Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Candidatos ao Governo do Maranhão nas eleições de 2018: veja quem são

Veja os nomes definidos em convenção de candidatos ao Governo do Maranhão nas eleições de 2018, em ordem alfabética:

Flávio Dino (PCdoB)

O PCdoB definiu o nome de Flávio Dino como candidato ao governo do Maranhão em convenção partidária realizada no dia 28 de julho, em São Luís. O candidato a vice-governador é o empresário Carlos Brandão, do PRB.

Atual governador do estado, Flávio Dino é advogado, professor e ex-juiz federal. Já foi deputado federal e também presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur). Dino tem 50 anos, foi eleito governador do Maranhão nas eleições de 2014 e agora tenta a reeleição.

Ramon Zapata (PSTU)

O PSTU confirmou o nome de Ramon Zapata como candidato ao governo do Maranhão em convenção partidária realizada no dia 26 de julho, em São Luís. A candidata a vice-governadora é Nicinha Durans, poetisa, que também é do PSTU.

Ramon Zapata tem 57 anos e é professor da rede estadual e da escola da aeronáutica em Alcântara. O candidato ainda não ocupou nenhum cargo político, mas já tentou ser vereador de São Luís e senador. Agora Zapata disputa o governo do estado pela primeira vez.

Roseana Sarney (MDB)

O Movimento Democrático Brasileiro (MDB) confirmou o nome da ex-governadora Roseana Sarney como candidata ao governo do Maranhão em convenção partidária realizada no dia 29 de julho, em São Luís. O candidato a vice-governador é o empresário Ribinha Cunha, do PSC.

Roseana tem 65 anos e é socióloga. No passado, foi deputada federal entre 1991 e 1994 e depois governadora do Maranhão por dois mandatos, entre 1995 e 2002.

Roseana Sarney ainda foi senadora de 2003 até 2009, quando assumiu o governo do estado após a cassação de Jackson Lago (PDT), que havia sido vencedor das eleições de 2006. Tomou posse em abril de 2009 e depois venceu as eleições de 2010 para governadora, ficando no cargo até 2014.

Data das convenções

Data Partido Candidato
26/07 PSTU Ramon Zapata
28/07 PCdoB Flávio Dino
29/07 MDB Roseana Sarney
02/08 PSOL Odivio Neto
04/08 PSDB Roberto Rocha
Indefinido PSL Maura Jorge
 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Agora foi a vez do TCE-MA entrega lista de inelegíveis à Justiça Eleitoral

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) entregou nesta terça-feira (31) à Justiça Eleitoral a lista dos gestores com contas julgadas irregulares nos últimos oito anos para efeito de declaração de inelegibilidade. A documentação foi entregue pelo presidente do TCE, Caldas Furtado, ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Ricardo Duailibe.

A lista é considerada peça fundamental para que a Justiça Eleitoral decida sobre o deferimento de candidaturas. De acordo com o TCE -MA, a lista tem sido feita de forma permanente, contínua, automática , inclusive com a inclusão das alterações decorrentes de revisão do próprio TCE ou de cumprimento de ordem judicial, além da relação dos gestores declarados inadimplentes.

Na página do TCE na internet, o número do processo de contas e do respectivo processo de revisão funcionam como meios de ligação eletrônicos às principais peças do processo, que incluem o teor integral do parecer prévio ou acórdão (relatório, voto do relator e demais votos escritos), parecer do Ministério Público de Contas (MPC), defesa do responsável e recursos apresentados e relatórios do corpo técnico.

Desse modo, a lista pode ser acompanhada desde a sua elaboração por qualquer interessado, além da Justiça Eleitoral e do Ministério Público.

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Pesquise os gestores que têm contas rejeitadas pelo TCE nos últimos 8 anos

O presidente e corregedor do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, desembargadores Ricardo Duailibe e Tyrone Silva, respectivamente, acompanhados do procurador regional eleitoral Pedro Henrique Castelo Branco, do promotor Pablo Bogéa (auxiliar da PRE) e do diretor-geral Flávio Costa, receberam na tarde desta terça, 31 de julho, das mãos do presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Caldas Furtado, listas impressas com nomes de gestores que têm contas julgadas rejeitadas por irregularidade insanável nos últimos 8 anos.

