Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Não é só de Corona que vive o Brasil… a Dengue também assusta e precisa de atenção

Mesmo com o aumento de casos de dengue nos dois primeiros meses do ano, o Brasil tem capacidade para reverter o quadro

Na primeira semana de 2021, a Fundação Oswaldo Cruz alertou a população a respeito da importância de evitar a proliferação do Aedes Aegypti. Velho conhecido dos brasileiros, ele é vetor de doenças, como dengue, zika e Chikungunya.

Como os holofotes estão voltados para a COVID-19, profissionais da saúde temem que a infestação pelo mosquito atinja patamares elevados. Isso pode atrapalhar as políticas de prevenção e combate à dengue.

É por isso que a sociedade como um todo precisa se conscientizar sobre as maneiras mais eficazes de evitar a reprodução do mosquito. Além dos seguros saúde, é preciso ter cuidado com cada detalhe. Este será o assunto abordado nos próximos tópicos.

Dados que servem de alerta

O último boletim epidemiológico, compartilhado pelo Ministério da Saúde, trouxe à população informações preocupantes. Ao longo de 2020, foram contabilizados, em média, 980 mil casos suspeitos de dengue no país.

Outros quadros infecciosos provenientes de picadas de mosquitos também foram registrados. De acordo com a instituição, as agências de saúde pública foram notificados, em média, 80 mil casos de Chikungunya e 7 mil de zika.

E os dados continuam:  2020 contou com 19 registros oficiais de febre amarela. Não é à toa que essas doenças são consideradas endêmicas e que precisam ser controladas com urgência.

Como prever os surtos de dengue

Tudo o que o Brasil deve evitar neste momento de pandemia é sobrecarregar o sistema de saúde e fazê-lo entrar em colapso. Com hospitais lotados com pacientes acometidos pela COVID-19, a população precisa fazer sua parte e evitar surtos de dengue.

Uma das maneiras mais eficazes é prever que os surtos de dengue acontecem nos períodos de chuvas. Além disso, é importante usar as informações do ano anterior para evitar que a história se repita.

Em 2020, a maior incidência de infecção causada pelo Aedes Aegypti foi na região Centro-Oeste. Foram registrados 1200 casos a cada 100 mil habitantes. Na região sul, a incidência de dengue foi de 934 casos.

Já a região Sudeste ocupou o terceiro lugar e registrou 376,4 casos a cada 100 mil habitantes.  A Fiocruz ainda revelou que, entre janeiro e junho, 887.767 foram diagnosticadas com dengue no país.

Panorama da dengue em 2021

De acordo com a Associação Paulista de Medicina, é fundamental que os órgãos de vigilância sanitária e as organizações de serviço de saúde intensifiquem as campanhas de combate à dengue em 2021. O objetivo é evitar o aumento de óbitos pela doença.

O grande problema é que, devido ao isolamento social, muitos imóveis, sobretudo os comerciais, se mantiveram fechados por, em média, 1 ano. Em épocas de chuvas, esse cenário é favorável à reprodução do mosquito.

Em São Vicente (SP), em janeiro de 2021, foram registrados 69 casos confirmados, 600 em suspeição e 1 óbito. O Departamento de Controle de Doenças Vetoriais ressalta que a cidade está vivendo um momento de explosão da dengue.

A cidade de Tatuí (SP) iniciou os dois primeiros meses de 2021 com o registro de mais de 1,3 mil casos de dengue. O número é 4 vezes maior do que os casos contabilizados durante todo o ano de 2020.

Pesquisadores se empenham para impedir novos surtos

Um grupo de cientistas de, em média, 10 instituições nacionais e internacionais têm trabalhado para monitorar o comportamento das doenças causadas pelo Aedes Aegypti. O objetivo é criar ações que antecipam futuras crises à saúde pública.

A pesquisa será realizada onde “há muita transmissão de doenças por mosquitos”, justifica Maurício Lacerda Nogueira, um dos coordenadores da iniciativa.  As regiões-alvo são São José do Rio Preto (SP), Manaus (AM), Pantanal e Panamá.

