 217/g-PI

Zé Ricardo deixa o comando do Flamengo

Zé Ricardo não suportou a sequência de jogos sem vitória. Na noite deste domingo, após derrota por 2 a 0 para o Vitória, na Ilha do Urubu, o treinador deixou o comando do Flamengo. Efetivado no dia 26 de maio de 2016, Zé ficou 432 dias à frente do Rubro-Negro, com 47 triunfos, 25 empates e 17 derrotas.

A pressão por parte dos torcedores pela saída de Zé Ricardo era enorme. Nesta manhã, o técnico novamente foi alvo de manifestações com o revés na Ilha. No jogo, ele testou uma formação mais ofensiva, com apenas um volante, dois meias e três atacantes. Porém, novamente a equipe não conseguiu se impor.

O presidente Eduardo Bandeira de Mello e Rodrigo Caetano, diretor executivo do futebol rubro-negro, sempre foram favoráveis à manutenção do comandante. O mantiveram quando o time foi eliminado na primeira fase da Libertadores, por exemplo. Naquele momento, a pressão foi enorme. No entanto, as má exibições recentes, aliadas a falta de resultado, pesaram.

O Flamengo encerrou o primeiro turno do Brasileiro em quinto lugar, 18 pontos atrás do líder Corinthians. A distância para o lanterna, Atlético-GO, é menor – 17 pontos.

Zé Ricardo encerra a primeira experiência como treinador com 62,2% de aproveitamento e um título (Carioca), conquista no primeiro semestre deste ano.

Flamengo decepciona, perde para o Vitória e vê pressão aumentar

Zé Ricardo mudou o time, mexeu no esquema, barrou até Márcio Araújo. Mas o Flamengo tropeçou mais uma vez no Brasileirão. A decepção da vez foi em casa, na Ilha do Urubu, diante do Vitória. Um amargo 2 a 0 na manhã deste domingo, com direito a um erro do cara escalado justamente para fazer a função de Márcio Araújo: Willian Arão. Um golaço de Yago e posteriormente outro de Neílton, de pênalti, foram responsáveis por sacramentar a segunda derrota seguida do Fla na competição. A pressão sobre o técnico Zé Ricardo não para de crescer.

Com o resultado, o Flamengo parou nos 29 pontos e fica mais uma rodada fora do G4. Já o Leão, que deu mais uma remada na tentativa de sair da zona de rebaixamento, chegou aos 19 pontos. Na próxima rodada, o Flamengo visita o Atlético-MG no Mineirão. Já o Vitória recebe o Avaí no Barradão.

Apesar da derrota, o Flamengo não fez um primeiro tempo ruim. O próprio Willian Arão, que virou vilão por ter afastado muito mal a bola na jogada que gerou o gol do Leão, estava bem, desarmando muitas bolas e fazendo a proteção na defesa. O posicionamento de Arão foi uma das surpresas da escalação do Fla no jogo. Zé Ricardo ressuscitou o 4-1-4-1, trazendo Diego e Everton Ribeiro para o centro e usando Geuvânio na ponta direita. Assim, Márcio Araújo ficou fora do segundo jogo dele nos 19 que o Flamengo fez no primeiro turno do Brasileirão. Ele só não fora utilizado contra o Coritiba.

A tônica do comportamento do Flamengo foi similar aos jogos anteriores no sentido de ter muito mais posse de bola, girar o jogo, ficar a maior parte do tempo no campo de ataque, mas a dificuldade em acertar o alvo persistiu. Felipe Vizeu, que substituiu o machucado Guerrero, teve a chance mais clara, mas não chegou a tempo de alcançar um cruzamento açucarado de Everton. Uma cobrança de falta de Diego também tirou o “uh” da torcida.

Com o passar do tempo, no entanto, as chances de perigo do Fla ficaram mais escassas. O Vitória não fez muita coisa. Apesar foi eficiente ao aproveitar a chance mais clara, que foi o presente de Arão. A bola caiu na canhota e ele tentou afastar de primeira. Foi um presentaço para Yago, que acertou a bola na gaveta, aos 40 minutos da etapa inicial.