A entrega, apesar de simbólica, visto que o documento está acessível para consulta permanentemente no site do TCE, cumpre o que determina o artigo 11, caput e § 5º da Lei 9.504/97. “Os Tribunais de Contas devem enviar a lista de gestores com contas rejeitadas por irregularidade insanável nos últimos oito anos anteriores à realização de cada eleição até o dia 15 de agosto à Justiça Eleitoral e ao Ministério Público Eleitoral (MPE) nos anos em que ocorrerem eleições”.

O conselheiro explicou que o TCE inovou desde a Resolução 285/17, decidindo elaborar a lista de forma permanente, contínua, automática e transparente, inclusive com a evidenciação à parte das alterações decorrentes de revisão do próprio órgão ou de cumprimento de ordem judicial, além da relação dos gestores declarados inadimplentes, ressaltando, contudo, que o TCE não declara a inelegibilidade de responsáveis por contas julgadas irregulares e sim a Justiça Eleitoral.

ASCOM – Assessoria de Imprensa

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Sem Lula, Bolsonaro mantém liderança na corrida presidencial

São Paulo – No cenário em que o ex-presidente Luiz Inácio da Silva (PT) está ausente da corrida eleitoral deste ano, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) é quem lidera a preferência do eleitorado pela Presidência da República.

Levantamento divulgado nesta terça-feira (31) pelo Instituto Paraná Pesquisas mostra que o parlamentar iria para o segundo turno com 23,6% das intenções de voto dos brasileiros. A pesquisa ouviu 2.240 eleitores de todo o país entre os dias 25 e 30 de julho.

Em segundo lugar aparece a candidata da Rede, Marina Silva, com 14,4%, seguida por Ciro Gomes (PDT), com 10,7% – como a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, os candidatos estão empatados tecnicamente.

Geraldo Alckmin (PSDB), Alvaro Dias (Podemos) e Fernando Haddad (PT) pontuam 7,8%, 5% e 2,8%, respectivamente.

O único nome capaz de desbancar Jair Bolsonaro do páreo é Lula. Se concorrer ao cargo, o petista despontaria com 29% das intenções de voto. Neste cenário, o deputado federal aparece em segundo, com 21,8%, seguido por Marina Silva, com 9,2%.

Veja o desempenho dos candidatos

Cenário com Lula

Candidato Intenção de voto
Lula 29%
Jair Bolsonaro 21,8%
Marina Silva 9,2%
Geraldo Alckmin 6,2%
Ciro Gomes 6%
Alvaro Dias 4,2%
Manuela D’Ávila 1%
João Amoêdo 0,9%
Henrique Meirelles 0,8%
Levy Fidelix 0,8%
Guilherme Boulos 0,5%
Paulo Rabello de Castro 0,3%
Vera Lúcia 0,1%
Nenhum 16,2%
Não sabe 3%

Cenário sem Lula

Candidato Intenção de voto
Jair Bolsonaro 23,6%
Marina Silva 14,4%
Ciro Gomes 10,7%
Geraldo Alckmin 7,8%
Alvaro Dias 5%
Fernando Haddad 2,8%
Manuela D’Ávila 1,7%
Henrique Meirelles 1,1%
Guilherme Boulos 1%
João Amoêdo 1%
Levy Fidelix 0,8%
Paulo Rabello de Castro 0,4%
Vera Lúcia 0,4%
Nenhum 24,7%
Não sabe 4,7%

Fonte:Exame

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Criança de nove meses de idade é morta a golpes de facão

Uma criança de apenas nove meses de idade foi brutalmente assassinada, no fim da manhã desta segunda-feira (30), na cidade de Governador Edison Lobão. O menino, identificado como Ângelo Gabriel Sousa Borges, foi assassinado a golpes de facão na região do pescoço.