A ideia é obter informações detalhadas dos 4 elementos relacionados à dengue: mosquito, vírus, animais intermediários e seres humanos. Uma das estratégias é analisar amostras de pacientes com casos suspeitos e desenvolver profilaxia adequada.

Conscientização continua sendo a melhor medida de combate

O Ministério da Saúde reforça que uma das maneiras mais eficazes para prevenir a dengue é eliminar o foco do mosquito. Isso inclui todas as orientações compartilhadas durante as campanhas institucionais.

Não deixar água parada em vasos, garrafas, baldes, entre outros recipientes, é de extrema importância. Caixas de água devem ser mantidas devidamente fechadas com tampa e o lixo deve ser descartado no dia da coleta seletiva.

Em 2021, a atenção deve ser redobrada em imóveis que ficaram fechados durante muito tempo por conta da pandemia. Com o empenho de todos, o Brasil tem capacidade para reverter o quadro e reduzir os casos de dengue.

COVID-19: Com o tratamento precoce a cidade de São Lourenço esta sem nenhum caso internado em UTI

No vídeo que vem sendo compartilhado nas redes sociais, o prefeito de São Lourenço fala sobre o Kit COVID, adotado no município no mês passado. O tratamento, que não teve a eficiência comprovada, consiste no uso dos medicamentos ivermectinahidroxicloroquina azitromicina.

“A experiência nos mostrou que entre o quadro clínico do paciente inicial na síndrome gripal até o resultado positivo e começar o tratamento, estamos perdendo de 4 a 7 dias. Percebi que esses pacientes estavam evoluindo muito mal até começar o tratamento de fato”, afirma prefeito.

Além do tratamento precoce, a prefeitura descentralizou o atendimento de moradores com síndrome gripal e ampliou leitos COVID-19 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

“Deixar as pessoas morrerem sem fazer nada ou começar o tratamento tardiamente, então, instituímos um protocolo. Alguns pacientes com simples gripe procuravam a UPA e saíam de lá com COVID-19. Fizemos com que as 10 Unidades Básicas de Saúde atendessem esses pacientes já começando o tratamento no começo do sintoma. Para aqueles assintomáticos que chegavam às unidades e tinham vontade de começar o tratamento por preventivo foi instituído o uso da ivermectina”, completa.

No vídeo, o prefeito afirma que o tratamento tem impactado nos números de internações e mortes na cidade.

“A UTI do Hospital São Lourenço começou a mostrar queda acentuada dos pacientes que internavam lá. Tanto que desde o dia 21 de fevereiro não temos um caso sequer de internado na UTI do hospital e não tivemos nenhum óbito até hoje. Houve uma ação de um tratamento precoce da sintomatologia e ganhamos esse time de 5 dias, que evitou que esses pacientes se agravassem para a UTI”, afirma.

Onda Roxa

De acordo com o boletim municipal, São Lourenço tem 2.515 casos confirmados pelo novo coronavírus e 50 mortes. São 252 infectados e mais três mortes incluídas no período de um mês.

Após reunião na tarde desta terça-feira (16/3), o Comitê COVID-19 decidiu aderir à onda roxa, fase mais restritiva do Minas Consciente.

Um novo decreto foi publicado pela prefeitura, com validade até 31 de março. “Considerando a alta taxa de ocupação dos leitos de UTI na Fundação Casa de Caridade de São Lourenço”, afirma documento.

O documento suspende serviços, comércios, atividades e empreendimentos, públicos ou privados, que não sejam essenciais nos termos do decreto.

“Os estabelecimentos que descumprirem as regras estabelecidas neste decreto e em outros atos normativos estarão sujeitos à cassação do Alvará de Localização e Funcionamento e do Alvará Sanitário, bem como demais sanções previstas em lei”, ressalta.

