Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

71% da população veem recuperação da economia somente a partir do próximo ano, mostra pesquisa da CNI

O ritmo da vacinação e a segunda onda da Covid-19 derrubaram a expectativa do brasileiro em uma retomada mais rápida da economia. A terceira edição da pesquisa “Os brasileiros, a pandemia e o consumo”, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), encomendada ao Instituto FSB Pesquisa, mostra que 71% das pessoas consideram que a economia vai levar, pelo menos, um ano para se recuperar. Foram entrevistadas 2.010, entre 16 e 20 de abril deste ano. Em julho de 2020, eram 61%. Essa pergunta não foi feita na primeira edição.

Esse sentimento impacta os hábitos de consumo e foi influenciado pela vacinação: 83% dos entrevistados consideram o ritmo de vacinação no Brasil lento e 35% das pessoas que ainda não foram imunizadas não têm expectativa de serem vacinadas esse ano. Dados oficiais mostram que apenas 13,2% da população foram vacinadas. Do total de entrevistados pela pesquisa, 9% já tomaram a primeira dose da vacina e 6%, as duas doses.

De acordo com o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, a aceleração do ritmo da vacinação dos brasileiros contra a covid-19 é condição imprescindível para combate eficaz à pandemia. “Só a imunização em massa da população contra a doença recolocará o Brasil no caminho da retomada da economia, do dinamismo do mercado consumidor e na rota dos investimentos. Mais importante, a rápida execução do Plano Nacional de Imunização – respeitando a ordem dos grupos prioritários – permitirá que a população brasileira possa, enfim, contar com a proteção contra essa doença que tem trazido enorme custo humano para o país e o mundo”, afirma Robson Braga de Andrade.

46% viram sua renda diminuir ou ser zerada pela pandemia

A pesquisa mostrou um medo menor da população em perder o emprego do que em 2020. Em abril de 2021, 41% assinalaram ter um medo grande ou muito grande de perder o emprego. Em julho de 2020, eram 45% e, em maio de 2020, 48%.

Apesar disso, 32% dos trabalhadores afirmaram que a renda diminuiu e 14% perderam totalmente a renda, nos últimos 12 meses. Para 41%, a renda ficou estável e 10% registraram aumento. Em outra pergunta, quanto às expectativas sobre sua renda para os próximos seis meses, 3% acreditam que perderão totalmente, 9% veem redução parcial e 83% consideram que não terão mudanças.

Diante de todo esse cenário de crise e pandemia, 71% da população afirmam ter reduzido seus gastos desde o início da pandemia. Os motivos teriam sido os seguintes: 30% perderam parte ou toda renda; 38% se dizem inseguros quanto ao futuro; 27% alegam o fechamento do comércio e; 5% não responderam. Nesse tópico, o que chama a atenção é o fato de 37% dos respondentes afirmarem que a redução do gasto será permanente, percentual que há um ano estava em 29%.

61% da população são a favor da abertura de comércio de rua

A pesquisa mostra que a maior parcela da população vê a necessidade de manter alguns serviços abertos. Nesta edição, 61% apoiam a abertura do comércio de rua, enquanto em julho de 2020, eram 49%.

No entanto, ainda na comparação entre abril de 2021 e maio do ano passado, caiu de 72% para 49% o percentual de pessoas contrárias a abertura de escolas e universidades. Sobre salões de beleza, 51% não aprovam, em julho de 2020 eram 57%. No caso dos shoppings, 57% apoiam o fechamento, na edição anterior eram 69%.

A pesquisa

O Instituto FSB Pesquisa entrevistou, por telefone, 2.010 brasileiros, entre 16 e 20 de abril, em amostra representativa da população brasileira. A margem de erro do estudo é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%. Sempre que possível, os dados são comparados aos das rodadas 1 e 2, realizadas, respectivamente, em maio e julho do ano passado.