Segundo a polícia, o autor do crime bárbaro é o padrasto da vítima, identificado como Francielson Gomes Pereira, de 18 anos.

Segundo testemunhas, a mãe da criança estava se separando do companheiro e, nesta segunda, a mulher saiu de casa, deixando o filho com o padrasto. Ao retornar, a mãe perguntou pelo filho, e o homem teria dito que havia o matado porque a criança estava chorando muito.

Após saber do crime, a mão da vítima acionou a polícia, a qual conseguiu prender o suspeito dentro de casa. O casal foi levado para a Delegacia Regional de Imperatriz.

O corpo do menino foi removido pelos técnicos da perícia e levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Imperatriz, onde passará por exames de praxe antes de ser liberado para o velório.

Por Imirante

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Discurso de Ricardo Murad em convenção da candidatura de Roseana

Durante a Convenção do MDB, que anunciou o nome de Roseana Sarney como candidata a governadora, o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad (PRP), afirmou que acredita na vitória da ex-governadora ainda no primeiro turno.

Ricardo comparou a disputa eleitoral como uma corrida de cavalos, onde no atual momento, Flávio Dino ainda está na frente, mas ele tem a certeza de que Roseana vai passá-lo ao longo da campanha.

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Roseana, Lobão e Sarney Filho reúnem multidão na convenção estadual do MDB

A convenção estadual do MDB oficializou as candidaturas rumo às eleições 2018, neste domingo (29). Agora pode se falar de que Roseana Sarney é candidata ao governo do Maranhão. Onde os candidatos escolhidos para a chapa majoritária ao senado federal foram Edison Lobão e Sarney Filho. Ambos com causas voltadas para as necessidades do povo.

A experiência na política realmente tem feito a diferença na vida da população. Assunto destacado, justamente por relembrar feitos importantes na vida do povo maranhense.

“Eu sempre caminhei ao lado do meu povo, eu sempre dei a mão para o meu povo e sempre fiz o Estado crescer e se desenvolver. Tudo isto gerou melhores dias, melhores salários para nossa gente. Estimulamos a livre concorrência e o direito das pessoas para abrirem seus negócios sem medo do governo. E vou voltar a realizar e valorizar o povo da forma como deve ser feito”, disse Roseana.

Mas falar das necessidades do povo é chamar a atenção para a própria experiência na vida política. E um marco histórico com sua reeleição neste ano.

“Muitos que gostariam de estar conosco aqui hoje não puderam, mas mesmo assim dou minhas saudações. Hoje começamos a caminhada da independência. Independência da pressão e da coação que estamos vivendo. José Sarney foi senador por cinco mandatos, eu tenho quatro e vou enfrentar o quinto com muita determinação e coragem que adquiri em todos estes anos de experiência na vida política”, afirmou Lobão.

E para complementar a fala, Sarney Filho se emociona ao falar na trajetória política, mas principalmente por ter uma causa voltada para a natureza e o bem-estar do ser humano.

“No meu caso tenho uma longa história política ligada ao povo do Maranhão. E defendo a natureza! Quem defende a natureza defende o bem-estar, principalmente dos mais pobres. O senado não é lugar para amadores. E sim para pessoas experientes. Brasília é uma guerra, e precisa de senadores com experiência assim como eu e Lobão”, reafirmou Sarney Filho.

O espaço estava lotado de pessoas que acreditam na volta de Roseana e a presença de José Sarney repercutiu de forma positiva, dando incentivo com uma mensagem de coragem e esperança, para que a guerreira possa fazer muito mais do que fez já fez pelo o Maranhão.

“O povo clama pela volta de Roseana e não pode ser diferente. O que já deu certo, vai dar ainda mais. Quero ver o povo Maranhense voltar a ser alegre e viver com dignidade”, declarou José Sarney.

Estiveram presentes as principais lideranças do MDB de todo o Estado, juntamente com o apoio de suas famílias. A cantora Alcione fez questão de estar presente e cantar o jingle oficial da Guerreira. Um momento histórico da chapa formada pelo partido para todo o Maranhão, rumo às eleições 2018.