O gol derrubou a moral de Wllian Arão, que foi amparado pelos companheiros. Mas o Flamengo também sofreu como conjunto. No segundo tempo, nem sequer pressionar conseguiu. Ainda que o roteiro de posse de mola se mantivesse, vida relativamente tranquila para o time baiano.

Geuvânio, que não jogou bem, deu lugar a Berrío. Mas poucos minutos depois o Flamengo levou o segundo golpe. Réver derrubou Tréllez na área. Pela primeira vez desde que chegou ao Fla, Diego Alves teve a chance de defender um pênalti. Mas Neilton não se assustou e tirou o goleiro da foto.

O grito imediato que veio da arquibancada foi: “Fora, Zé Ricardo”.

O Flamengo se perdeu de vez no jogo. A torcida perdeu de vez a paciência. O placar não foi recuperado e a confiança do time também está longe de ser.

FLAMENGO 2 X 0 VITÓRIA
Local: Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 6/8/2017, às 11h
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)
Assistentes: Alex Ribeiro (SP) e Tatiane Camargo (Fifa-SP)
Cartões amarelos: Everton, Réver, Berrío (FLA); Wallace (VIT)
Gols: Yago, 40’/1ºT (0-1); Neilton, 20’/2ºT (0-2)
Renda/Público: 18.183 presentes 16.521 pagantes 1.099.895,00

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Rhodolfo, Réver e Trauco; Willian Arão (Lucas Paquetá, 36’/2ºT), Everton Ribeiro e Diego; Geuvânio (Berrío, 15’/2ºT), Everton (Vinícius Júnior, 25’/2ºT) e Felipe Vizeu. Técnico: Zé Ricardo

VITÓRIA: Fernando Miguel; Caíque Sá, Kanu, Wallace e Geferson; Ramon, Fellipe Soutto e Yago (Patric, 15’/2ºT); Neilton (Júnior, 27’/2ºT), David (Renê, 39’/2ºT) e Trellez. Técnico: Vagner Mancini

Fonte: lance

Brasileiro Caixa de Atletismo Sub-16 será em Fortaleza

Vitor e Ana Caroline, os destaques de 2016 (Wagner Carmo/CBAt)

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) confirmou, por meio da Nota Oficial Nº 94/2017, a realização do Campeonato Brasileiro Caixa Sub-16 para o período de 29 de setembro a 1º de outubro deste ano, em Fortaleza, no Ceará. A competição faz parte de um convênio assinado entre a CBAt, Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) e algumas agremiações nacionais.

O objetivo é firmar parcerias para a realização dos Campeonatos nacionais das categorias iniciais, ou seja: sub-16, sub-18, sub-20 e sub-23, visando o ciclo olímpico que tem Tóquio 2020, como ápice.

No ano passado, na Arena Caixa, em São Bernardo do Campo (SP), o Centro Olímpico, de São Paulo, venceu o Brasileiro Caixa Sub-16, com a participação de centenas de atletas de todas as regiões do País. Foi o quarto título da equipe paulistana, em sete edições da competição. No total, o time tetracampeão somou 152 pontos na classificação geral: 53 pontos no masculino e 99 no feminino (1º lugar entre as mulheres).

A equipe vice-campeã foi a PM Colombo, do Paraná, com 87 pontos, todos conquistados no masculino (foi campeã entre os homens). O terceiro lugar geral foi o SESI de São Paulo, com 83 pontos (58 no masculino e 25 no feminino).

O destaque individual, no masculino, foi Vitor Gabriel Motin (PM Colombo), ganhador do lançamento do disco (com recorde nacional de 69,86 m) e do arremesso do peso. No feminino, a eleita foi Ana Caroline dos Santos Lopes, da FAE, de Jaboticabal (SP), igualmente vencedora do peso e do disco, quebrando três vezes o recorde brasileiro nesta segunda prova, chegando a 48,64 m.