PESQUISA COM GRAFICOS

A importância de se manter em dia a vacinação infantil contra a meningite, mesmo durante a pandemia 

Segundo estudo encomendado pela farmacêutica GSK e publicado pela Ipsos, metade dos pais de crianças em idade de imunização contra a meningite, em oito países – incluindo Brasil, não vacinou os filhos em 2020 em razão das restrições impostas pela pandemia por coronavírus.

Neste cenário, pediatras e infectologistas alertam para a regularização da vacinação. Segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), em média, mais de 95% dos vacinados ficam protegidos, mas a proteção das vacinas conjugadas (meningocócica C e ACWY) não dura por toda a vida. Por isso, é importante que sejam administradas as doses de reforço conforme as recomendações da SBIm e da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

A meningite, ou doença meningocócica, é uma inflamação das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal (as meninges). Podendo ter rápida evolução, principalmente entre crianças e adolescentes, mesmo quando diagnosticada corretamente, sua taxa de letalidade alcança de 5% a 10% dos pacientes entre 24 e 48 horas após os primeiros sintomas. Sem tratamento adequado, o índice sobe para 50%. De origem infecciosa, a meningite pode ser causada por bactérias, vírus, fungos ou parasitas. No Brasil, onde a doença é considerada endêmica, os causadores mais comuns são a Neisseria meningitidis, o Streptococcus pneumoniae e o Haemophilus influenzae. As meningites bacterianas são mais recorrentes no outono e inverno, enquanto as virais costumam surgir mais na primavera e no verão.

Video: Vereador em Minas abre caixão lacrado com facão: ‘Isso aqui não é Covid’

Wilian Faria (PT), vereador da pequena cidade de Santa Bárbara do Leste, localizada na Zona da Mata mineira, causou espanto nas redes sociais após abrir, com a ajuda de um facão, o caixão de um idoso que havia morrido com suspeita de coronavírus. De acordo com o parlamentar, foi uma falta de respeito a vítima não ter tido velório, já que não havia comprovação de que estaria com a doença.

Entenda

José Vieira do Carmo, de 92 anos, deu entrada no hospital Casu – Hospital Irmã Denise, em Caratinga, na mesma região, com sintomas gripais. Infelizmente, ele morreu na madrugada desse domingo (25).

Conforme sua filha, de 32 anos, contou à polícia, a família acionou uma funerária para que o corpo fosse retirado da unidade hospitalar e fossem feitos os serviços de praxe. Na manhã daquele dia, o caixão chegou ao cemitério municipal de Santa Bárbara do Leste todo lacrado, como se o idoso tivesse suspeita ou confirmação de coronavírus.

Entretanto, em seu atestado de óbito, não havia nenhum dado a respeito de Covid-19. O fato gerou a indignação de familiares, que não puderam se despedir do ente de uma maneira “digna” e, no caso, também do vereador da cidade, que tem aproximadamente 8 mil habitantes. Ele foi ao local e abriu o caixão para confirmar que havia um corpo lá, mas nenhuma informação sobre a doença.

“Isso aqui não é Covid. Isso aqui é financeiro. Cadê a coroa de flores desse cidadão? Você está vendo porque não querem que abram os caixões? Isso aqui é uns desrespeito com o ser humano”, disse Faria. Veja:

Versão

Conforme o dono da funerária disse à Polícia Militar, quando seus funcionários foram buscar o corpo no hospital, este já estava embalado e lacrado, conforme normas do Ministério da Saúde, já que ele morreu com sintomas que poderiam ser de Covid-19. Portanto, a empresa não poderia fazer nada a respeito, apenas entregar o caixão no cemitério.

Segundo a enfermeira chefe do hospital Casu, o idoso deu entrada no local, vindo da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Caratinga, já intubado e com sintomas de coronavírus. Teria sido feita a coleta para exame de diagnóstico, mas como o resultado não ficou pronto a tempo, ele precisou ser tratado como caso suspeito.

Sobre no atestado de óbito não estar escrito isso, apenas insuficiência respiratória aguda, de acordo com orientações do governo federal e da Vigilância Sanitária é necessário fazer o isolamento do corpo para não ter risco de contaminação.