ASCOM – Senador Edison Lobão.

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Marcelo Coelho destaca o sucesso da convenção que confirmou a candidatura de Flávio Dino

O secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais, Marcelo Coelho, foi o único político de Codó que levou uma caravana para a convenção Todos Pelo Maranhão, que aconteceu no último final de semana no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, em São Luís.

O evento foi um grande sucesso de público e atraiu milhares de pessoas de todas as partes do Maranhão. Em entrevista ao blog do Marco Silva, Marcelo Coelho fez uma análise positiva da convenção que confirmou a candidatura a governador de Flávio Dino.

“Eu acho que na história do Maranhão nós nunca tivemos uma convenção desse porte e dificilmente teremos uma convenção participativa com a população com o povo do Estado presente, conversando com os candidatos, conversando com o governador. (…) Nós temos aí um caminho até o dia 07 de outubro”, disse o secretário.

Por Marcos Silva

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Multidão participam de convenção para confirmar coligação de Flávio Dino

O governador Flávio Dino teve o nome confirmado em convenção neste sábado (28) para disputar a reeleição pela Coligação Todos Pelo Maranhão. O vice-governador Carlos Brandão (PRB) também foi oficializado na vaga de vice. E os deputados federais Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) foram homologados como candidatos ao Senado.

A convenção é o momento em que os partidos escolhem os candidatos que vão disputar a eleição. O evento no MultiCenter Sebrae, em São Luís, reuniu milhares de pessoas, entre filiados a partidos políticos e não filiados.

A Coligação Todos Pelo Maranhão reúne 15 legendas: PCdoB, PDT, PP, PPS, PROS, PSB, PT, PTB, PR, PRB, DEM, PEN, PTC, Solidariedade e PPL.

“É a maior convenção da história do Maranhão”, disse Flávio Dino. Durante o discurso, ele fez um balanço de algumas ações realizadas pela atual gestão.

“Aqui no Maranhão estamos fazendo a nossa parte. Governo perfeito só o de Deus, o nosso Governo não é perfeito, mas quero dizer que fiz neste período tudo o que eu podia fazer”, afirmou, lembrando os efeitos da crise econômica nacional sobre todo o país.

Ele listou programas como o Escola Digna, o Mais Asfalto, o Cheque Minha Casa, o Mais IDH e tantos outros.

“Fizemos neste período tudo o que podíamos. Fizemos o máximo, e por isso todos os Estados do Brasil respeitam o Maranhão, porque sabem que estamos na direção certa”.

O vice-governador Carlos Brandão disse que se trata de um “governo que governa para o povo. Flávio Dino é extremamente preparado, competente, capaz e dedicado. E teve a competência de escolher uma equipe extremamente competente para o governo”.

União

Os candidatos ao Senado também ressaltaram o novo momento vivido pelo Maranhão a partir de 2015.

“É um momento de muita responsabilidade política. O povo deu a oportunidade ao grupo liderado pelo Flávio Dino de fazer as verdadeiras mudanças”, disse Weverton.

“O governador deu voz à juventude no interior do Maranhão, à juventude da periferia. E nunca mais vão conseguir calar a nossa voz. Todos esses partidos que estão aqui são do time da vitória”, afirmou Eliziane.

Segundo ela, “saímos do momento da história do Maranhão quando apenas uma família de poderosos controlava esse estado. Eles precisam entender que nossas famílias não vão ser mais comandadas. Estamos vivendo um novo momento do Maranhão”.

Weverton acrescentou que todos fazem parte “de uma chapa vitoriosa liderada por um homem que teve a coragem de procurar na escuridão e encontrar a luz para essas crianças pobres que não tinham acesso à escola, através do programa Escola Digna. Que teve a coragem de abrir hospitais enquanto os outros Estados fechavam”, acrescentou.