Ministro Pazuello e primeira-dama, Michelle Bolsonaro, inauguram serviço para atender mulheres em situação de vulnerabilidade social

No Dia Internacional da Mulher, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, inauguraram nesta segunda-feira (08/03), o Centro de Referência Flores da Lapa, no Rio de Janeiro. A nova unidade visa garantir, em parceria com a prefeitura do Rio, a proteção integral às mulheres que se encontram em situação de violação de direitos e vulnerabilidade social. Para apoiar o funcionamento do Centro de Referência, o Ministério da Saúde irá repassar R$ 13 milhões para o município do Rio de Janeiro.

“O Ministério da Saúde tem discutido e avançado bastante nas ações voltadas à Atenção Primária. E esse projeto tem tudo para ter um resultado campeão, pois planeja cuidar de forma ampla do seu público-alvo: mulheres que se encontram em situação de vulnerabilidade social”, analisou Pazuello.

A primeira-dama agradeceu o apoio do Ministério da Saúde, ressaltou a importância de contar com a estrutura nova, e falou da possibilidade da transformação social que será possível alcançar através do Centro.

“Esse projeto foi sonhado, idealizado com muito carinho e amor para atender as mulheres com o respeito que elas merecem nas diferentes fases de sua vida. Será neste local que a menina, moça e mulher em situação de vulnerabilidade poderá buscar a proteção que necessita. Que esse Centro seja apenas piloto e sirva de exemplo para outros centros em nosso país, e que as meninas, moças e mulheres se sintam protegidas e amparadas em todo o Brasil”, comentou.

CONHEÇA O PROJETO

A inauguração do Centro de Referência Flores da Lapa faz parte do “Projeto Menina, Moça, Mulher”, do Instituto de Ciências da Saúde Carlos Chagas. A iniciativa oferece atendimento diferenciado, resolutivo e para a melhoria das condições de vida e saúde das mulheres assistidas em situação de vulnerabilidade, especialmente no campo da violação de direitos decorrentes da violência de gênero e sexual.

A estrutura deste serviço se baseia em três vertentes centrais: o atendimento médico e multiprofissional de saúde, o atendimento social e estudos e pesquisas. A proteção integral prevista no Centro de Referência consiste no atendimento integrado de saúde à mulher (ações interventivas e preventivas) e na proteção social a partir da articulação de diversas políticas públicas.

Além das ações interventivas, a experiência do Centro de Referência poderá ser utilizada para o desenvolvimento de pesquisas vinculadas aos Programas Educativos do Instituto de Pós-Graduação Carlos Chagas, bem como uma metodologia social a ser replicada, prioritariamente no Rio de Janeiro, e em outras regiões do Brasil.

O Centro de Referência Flores da Lapa seguirá o funcionamento das unidades de Atenção Primária à Saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e aos sábados, de 8h às 12h. O quadro de profissionais de saúde e de apoio será capaz de manter e contemplar, durante todo o período de funcionamento, toda a demanda assistencial e administrativa da unidade.

A unidade de saúde contará com atendimento especializado de saúde, oferecido por uma equipe multiprofissional por meio da oferta de assistência social e cuidados médicos, atendimentos psicossociais, apoio, orientação e desenvolvimento de atividades que promovam a saúde física e mental e a superação da violação de direitos e da condição de vulnerabilidade. O acolhimento no Centro também será integral, humanizado e continuado, respeitando o contexto e condições de vida das mulheres que buscam apoio.

 

Ministério da Saúde
fotos: Pedro Paulo Souza

PGR evia oficio a governadores pedindo informações sobre os Hospitais de campanha que foram fechados ainda durante a pandemia

Provuradoria Geral da RRepública envia ofício a todos os governadores requerendo informações de quantos e quais hospitais de campanha foram construídos nos estados, quais foram construídos e não entraram em funcionamento, a data de início do atendimento aos pacientes, e em relação aos que foram desativados, informem a data da desativação e o motivo do fechamento.

Hospitais de campanha foram fechados por governadores ainda durante a pandemia e esses leitos fazem falta hoje aos pacientes que necessitam de cuidado.