Investigação

O presidente da Câmara Municipal de Santa Bárbara do Leste, Altair do Silon (MDB), afirmou nesta segunda-feira (26) que a Casa irá abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o ato do vereador. Ele classificou a atitude como lamentável,

“A Câmara Municipal esclarece que a conduta do vereador será devidamente investigada por uma CPI”, afirmou. “Tão logo o processo seja concluído, daremos um maior esclarecimento sobre as medidas adotas em razão deste lamentável evento”, completou o presidente.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) deve investigar o caso. Como Wilian Faria rompeu o lacre do paciente que pode ter morrido por Covid-19 na presença de diversas pessoas, ele poderá responder pelos crimes de infração de medida sanitária preventiva e violação de urna funerária.

 

Os professores, a pandemia e o ensino não-presencial

A pandemia da Covid-19 demandou o distanciamento social, afastou professores e alunos, tornou o ensino – contingencialmente – remoto. A relação ensino-aprendizagem passou a ser mediada pela tecnologia, via internet. Um ano neste cenário demonstrou que nem todos têm acesso à tecnologia, como se imaginava. Em alguns casos, ter a tecnologia não garante saber usá-la. E, pior ainda, ter e saber não implica, necessariamente, querer. A internet cai, a energia falta, a câmera quebra, o microfone chia.

Para os professores, gravar vídeos, transmitir aulas, postar atividades e editar formulários para as avaliações passaram a ser novas demandas. No início, até foi o (maior) desafio. Para muitos significou aprender novas habilidades de forma acelerada. E os professores aprenderam! Afinal, o aprender faz parte do ensinar.

Entretanto, para muitos, a solidão apresentou-se nas câmeras desligadas, como o “dormir em sala”. E, nos chats paralelos, configurou-se o novo “passar bilhetinho na hora da aula”. Se houve cenários em que os professores precisaram suprir a falta de uma plataforma utilizando-se do WhatsApp, por exemplo, e a falta de acesso à internet entregando materiais impressos aos alunos, em outros, o desafio foi se fazer ouvir por eles, tocar seus corações, antes mesmo de pensar em trabalhar suas mentes. No final das contas, tudo tem mais a ver com comunicação e relacionamento do que com dados móveis e plataformas.

James Prochaska, psicólogo da Universidade de Rhode Island, em seu Modelo Transteórico da Mudança de Comportamento, fala em estágios: distração, contemplação, preparação e ação. Aqueles profissionais da educação que, no início da pandemia, ainda negavam a necessidade de mudar (distração) ou que ainda não estavam agindo (contemplação) foram levados, abruptamente, à fase de aprendizado (preparação). Essa aceleração repentina trouxe consigo ânsia, sobrecarga e cansaço. Mas trouxe, também, a oportunidade da formação de novos hábitos e da descoberta de novos modos de fazer (ação).

As escolas já vinham demandando – antes mesmo da pandemia – professores “mais humanos”. Entenda-se, capazes de trabalhar os alunos mais que os conteúdos. Significa desenvolver habilidades, avaliar competências, proporcionar autonomia aos alunos, ressignificando o ensino e enfatizando o aprendizado. “É mais fácil transformar uma boa pessoa num bom profissional do que o contrário” é o que tenho ouvido nos últimos tempos. É uma demanda do mundo mais que do mercado.

Assim, as ações focadas em acolhimento, escuta, gestão das emoções, empatia, estratégias para lidar com estresse e frustrações, comunicação não-violenta e relacionamentos têm gerado melhores resultados, impactado mais. Há, então, que se melhorar as pessoas. Percebe? Investimento para o agora, ganho para o pós-pandemia.