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA CBAt
Benê Turco – bene@cbat.org.br / (11) 99145-5766
João Pedro Nunes – nunes@cbat.org.br / (11) 99158-8337
Maiara Batista – maiara@cbat.org.br / (11) 99127-2369

CODÓ:Time do Nacional campeã do Torneio Intermunicipal 1976

O Torneio Intermunicipal de 1976 foi decidido com a vitória do selecionado de Codó frente a Chapadinha por 3×0, com tentos assinalados por intermédio do ponteiro-esquerdo Gentil. Codó mostrou mais uma vez a superioridade, numa demonstração de que este Intermunicipal foi muito fraco tecnicamente. A Seleção de Codó, representado pelo Nacional, é um time sem muita categoria e formado à base de veteranos. Mesmo assim foi superior à representação de Chapadinha na segunda etapa, quando conseguiu os três gols que lhe garantiram o título de primeiro campeão do Torneio Luis Rêgo e o tetra dos campeonatos intermunicipais.

A primeira etapa de jogo foi disputada de igual para igual, com as duas equipes com receio de partirem para o ataque. Cada uma mostrando que somente na segunda etapa é que partiriam com mais velocidade, receosos de uma prorrogação. Essa etapa do jogo não agradou à torcida. Para a segunda etapa, Codó foi o primeiro a se definir e logo aos 15 minutos Gentil faturava o primeiro gol. Somente aos 30 minutos é que o placar voltou a ser movimentado, com outro gol de Gentil, que demonstrava ser o mais perigoso atacante codoense. Chapadinha ainda se deu ao luxo de perder uma penalidade aos 40 minutos, por intermédio de Cremilson. O terceiro gol de Codó saiu aos 45 minutos, ainda por intermédio de Gentil, em uma sensacional jogada individual.

A vitória de Codó foi justa, já que foi superior ao adversário, que não repetiu a boa atuação diante de São Bento. A renda foi de Cr$ 14.358,00 e a arbitragem de Francisco Sousa. No final do espetáculo, o professor Luis Rêgo fez a entrega do troféu ao time vencedor, já que era o homenageado.

Fonte: Blog Futebol Antigo Maranhense

Conheça codoense que esta fazendo sucesso no Futebol Tailandês

Conhecida por belas praias e cenários encantadores, a Tailândia também se mostra, a cada ano, um destino atrativo para os jogadores de futebol.

Jonatan Reis jogou em Codó na equipe do Nacional, ja passou por outras equipes do futebol barsileiro entre elas o Mamore onde o mesmo foi artilheiro da equipe em 2014 e responsável pelo acesso do club na primeira divisão do campeonato mineiro e hoje é um dos artilheiros com 16 gols no campeonato tailandês.

O futebol nipônico ainda guarda resquícios das décadas de 90 e 2000, quando os times locais investiam maciçamente na contratação de brasileiros, inspirados em bons exemplos como Zico, Alcindo e Bismarck. Agora, na Tailândia, não são apenas jogadores que chegam para brilhar em campo. Três equipes têm treinadores tupiniquins: Alexandre Pölking (Bangkok United), Alexandre Gama (Chiangrai United) e Sérgio Farias (Suphanburi), além de membros da comissão técnica.

O futebol tailandês vem crescendo muito nos últimos anos. É só ver a quantidade de estrangeiros que estão chegando à Tailândia. É um país muito bonito, com um povo muito hospitaleiro. Estou feliz com tudo que estou vivendo aqui no país.- contou o jogador codoense Jonatan Reis.

Em raro desabafo, Carille reclama de erro da arbitragem: ‘É uma vergonha’

Embora o ponto conquistado em casa tenha sido valorizado por jogadores e comissão técnica, o empate teve um gosto amargo devido à atuação ruim da arbitragem, que anulou gol legítimo do Corinthians em impedimento inexistente ainda no primeiro tempo. A partida estava 0 a 0.

O tento marcado por Jô, que deixaria o Timão em vantagem mais cedo, causou tanta revolta que até mesmo o técnico Fábio Carille, que não costuma reclamar dos árbitros, demonstrou sua irritação em coletiva após o jogo. Ele classificou o erro como vergonhoso.