O ofício é assinado pela subprocuradora-geral da República Lindôra Maria Araújo, que integra o Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia do Coronavírus da PGR, criado há um ano pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, e que atua de forma preventiva, extrajudicial e resolutiva na contenção da pandemia no âmbito do Ministério Público da União.

Grupo de médicos portugueses pede o uso de Ivermectina no tratamento da COVID-19

Um grupo de médicos portugueses criou uma petição pedindo às autoridades de saúde a inclusão da Ivermectina no tratamento precoce da COVID-19.

O medicamento foi avaliado em centenas de pacientes contaminados com a doença e, segundo a ordem dos médicos, apresentou resultado positivo.

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed), que funciona em Portugal como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no Brasil, informou que está avaliando o pedido.

Quem também já está estudando o uso da Ivermectina para o tratamento de pacientes com COVID-19 é a Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês).

Reportagem da Rede TV! mostra a posição de alguns profissionais sobre o uso da Ivermectina.

Médico Marcelo Queiroga será o novo ministro da Saúde

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou nesta segunda-feira (15) que convidou o  atual presidente da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), Marcelo Queiroga, para assumir o cargo de ministro da Saúde. O médico aceitou substituir Eduardo Pazuello e será o quarto ministro da Saúde da gestão Jair Bolsonaro.

Queiroga ficou cerca de 3 horas em reunião com Bolsonaro no Palácio do Planalto nesta segunda. Após o encontro, o presidente disse ao blog que “já conhecia o médico” e que ele “é um profissional qualificado”. O anúncio oficial será feito nesta terça-feira (16).

Além de Pazuello, já ocuparam o posto os médicos Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich. No final de semana, houve aproximação do governo com a médica Ludhmila Hajjar, que recusou assumir a pasta.

O paraibano Queiroga é muito respeitado no setor e tem bom trânsito em Brasília e no governo, tendo sido convidado este ano para integrar a direção da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). E já havia sido cotado para a pasta após a saída de Mandetta.

No combate ao coronavírus, defende o distanciamento social e não acredita em tratamento precoce, dois pontos em que diverge dos bolsonaristas e do próprio presidente. Mas Queiroga é considerado uma pessoa com jogo de cintura para construir uma política de saúde que possa funcionar contra a pandemia, sem contrariar suas convicções.

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Paraíba, é  especialista em cardiologia e tem doutorado em Bioética pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto/Portugal. Atualmente, dirige o departamento de hemodinâmica e cardiologia intervencionista (Cardiocenter) do Hospital Alberto Urquiza Wanderley (Unimed João Pessoa) e é médico cardiologista intervencionista no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, também na Paraíba.

Atuou como dirigente da Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista, na qual já exerceu a presidência no biênio 2012/2013, sendo membro permanente do seu Conselho Consultivo. Integra ainda o Conselho Regional de Medicina do Estado da Paraíba como Conselheiro Titular.

Assim como Ludhmila Hajjar, Marcelo Queiroga defende o isolamento social como forma de combate à pandemia. Ele também já se posicionou contrário ao “tratamento precoce” defendido por Bolsonaro à base de cloroquina, medicamento sem comprovação científica para covid-19.

De perfil técnico, Queiroga atuou na equipe de transição do governo de Michel Temer para Bolsonaro no fim de 2018. Em setembro do ano passado, encontrou-se com o presidente no Planalto e chegou a postar uma foto com ele.

Estavam no páreo para susbtituir Pazuello o deputado Dr. Luizinho (PP-RJ) e o também cardiologista José Antonio Franchini Ramires, do Incor, em São Paulo.

Como usar as redes sociais para gerar visibilidade para o seu negócio

A internet é uma rede que não para de crescer e a tendência é que ela fique cada vez maior. Juntamente com o seu avanço, as redes sociais passaram a tomar da rotina, dominando os espaços e fazendo com que tais espaços sejam uma ótima fonte de visibilidade para o seu negócio.

Mas, como as redes sociais têm influência na visibilidade dos negócios? Bom, é isso que falaremos mais detalhadamente a seguir. Confira!