Por Idelfranio Moreira

Gerente de Inovações para Professores

SAS Plataforma de Educação

Covid-19: Fiocruz vai entregar 5 milhões de doses de vacina na sexta

Doses of AstraZeneca’s coronavirus disease (COVID-19) vaccine are seen, as Spain resumes vaccination with AstraZeneca shots after a temporary suspension, inside a COVID-19 vaccination centre at Wanda Metropolitano stadium, in Madrid, Spain, March 24, 2021. REUTERS/Sergio Perez

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou hoje (21) que vai entregar, na próxima sexta-feira (23), 5 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca contra covid-19 produzidas pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos). A quantidade supera a previsão inicial para esta semana em 300 mil doses.

Por questões logísticas relacionadas à distribuição das vacinas, a Fiocruz passará a liberar os lotes para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) sempre às sextas-feiras. Segundo a fundação, a decisão foi tomada em conjunto com o Ministério da Saúde, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Na semana passada, Bio-Manguinhos também liberou 5 milhões de doses, porém em duas remessas, na quarta-feira e na sexta-feira. Para a semana que vem, o cronograma prevê mais 6,7 milhões de doses, o que fará com que a fundação entregue mais de 18 milhões de doses no mês de abril.

Para os próximos meses, a programação é que as entregas cresçam em volume e cheguem a 21,5 milhões, em maio; 34,2 milhões, em junho; e 22 milhões, em julho. Desse modo, a fundação cumprirá a meta de produzir 100,4 milhões de doses a partir do ingrediente farmacêutico ativo (IFA) importado, conforme acordo de encomenda tecnológica firmado com a farmacêutica AstraZeneca. No segundo semestre, a Fiocruz prevê produzir 110 milhões de doses com IFA fabricado no Brasil.

Já foram entregues ao Programa Nacional de Imunizações 14,8 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, sendo 10,8 milhões produzidas por Bio-Manguinhos. As outras quatro milhões foram importadas prontas da Índia nos meses de janeiro e fevereiro.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Marco do Saneamento: Brasil desativa 600 lixões em um ano

Mais de 600 lixões pelo Brasil foram desativados em um período de um ano, de acordo com levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre). O encerramento de lixões vem sendo promovido pelo programa Lixão Zero, lançado em 2019 pelo Ministério do Meio Ambiente.

O Marco do Saneamento, sancionado em julho de 2020, também estabeleceu um prazo para o fim dos lixões nos municípios brasileiros, que varia conforme a existência de planos de resíduos sólidos e número de habitantes nas cidades*. De modo geral, a lei prevê o encerramento de todos os lixões do Brasil até 2024.

Entre as metas do programa, está a descontaminação dos espaços onde os lixões foram fechados. O mapeamento dessas áreas é realizado pelo Programa Nacional de Recuperação de Áreas Contaminadas.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Ensino via internet é irreversível

Dados recentes do Instituto internacional Icef, ligado ao campo da Educação, mostram a rapidez de crescimento do Ensino via internet na maioria dos países ao redor do mundo. O trabalho apontou que alguns países, mesmo antes da pandemia, apresentaram uma tendência ao fomento do ensino remoto em relação ao presencial. Os Estados Unidos lideraram a lista de países onde o ensino via internet mais cresceu, uma tendência que já está sendo seguida por outros países, principalmente na América Latina.

Na liderança mundial inconteste em educação on-line, os Estados Unidos apresentam milhares de universidades a distância, com dezenas de milhares de cursos oferecidos. Dados atuais indicam que, no geral, as matrículas em cursos on-line no país já estão se sobrepondo às da educação superior presencial. O fenômeno faz com que hoje 65% das instituições de ensino superior americanas já consideram investimentos em ensino remoto.

Em pesquisa com quase 3.000 faculdades nos Estados Unidos, foi identificado que 34% pretendiam ofertar aulas principalmente online em 2020, 21% em formato híbrido (presencial e remoto), 23% principalmente presencial, 10% totalmente online e 4% totalmente presencial. O volume previsto para investimentos em educação online no país até 2026 é de $ 370 bilhões.