Tem erros e tem erros. O de hoje não pode acontecer pelo tamanho do jogo. Fiz questão de ver ainda no intervalo. Tem que preparar esses profissionais. Se fala tanto em tecnologia, mas tem que preparar esses profissionais. Sou contra tecnologia, a não ser aquela de a bola entrar ou não, acho que o jogo vai ficar chato parando muito. Mas não dá para ter o erro que aconteceu hoje. É uma vergonha – esbravejou o comandante corintiano.

A reclamação foi corroborada pelo presidente do clube, Roberto de Andrade, que disse não a ver outra alternativa a não ser reclamar de uma situação como essa.

– Um erro tão fácil, jogador no mínimo um metro e meio da bola e ele impugnar um lance desse? Não tem cabimento, tem que ficar todo mundo nervoso, como estão todos no vestiário. Um jogo difícil, um grande time que é o Flamengo, você faz um gol daquele e o árbitro anula? Qualquer um fica nervoso, o que sobra para o clube fazer a não ser reclamar? Não tem outra coisa para fazer a não ser reclamar. Não é mandar ofício, é ligar e reclamar. Ofício não resolve, a gente não sabe nem se é lido. Então é mais fácil ligar para o presidente e reclamar com ele. É o que eu vou fazer – afirmou o dirigente.

Apesar das arbitragem ter tomado espaço nos comentários pós-jogo, Carille também reconheceu que o desempenho de seu time ficou aquém do esperado, mas negou que os jogadores estejam sentindo o cansaço a essa altura da temporada.

– Passamos a dar muita bola ao Flamengo, que tem muita qualidade. Deixamos de ficar com as bolas nos cantos, e o Flamengo tem jogadores com muita qualidade. O que faltou para nós foi ficar com a bola, aproximar, triangular… Ficamos devendo isso no segundo tempo – analisou o treinador.

O Corinthians volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h, para enfrentar o Atlético-MG, no Mineirão, pela 18ª Rodada do Brasileirão-2017.

Fonte: lance

Fim da linha: Felipe Melo não joga mais pelo Palmeiras

Acabou a trajetória de Felipe Melo no Palmeiras. Em entrevista coletiva concedida logo após a vitória por 2 a 0 sobre o Avaí, neste sábado, na arena, o técnico Cuca confirmou que o volante não faz mais parte do elenco alviverde. O treinador já havia decidido barrar o jogador do duelo com os catarinenses, na última sexta-feira, quando comunicou o atleta sobre a sua decisão.

– Sobre o Felipe Melo. É um jogador que ele jogou só em grandes clubes, no Brasil e exterior. Jogou na Seleção, Copa do Mundo, em alto nível em grandes equipes, como está no Palmeiras, em alto nível, é um grande jogador. Natural que este tipo de jogador, com a personalidade grande e forte, não se contente com uma ou outra situação de não estar jogando.

– Hoje joguei sem volantes. Mas a gente entende que, por tudo que o Felipe significou e significa para o futebol, não tenha o contentamento. Em uma conversa aberta, eu antecipei os problemas e o deixei à vontade para seguir a carreira, a vida dele que vai ser brilhante. Não foi afastado, apenas no que penso de equipe e composição de meio e ataque, como jogo, não encaixa a titularidade dele, a princípio.

No futuro iria dar problema, não tenho dúvida, ele também não tem. Não é laranja podre, outras coisas que falaram. É um profissional preservado, não tenho nada a falar, mas na filosofia que trabalho hoje, não entendo a titularidade. A decisão foi tomada em conjunto com o Alexandre Mattos e com o presidente – falou Cuca, que havia pedido, no início da entrevista, para não ser questionado sobre o assunto, pois ele se pronunciaria a respeito ao fim dela.

O Pitbull soma 27 partidas pelo Verdão e dois gols marcados. O contrato dele vai até dezembro de 2019. Com cinco jogados disputados no Brasileirão, ele ainda pode se transferir a outro clube da Série A.