Importância das mídias sociais

No começo, as principais redes sociais foram criadas, principalmente, para interações entre os usuários, bate papo, compartilhamento de ideias, comunidades e etc.

Inclusive, dois dos grandes exemplos de redes sociais que ganharam maior notoriedade no começo do século XXI foram o Orkut e o Messenger, ambos visando aproximar e reencontrar pessoas, conforme gostos e grupos de interesse, facilitando o contato.

Assim, o avanço das tecnologias e dessas plataformas fizeram com que as redes deixassem de existir e outras surgissem no lugar, com ainda mais impacto na vida das pessoas e também no crescimento de empresas do mercado comercial. 

A contribuição dessas mídias se dá no modelo que elas possuem. Em diversas redes as empresas podem criar perfis, grupos e páginas, de modo a interagir com o público e expor os produtos e serviços, além de criarem anúncios que serão exibidos no feed de notícias dos usuários.

Isso serve para todos os tipos de empresas, inclusive para clínicas e consultórios odontológicos, desde que as estratégias se adequem às normas do setor.

Desse modo, os dentistas podem mostrar os serviços que eles oferecem, como a prática de clareamento dental e sanar dúvidas quanto a isso. 

Deste modo, os usuários veem os anúncios e as publicações e podem ficar interessados, identificando como uma marca de relevância e experiência no setor.

Facebook

Para falarmos diretamente das principais redes sociais, começaremos pelo Facebook. Essa é a maior rede social do mundo, possuindo mais de 1 bilhão de usuários.

Essa é uma mídia completa, em que as empresas, como as clínicas, podem criar conteúdos variados, interagir com os usuários e anunciar serviços disponíveis, como a aplicação de uma lente de contato dental, por exemplo.

A visibilidade é muito grande, e se a clínica conhecer as principais estratégias de divulgação que essa rede possui, ela atingirá um alcance muito grande, expandindo o leque de pacientes e fidelizando-os.

Imagine o seguinte cenário: um usuário está passando seu tempo no Facebook e lembrou que precisa marcar uma consulta para realizar a troca do aparelho invisível

Ao pesquisar no Facebook essa palavra, ele pode encontrar diversas páginas que produziram conteúdos a respeito e que realizam esse tipo de procedimento, bem como visualizar a avaliação de pacientes e o funcionamento da clínica de forma mais clara.

Assim, com as estratégias adequadas, a sua página poderá estar em primeiro lugar no campo de pesquisa, inclusive fora da rede social – nos mecanismos de busca.

Instagram

Em segundo lugar na lista de redes sociais, temos o Instagram. Essa é uma mídia voltada para a postagem de fotos e vídeos, mas devido ao seu crescimento expansivo e a quantidade de usuários presentes, ela também pode ser uma ótima forma de evolução para as clínicas.

Os consultórios que possuem uma página nessa plataforma podem adotar um plano de postagens sequenciais, oferecendo diversos serviços, como a aplicação de um aparelho dental invisível

Com isso, os usuários estarão sempre conectados e por dentro do que o consultório oferece, fazendo com que cada vez mais eles se sintam próximos do seu consultório.

Youtube

Agora, temos uma rede social voltada para vídeos, que é o Youtube. Essa também é uma mídia que cresce cada vez mais e oferece serviços que as outras mencionadas não conseguem realizar.

No youtube é possível criar um canal para o seu consultório e explorar a criação de vídeos de diversas maneiras, tais como:

  • Criar conteúdos informativos e/ou publicitários (conforme o setor);
  • Promover debates sobre novidades do mercado;
  • Mostrar os procedimentos odontológico na prática;
  • Explicar sobre como funcionam os equipamentos;
  • Transmitir detalhes da profissão.

Outra ideia de conteúdo bastante interessante, são vídeos respondendo perguntas dos usuários. 

Neles, os participantes mandam perguntas nos comentários ou em outras redes sociais, como sobre “quanto custa lente de contato dental”.