Lula

O governador Flávio Dino também falou sobre o ex-presidente Lula e voltou a defender que o petista possa ser candidato à Presidência da República. “Todos nós que estamos aqui defendemos a Justiça, eleições justas, eleições livres. E para ter eleição justa no Brasil, para cada um poder votar em quem quiser, é fundamental que a gente diga Lula Livre, para ter democracia no país,”

“Não significa dizer que todo mundo vai votar no Lula, mas significa que quem quiser votar no Lula vai ter o direito de escolher seu presidente da República”, afirmou.

ASCOM PCdoB

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.

Eleições 2018: saiba o que candidato e eleitor podem e não podem fazer durante o período de campanha

Candidatos e eleitores devem respeitar regras estabelecidas pela Justiça Eleitoral a partir do próximo dia 16, data em que estará liberada a propaganda eleitoral, conforme resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caso contrário, estarão sujeitos a multas e até a cassação do mandato, no caso dos eleitos.

Em 7 de outubro, brasileiros vão às urnas escolher candidatos a presidente e vice-presidente da República, governador e vice-governador, senador, deputado federal e deputado estadual ou distrital. Onde houver segundo turno, a campanha nas ruas vai até 27 de outubro, na véspera da votação (28, domingo).

Veja abaixo um resumo do que podem e não podem fazer candidatos e eleitores durante a campanha eleitoral deste ano:

O que pode o candidato

  • Distribuir folhetos, adesivos e impressos, independentemente de autorização, sempre sob responsabilidade do partido, da coligação ou do candidato (o material gráfico deve conter CNPJ ou CPF do responsável pela confecção, quem a contratou e a tiragem);
  • Colar propaganda eleitoral no para-brisa traseiro do carro em adesivo microperfurado; em outras posições do veículo também é permitido usar adesivos, desde que não ultrapassem meio metro quadrado;
  • Usar bandeiras móveis em vias públicas, desde que não atrapalhem o trânsito de pessoas e veículos;
  • Usar em carreatas, caminhadas e passeatas ou durante reuniões e comícios alto-falantes, amplificadores, carros de som e minitrios entre 8h e 22h, desde que estejam a, no mínimo, 200 metros de distância de repartições públicas, hospitais, escolas, bibliotecas, igrejas e teatros.
  • Realizar comícios entre 8h e 24h, inclusive com uso de trios elétricos em local fixo, que poderão tocar somente jingle de campanha e emitir discursos políticos;
  • Fixar propaganda em papel ou adesivo com tamanho de até meio metro quadrado em bens particulares, desde que com autorização espontânea e gratuita do proprietário;
  • Pagar por até 10 anúncios em jornal ou revista, em tamanho limitado e em datas diversas, desde que informe, na própria publicidade, o valor pago pela inserção;
  • Arrecadar recursos para a campanha por meio de financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual)
  • Fazer propaganda na internet, desde que gratuita e publicada em site oficial do candidato, do partido ou da coligação hospedados no Brasil ou em blogs e redes sociais;
  • Promover o impulsionamento de conteúdo na internet (post pago em redes sociais), desde que identificado como tal e contratado exclusivamente por partidos políticos, coligações e candidatos e seus representantes, devendo conter o CNPJ ou CPF do responsável e a expressão “Propaganda Eleitoral”;
  • Fazer propaganda em blogs, redes sociais e sites de mensagens instantâneas com conteúdo produzido ou editado por candidato, partido ou coligação;
  • Usar ferramentas para garantir posições de destaque nas páginas de respostas dos grandes buscadores;
  • Enviar mensagens eletrônicas, desde que disponibilizem opção para descadastramento do destinatário, que deverá ser feito em até 48 horas.