A declaração de Cuca se deu após o técnico palmeirense ter anunciado ao próprio jogador, na última sexta-feira, que não contava com ele para o duelo com os catarinenses. Posteriormente, a mesma informação foi repassada pelo treinador a todo o grupo, durante reunião que havia sido marcada pelo presidente do clube, Maurício Galiotte, com o intuito de cobrar os atletas. O Verdão, eliminado da Copa do Brasil, vem sofrendo pressão de torcedores e conselheiros para apresentar melhor futebol às vésperas do duelo decisivo com o Barcelona de Guayaquil, no dia 9 de agosto, pelas oitavas de final da Libertadores.

Cuca já havia reclamado a algumas pessoas no Palmeiras que o volante estava “tumultuando o ambiente”. Na sexta, ao falar a sós com o jogador para comunicá-lo sobre o seu afastamento, explicara que havia tentado várias formas de encaixá-lo no time, sem sucesso. Felipe não gostou, mas acatou a decisão e foi para casa. A intenção dele era se reapresentar normalmente na segunda-feira.

O Pitbull, como era carinhosamente chamado pelos torcedores, tornou-se um dos jogadores do atual elenco mais queridos dos fãs palmeirenses. A principal organizada do clube, aliás, divulgou nota neste sábado na qual cobrava explicações do clube a respeito do caso.

Felipe Melo ainda não se manifestou sobre o caso. No Twitter, ele apenas havia “dado RT” em seu assessor de imprensa, encaminhando para seus quase dois milhões de seguidores a mensagem que dizia que não havia discutido com Cuca. Neste sábado, após o jogo, ele publicou em seu Instagram uma imagem parabenizando o atacante Deyverson, com a hashtag #avantipalestra.

Os bastidores

Cuca e Felipe Melo já vinham se estranhando nos bastidores. O técnico não é fã do estilo de futebol do volante e também não o vê como boa influência para o elenco. Melo, por sua vez, não andava feliz por ser eventualmente colocado na reserva.

O estopim para a ruptura veio após a eliminação na Copa do Brasil para o Cruzeiro, na quarta-feira. Uma frase atribuída ao volante – “tem sacanagem no time” – chegou aos ouvidos do treinador, que ficou possesso e entendeu que era hora de afastar Felipe Melo. Segundo relato de pessoas presentes na reunião da última sexta-feira, o volante chegou a pedir desculpas pela declaração.

Felipe Melo foi contratado em janeiro, um mês após a saída de Cuca (o técnico optou por ficar alguns meses sem trabalhar após a conquista do Campeonato Brasileiro). O volante era titular absoluto com Eduardo Baptista, mas, após o retorno de Cuca, chegou a se sentar no banco de reservas em alguns jogos.

Santos vence por 4 a 2, mas Fla avança e faz duelo com o Botafogo

Vai ter clássico carioca na semifinal. Em jogo dramático, o Santos venceu o Flamengo de virada por 4 a 2 – gols de Bruno Henrique, Copete (dois) e Victor Ferraz para os santistas e Berrío, que dedicou a Ederson, afastado do futebol com tumor no testículo, e Guerrero para o Rubro-Negro -, mas não tirou a vantagem dos 2 a 0 do primeiro jogo das quartas de final. O resultado levou o Flamengo às semifinais contra o Botafogo – marcadas para os dias 16 e 23 de agosto. 

Vai ter clássico carioca na semifinal. Em jogo dramático, o Santos venceu o Flamengo de virada por 4 a 2 – gols de Bruno Henrique, Copete (dois) e Victor Ferraz para os santistas e Berrío, que dedicou a Ederson, afastado do futebol com tumor no testículo, e Guerrero para o Rubro-Negro -, mas não tirou a vantagem dos 2 a 0 do primeiro jogo das quartas de final. O resultado levou o Flamengo às semifinais contra o Botafogo – marcadas para os dias 16 e 23 de agosto. 