Deste modo, o dentista pode optar por responder e mostrar mais detalhes desse item, ou fazer um conteúdo voltado para seu posicionamento ou mesmo o posicionamento deste instrumento. 

Linkedin

Para finalizar, separamos uma rede social que se difere bastante das demais. 

O linkedin é uma mídia voltada para assuntos profissionais. Nele, os usuários criam páginas expondo seus currículos e alguns trabalhos, ou mesmo empresas podem se posicionar melhor e evidenciar suas especificidades.

Do mesmo modo, a rede atua como um network e troca de empregos, aproximando os profissionais de seus pares e de empresas, que também podem interagir entre elas.

As pessoas que acessarem a página da sua empresa podem se sentir interessadas em contratar o seu serviço, justamente pelas qualificações que você possui e expôs na biografia do site. 

Dessa maneira, o Linkedin é uma rede social profissional, que vem crescendo e tem um papel muito importante no desenvolvimento das empresas, assim como as mencionadas anteriormente. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Vue Odonto, uma rede especializada em atendimento odontológico com enfoque na humanização.

Comércio não aguenta mais pagar a conta da pandemia

Com a volta do comércio para a fase vermelha entre os dias 6 e 19 de março, que proíbe o atendimento presencial, os lojistas de shopping centers estão sendo duramente afetados e a previsão é de mais empresas sendo fechadas e o aumento do desemprego no setor, principalmente nas lojas satélites (pequenas empresas).

“Estamos inconformados como lojistas, empresários e principalmente cidadãos” desabafa Thiago Sitta, diretor do Sindilojas-SP e lojista estabelecido em shopping center. “Estamos completamente abandonados pelo Estado. A gente tem as vezes a impressão de que a conta tem vindo só para nós, comerciantes e empresários”, complementa Sitta em referência à sua preocupação com o futuro das empresas estabelecidas em shopping centers.

OUÇA AQUI NOSSO PODCAST COM O LOJISTA E DIRETOR DO SINDILOJAS-SP, THIAGO SITTA

Para o empresário, fechar as lojas de shoppings não vai diminuir o número de pacientes com Covid-19 e nem aumentar o número de leitos em hospitais. Mas, já que as portas foram cerradas, a lista de reinvindicações para a sobrevivência dessas empresas é longa, passando pelo IPTU até as cobranças de aluguel e condomínio. Para ele, a conta não fecha. “Durante os últimos 12 meses de pandemia tivemos um aumento de IGPM de 25%. Completamente desproporcional com a realidade vivida dos shoppings, que teve queda de 50% nas vendas”, acrescenta o lojista. Outra queixa do diretor do Sindilojas-SP é sobre taxas e impostos cobrados pelos governos, que não tiveram nenhuma redução ou incentivo.

O lojista pede a todos que se unam nesse momento, para lutarem juridicamente e politicamente pelo equilíbrio da balança. É justamente essa a atuação do Sindilojas-SP desde o início da pandemia: negociações com os sindicatos laborais; ações para redução de aluguéis em shoppings; inúmeros pleitos para diminuição de impostos e taxas; sem contar as milhares de horas em consultorias prestadas aos lojistas.

O Sindilojas-SP reafirma que continuará envidando todos os esforços a fim de trazer alternativas viáveis para as empresas que estão impedidas de abrir.

Eleições 2022: Bolsonaro lidera em todos os cenários, aponta pesquisa

presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) desponta como um dos principais nomes para vencer as eleições presidenciais de 2022 e comandar o governo federal entre 2023 e 2026. Ao menos é o que aponta uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira (05/03), a mais de um ano e seis meses do pleito, pela Paraná Pesquisas.

Bolsonaro lidera com mais de 30% das intenções nos cinco cenários colocados. No primeiro, com 31,9%, ele concorre fortemente e bate o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro (sem partido), com 11,5%, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), com 10,5%, e o ex-deputado federal Ciro Gomes (PSD), com 10%. Acima de qualquer outro candidato estão os que votariam em nenhum dos citados, em branco ou nulo, que representam 12,5%.