Pesquisa entre faculdades nos EUA mostrou que 33% dos administradores de faculdades afirmaram que continuarão a oferecer opções de cursos remotos e online, mesmo depois que seu campus forem reabertos e as operações normalizadas. Como diretor de educação e tecnologia da Ambra University, percebo que o grande desafio é a preservação da excelência no processo de aprendizagem entre professores e alunos.

O mesmo fenômeno também já é notado no Brasil. Regulamentado há 14 anos, o ensino a distância superou pela primeira vez, a oferta de vagas da educação presencial no país. De acordo com o Censo mais recente da Educação Superior, foram oferecidas 7,1 milhões de vagas a distância, frente a 6,3 milhões de vagas presenciais.

Em dez anos, o crescimento dos ingressantes em EAD no Brasil foi de 226%, contra 19% da modalidade presencial, o número superou as expectativas para no ano 2020. Dados recentes mostram que já são quase 10 milhões de brasileiros matriculados no ensino à distância. O número de matrículas deve dobrar no pós-pandemia. O impulso na modalidade de ensino via internet no Brasil, expôs o quão útil e eficaz é a metodologia e obrigou o fim imediato do preconceito com o ensino online.

Pesquisa da organização Catho Educação no Brasil constatou um aumento de 70% nas matrículas em cursos de educação a distância. O interesse por cursos remotos se elevou em 45%. Na Ambra detectamos um aumento de 40% na procura de brasileiros interessados em se matricular em mestrado nos Estados Unidos – via internet em 2020. Uma mudança paradigmática em um ano de pandemia em que muitos aproveitaram para buscar o sonhado diploma americano.

O ensino via internet é uma realidade irreversível no Brasil e no mundo e deve ganhar um novo impulso no futuro próximo devido a pandemia. Precisamos estar todos atentos a este fenômeno e buscar, principalmente no Brasil, investimentos em tecnologia educacional, conectando as escolas na internet e fomentando essa modalidade de ensino remoto que não vai acabar.

Finalmente, acredito que a próxima mudança será clareza na distinção de instituições/ cursos focados em massificação, oferecendo um ensino sem qualidade, e de instituições/cursos focados em rigor e excelência acadêmica, os quais entregam para a sociedade egressos bem formados e capazes de resolver os complexos problemas das pessoas e das organizações.

A diferença essencial entre um curso de excelência para cursos de diplomação massiva é que, na excelência, os professores, treinados e qualificados, oferecem contato individualizado e apresentam constantemente feedbacks a cada estudante garantindo, que cada um realmente tenha alcançado os objetivos traçados por cada professor em cada disciplina.

Alfredo Freitas é pós-graduado em ‘Project Management’ pela Sheridan College no Canadá, graduado em Engenharia de Controle e Automação e Mestre em Ciências, Automação e Sistemas, pela Universidade de Brasília. O renomado profissional tem mais de 15 anos de experiência em Tecnologia e Educação. É atualmente Diretor de Educação e Tecnologia da Ambra University. A Universidade americana é credenciada e tem cursos reconhecidos pelo Florida Department of Education (Departamento de Educação da Flórida) sob o registro CIE-4001. Além disso, a universidade conta com histórico de revalidação de diplomas no Brasil.

Por Alfredo Freitas

Dezenove respiradores são encontrados em parede falsa de hospital de Belém

Dezenove respiradores são encontrados escondidos em uma parede falsa no Hospital Abelardo Santos, em Belém.

A descoberta aconteceu em 22 de março, durante o processo de troca de gestão da organização social que administrava a unidade.

O hospital, localizado no distrito de Icoaraci, é referência no combate à Covid-19 e atendia exclusivamente pacientes com a doença até o último dia 15.

Segundo a denúncia, apurada por uma comissão interna do governo do Pará, a parede falsa foi erguida no auditório do prédio.

O governo do Pará ainda não informou o valor pago pelo equipamento ou a data de aquisição.