SEGUNDO TEMPO

 Com menos de um minuto, Everton fez grande jogada para Guerrero e o atacante peruano colocou o Flamengo na frente do placar. Mas o jogo reservava muitas emoções. E Rafael Vaz deu sua contribuição ao ter a bola dominada e tentar driblar quase sem espaço na área rubro-negra. No escanteio, Copete subiu sozinho e marcou. Em outra jogada aérea, Victor Ferraz aproveitou a sobra e chutou no ângulo: 3 a 2. A virada do Santos saiu em um minuto e pôs fogo na partida.

Com jogo completamente aberto, o Santos partiu com tudo para cima do Flamengo. Aos 34 minutos, Rafael Longuine cabeceou bem próximo do gol, mas Alex Muralha defendeu. Nos minutos finais, Vanderlei fez grande defesa em cobrança de falta de Diego. Antes do apito final, Copete aproveitou falha de Muralha na saída de gol e marcou o quarto aos 48 minutos. Não havia tempo para mais nada. Respira aliviado o Rubro-Negro. Aos santistas, resta a disputa do Brasileiro e da Libertadores.

Alex Muralha e Rafael Vaz

É discutível a falha de Muralha na cabeçada de Copete que empatou a partida em 2 a 2, mas é inegável que uma tentativa desnecessária de Vaz colocou em risco o resultado do Flamengo. Ao tentar driblar um santista e perder a bola, o jogador colocou o Santos de volta na partida. Muralha saiu mal no gol de Copete, o último do jogo.

COPETE

Fez dois gols e colocou fogo na partida. Também foi inteligente ao esperar o drible de Rafael Vaz e desarmar o jogador rubro-negro. Atuou bem pelas pontas e mostrou presença de área.

RENDA E PÚBLICO

Público: 12.507 presentes na Vila
Renda: R$ 525.080,00

BOMBA: Bancas de aposta esportiva ilegal “quebram” após prêmios milionários no Brasileirão

A 13ª rodada do Campeonato Brasileiro sequer acabou, e milhares de torcedores Nordeste afora já viveram momentos de intensa euforia e profunda tristeza. Isso porque uma série de sites e bancas ilegais de apostas esportivas — que viraram febre em vários estados da região desde o ano passado — simplesmente “quebraram” após os resultados da Série A de quarta-feira (12).

Logo que os jogos acabaram, começaram a circular nas redes sociais fotos de cartões vitoriosos de apostas acumuladas — aquelas em que o apostador marca vários possíveis resultados e só ganha o dinheiro se todos eles acontecerem como previsto — nos jogos Ponte Preta x Bahia, Atlético-MG x Santos, Fluminense x Botafogo, Palmeiras x Corinthians, Atlético-PR x Cruzeiro e Vitória x Vasco da Gama. A improvável combinação das cotações de todos os visitantes pagava entre mil e 2.200 vezes o valor apostado, mas foi o que aconteceu: Bahia, Santos, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro e Vasco venceram.

Tão rapidamente quanto as manifestações de alegria dos apostadores, porém, áudios de supostos cambistas e operadores das bancas se disseminaram pelo WhatsApp. O tom era quase fúnebre. “Pessoal, não adianta me ligar, me pressionar, mandar mensagem. Já entrei em contato com o dono da banca e ele falou que é impossível pagar. O prejuízo é milionário. Não vai ter condição de pagar. E vocês sabem que é jogo ilegal. Não adianta ir para a Justiça, não adianta fazer nada. Fechou a tampa do caixão”, diz um dos operadores.

A rede de apostas de jogo de azar da Marjo Sport também foi uma das surpreendidas com uma série de apostas milionárias simultâneas em todo o Brasil. O prejuízo é estimado em 22 milhões no geral, segundo o áudio de um dos representantes. Traduzindo: uma saída exorbitante para uma entrada imediata inferior. Muitas bancas acabaram anunciando o fechamento num lapso de desespero com os montantes sorteados. Entretanto, embora reconheça que não estava preparada para uma avalanche financeira dessas, a empresa assegurou que vai efetuar gradativamente os pagamentos dos apostadores, mas é preciso ter calma para esperar eles rasparem os cofres de lucro e “desburocratizar” alguns procedimentos bancários.