No segundo cenário, mesmo sem a presença do apresentador de TV Luciano Huck (sem partido), o “top 5” se mantém, com Bolsonaro liderando 33,9% das intenções. O presidente é seguido por quem votaria em branco, nulo ou ninguém (13,7%), Moro (12,3%), Haddad (11,8%) e Ciro (10,7%).

O cenário 3, com o governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB) no lugar do governador de São Paulo João Doria (PSDB) e também com Huck, segue a linha dos dois anteriores, com Bolsonaro à frente com 32,4%. Nenhum, branco ou nulo (12,7%), Moro (12%), Haddad (10,8%) e Ciro (10,3%) puxam a fila e completam as cinco opções mais citadas.

O quarto cenário aponta para uma mudança, com a entrada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no lugar de Haddad na disputa. Mesmo assim, Bolsonaro lidera, com 32,2%, seguido de Lula (18%), branco, nulo ou nenhum (12%), Moro (11,6%) e Ciro (8,7%).

O quinto e último cenário apresenta um novo nome no top 5: João Doria (PSDB), governador de São Paulo, mas não coloca Moro como opção. Haddad também volta à lista no lugar de Lula. Bolsonaro lidera com 37,6%, seguido por nenhum, branco ou nulo (15,5%), Haddad (14,3%), Ciro (13%) e Doria (6,9%).

Todos os cenários se basearam em um possível primeiro turno das eleições gerais de 2022 e foram estimuladas. Nomes como o de Huck; do candidato à Prefeitura de São Paulo em 2020 Guilherme Boulos (Psol); do candidato à Presidência da República em 2018 João Amoêdo (Novo); de Eduardo Leite; e do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) foram citados, mas não figuraram o top 5 nenhuma vez.

A pesquisa foi realizada entre 25 de fevereiro deste ano e a última segunda-feira (01/03). Foram ouvidos 2080 eleitores espalhados por 196 cidades brasileiras. Eles foram entrevistados pelo telefone, informa a Paraná Pesquisas, e a margem de erro é de 2%.

Contra novas restrições no estado, caminhoneiros bloqueiam rodovia em SP

Caminhoneiros fazem no início da manhã desta sexta-feira (5) um protesto contra as novas medidas restritivas no estado de São Paulo, que passam a valer a partir deste sábado (6).

Dezenas de veículos fazem uma espécie de carreata na Marginal Tietê, uma das principais vias de tráfego da capital paulista. O ato atrapalha o fluxo de motoristas em uma das horas mais movimentadas do trânsito na cidade.

Além disso, eles são contra o ICMS nos combustíveis, o que aumentaria o preço do diesel nas bombas.

Entenda as restrições da fase vermelha

O toque de restrição da circulação passa a valer das 20h às 5h, antes do anúncio a proibição do trânsito não essencial começava às 23h.

De acordo com as atuais regras do plano, na fase vermelha não é permitido o funcionamento de shopping center, de centros comerciais e de comércios em geral, bem como de serviços não essenciais.

Também ficam proibidos de abrir salões de beleza e academias. Também não podem ser realizados eventos, convenções, atividades culturais e outras atividades que gerem aglomeração.

Em relação aos bares e restaurantes, a fase vermelha do Plano SP proíbe que eles prestem atendimento para consumo local.

Os bancos vão restringir a entrada de clientes nas unidades e dedicar um horário especial ao público que faz parte do grupo de risco.

Nesta fase de restrições, o expediente segue das 09h às 15h, sendo que a primeira hora, até às 10h, será dedicada exclusivamente a gestantes e maiores de 60 anos. O público geral terá seus serviços atendidos das 10h às 15h.

Além disso, os bancos passam a atender apenas os “casos absolutamente prioritários”. Os funcionários farão triagem de atendimento para evitar aglomerações dentro das unidades. Como não há uma lista com a indicação de quais serviços são considerados prioritários, cada agência deve avaliar caso a caso.

(*Com informações de Murillo Ferrari e Wesley Santana, da CNN, em São Paulo)