O que não pode o candidato

  • Fixar propaganda em bens públicos, postes, placas de trânsito, outdoors, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus, árvores, inclusive com pichação, tinta, placas, faixas, cavaletes e bonecos;
  • Fazer propaganda em bens particulares por meio de inscrição ou pintura em fachadas, muros ou paredes;
  • Jogar ou autorizar o derrame de propaganda no local de votação ou nas vias próximas, mesmo na véspera da eleição;
  • Fazer showmício com apresentação de artistas, mesmo sem remuneração. Cantores, atores ou apresentadores que forem candidatos não poderão fazer campanha em suas atrações;
  • Fazer propaganda ou pedir votos por meio de telemarketing;
  • Confeccionar, utilizar e distribuir camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas, bens ou materiais que proporcionem vantagem ao eleitor;
  • Pagar por propaganda na internet, exceto o impulsionamento de publicações em redes sociais;
  • Publicar propaganda na internet em sites de empresas ou outras pessoas jurídicas, bem como de órgãos públicos;
  • Fazer propaganda na internet, atribuindo indevidamente sua autoria a outra pessoa, candidato, partido ou coligação;
  • Usar dispositivos ou programas como robôs, conhecidos por distorcer a repercussão de conteúdo;
  • Usar recurso de impulsionamento somente com a finalidade de promoção ou benefício dos próprios candidatos ou suas agremiações e para denegrir a imagem de outros candidatos;
  • Fazer propaganda eleitoral em sites oficiais ou hospedados por órgãos da administração pública (da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios);
  • Agredir e atacar a honra de candidatos na internet e nas redes sociais, bem como divulgar fatos sabidamente inverídicos sobre adversários;
  • Ao fazer divulgação do financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual) para arrecadação de recursos de campanha, os candidatos estão proibidos de pedir votos;
  • Veicular propaganda no rádio ou na TV paga e fora do horário gratuito, bem como usar a propaganda para promover marca ou produto;
  • Degradar ou ridicularizar candidatos, usar montagens, trucagens, computação gráfica, desenhos animados e efeitos especiais no rádio e na TV;
  • Fazer propaganda de guerra, violência, subversão do regime, com preconceitos de raça ou classe, que instigue a desobediência à lei ou que desrespeite símbolos nacionais.
  • Usar símbolos, frases ou imagens associadas ou semelhantes às empregadas por órgão de governo, empresa pública ou estatal;
  • Inutilizar, alterar ou perturbar qualquer forma de propaganda devidamente realizada ou impedir propaganda devidamente realizada por outro candidato.

O que pode o eleitor

  • Participar livremente da campanhaeleitoral, respeitando as regras sobre propaganda nas ruas e na internet aplicadas aos candidatos;
  • Apoiar candidato com gastos de até R$ 1.064,10, com emissão de comprovante da despesa em nome do eleitor (bens e serviços entregues caracterizam doação, limitada a 10% da renda no ano anterior);
  • Fazer doações acima de R$ 1.064,10 apenas mediante transferênciaeletrônica (TED) da conta bancária do doador direto para a conta bancária do candidato beneficiado;
  • Fazer doações para candidatos por meio de sites habilitados pela Justiça Eleitoral para realizar financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual);
  • Ceder uso de bens móveis ou imóveisde sua propriedade, com valor estimado de até R$ 40 mil;
  • Prestar serviços gratuitamente para a campanha;
  • No dia da votação, é permitida só manifestação individual e silenciosada preferência pelo partido ou candidato, com uso somente de bandeiras, broches, dísticos e adesivos;
  • Manifestar pensamento, mas sem anonimato, inclusive na internet.

O que não pode o eleitor

  • Trocar voto por dinheiro, material de construção, cestas básicas, atendimento médico, cirurgia, emprego ou qualquer outro favor ou bem;
  • Cobrar pela fixação de propagandaem seus bens móveis ou imóveis;
  • Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou outra pessoa, dinheiro, dádiva ou qualquer vantagem, para obter ou dar voto, conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita;
  • Fazer doação para campanha com moedas virtuais;
  • Se servidor público, trabalhar na campanha eleitoral durante o horário de expediente;
  • Inutilizar, alterar, impedir ou perturbar meio lícito de propaganda eleitoral;
  • Degradar ou ridicularizar candidato por qualquer meio, ofendendo sua honra.
  • Fazer boca de urna no dia da eleição, ou seja, divulgar propaganda de partidos ou candidatos

Fonte:G1

 
Acompanhe o Codó Notícias também pelo Facebook , YouTube e Instagram.