Em Poção de Pedras surgiu muitas apostas milionárias. Ganhadores de 42 e 30 mil, sendo que só na cidade chegou-se aos 65 mil pela Marjo. 400 mil com todas as máquinas juntas.

Na noite desta quarta o sistema da Marjo bugou com tantos acessos ao mesmo tempo. Resta aguardar para saber se de fato a empresa vai honrar seus compromissos, ou se quebrou de vez!

“Vocês podem ter certeza: nenhuma banca vai pagar isso. A gente vai ver se faz um acordo para não deixar todo mundo desamparado. Esse jogo acabou hoje. É falência pra todo mundo”, afirma outro funcionário das bancas ilegais.

Apostas esportivas são consideradas jogo de azar no Brasil, o que impede que os sites sejam cadastrados no país. Muitas páginas, entretanto, são registradas aqui, mas em nome de laranjas. Outros empresários do setor optam por driblar a legislação por meio de cambistas que usam tablets e maquininhas de impressão em pontos físicos e de maneira ambulante, oferecendo as apostas em bares e de porta em porta.

Os envolvidos em apostas ilegais podem ser indiciados por crimes como lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, sonegação fiscal, evasão de divisas e funcionamento de instituição financeira sem autorização do Banco Central, em crimes contra a ordem econômica, tributária e contra as relações de consumo.

SITES ADMITEM PREJUÍZO

Menos de 24 horas após o início da confusão, parte dos sites de aposta “underground” começaram a admitir seus prejuízos e pedir paciência aos jogadores. O site Marjosports, sediado no Brasil e registrado em nome de “Jurema Vinte e Nove da Silva”, publicou em sua página inicial um pedido de desculpas. “Prezados, neste dia 12/07 tivemos a maior premiação de nossa história. Algo tão grande que não pudemos prever e, por consequente (sic), não pudemos nos preparar antecipadamente. Mas queremos deixar claro nosso compromisso com você que sabe da nossa credibilidade, e que honraremos todos os nossos compromissos, como sempre fizemos nestes anos que estamos juntos”, diz o texto.

Em texto semelhante, a banca Chuto Forte, cadastrado no sistema nacional em nome de “Thiago de Luna Campos”, afirma que entrará em contato com os ganhadores “para o posterior agendamento das datas”. Outro site, intitulado BetGol777 e registrado fora do Brasil, afirma que vai parcelar o pagamento dos créditos dos apostadores. “A Bet Gol 777 assume desde já o compromisso de honrar todos os débitos na condição de parcelamento, iniciando com 10% (dez por cento) do valor do prêmio, com programação de quitar todos os valores em dez vezes”, afirma o comunicado.

MERCADO VENDE ATÉ SISTEMAS DE COBRANÇA

A febre de apostas esportivas gerou todo um mercado clandestino. No YouTube, por exemplo, programadores de tecnologia da informação que vendem seus serviços para eventuais investidores no ramo ilegal. Em anúncios às claras, os profissionais oferecem o sistema pronto de impressão dos “pules”, com códigos exclusivos de cada bilhete e sistema de segurança para evitar falsificações.

POLÍCIA JÁ FECHOU SITES

Em abril deste ano, a Polícia Civil do Ceará (PC-CE) deflagrou a Operação O Jogo Não Acabou, que fechou uma casa de apostas na cidade do Crato. Na ocasião, os policiais prenderam um homem em flagrante por contravenção penal e apreenderam materiais de apostas ligadas aos sites “Bets 69”, “Bets 99”, “Bets Cariri” e “Bets Nordeste”. Estes dois últimos já não operam mais, mas as duas primeiras bancas, sediadas fora do Brasil, continuam funcionando.

Divulgação/Polícia Civil CE

Na ocasião, a PC-CE informou que pediria ao Ministério Público Federal (MPF) a imediata retirada do ar dos sites de apostas.

Fontes:  Blog do Fernando Melo