 

Saiba como o convênio odontológico pode te ajudar a ter um sorriso bonito e saudável  

Além dos hábitos alimentares e, principalmente, de higienização bucal, as idas regulares ao dentista são essenciais para garantir dentes belos e saudáveis. Por isso, o intuito deste conteúdo é mostrar como o convênio odontológico pode contribuir para um sorriso bonito.

 

Primeiramente, é preciso entender que a saúde está diretamente ligada à qualidade do sorriso. Assim, manter hábitos saudáveis pode melhorar a vida de uma pessoa em diversos aspectos, incluindo o sorriso e o pleno funcionamento corporal.

 

Para isso, no entanto, deve-se compreender algumas premissas dos cuidados com a cavidade, bem como buscar e compreender as formas que o convenio odontologico atua para ampliar a saúde e bem-estar.

 

Por esse motivo, antes de apresentar o convênio odontológico, abordaremos sobre os cuidados diários que precisam ser realizados adequadamente para promover a saúde, inclusive, demonstrando como o convênio pode contribuir nesse processo.

Hábitos alimentares

Manter uma alimentação balanceada influencia diretamente na qualidade dos dentes e regulação da cavidade oral, bem como para todo o corpo.

 

Por isso, o primeiro cuidado recomendado é que é preciso reduzir ou excluir o açúcar das refeições e evitar ao máximo carboidratos. Isso porque a sacarose alimenta as bactérias presentes na boca, que por sua vez, podem corroer a dentição e torná-la mais vulnerável a doenças.

 

Outros alimentos que é preciso evitar são aqueles que apresentam pigmentação, pois, se forem consumidos com frequência, podem escurecer ou causar manchas nos dentes.

 

Por esse motivo, ao consumir algum desses alimentos, o indicado é que passe uma água na boca após ingeri-lo para limpar os resíduos. Portanto, deve-se evitar:

 

  • ● Café;
  • ● Beterraba.
  • ● Suco de uva;
  • ● Vinho;
  • ● Refrigerantes.

 

Por outro lado, existem alimentos que fazem bem à saúde bucal, são os que são ricos em vitamina D e cálcio, nutrientes responsáveis por nutrir o esmalte do dente.

Com isso, é possível proteger a estrutura e a cavidade de doenças bucais e alterações, como em sua coloração e inflamações.
Outra categoria de alimentos benéficos são as fibras, que funcionam como uma espécie de detergente e escova da boca, pois retiram os resíduos alimentares presos nos dentes.
Nesse sentido, dentre os alimentos recomendados para garantir uma boa saúde bucal são:
  • ● Ovo;
  • ● Leite e seus derivados;
  • ● Couve;
  • ● Espinafre;
  • ● Cenoura;
  • ● Maçã.
Inclusive, para além dos alimentos, a água se mostra um elemento crucial para a plena saúde da cavidade oral e nutrição de todo o organismo.
Por esse motivo, especialistas da área da nutrição e dentistas de convenio odontologico ou particular recomendam que as pessoas bebam em média dois litros de água por dia para que o organismo funcione corretamente, hidratando todos os tecidos.
Além disso, a água contribui diretamente para a produção de saliva, que realiza a limpeza natural dos dentes, e para a regulação do ph da mucosa.
Higiene bucal
O fator crucial para se ter dentes bonitos e saudáveis são as práticas diárias de higiene. Elas são as principais responsáveis por remover as bactérias da boca e os resíduos alimentares.
Primeiramente, a escovação deve ser feita três vezes ao dia, preferencialmente ao final de cada refeição.
Para que isso seja feito de forma correta, deve-se utilizar escovas de cerdas macias e fazer movimentos circulares acima da linha da gengiva e dente, de modo a remover as bactérias desses tecidos.
Após escovar os dentes, também é preciso que se escove a língua em movimentos de vai e vem, finalizando a remoção dos microorganismos, inclusive aqueles removidos dos dentes. Para que a escovação esteja completa, o ideal é que dure cerca de dois minutos.
Seguindo aos cuidados com esses tecidos, deve-se bochechar o antisséptico bucal por cerca de 30 segundos, removendo bactérias mais resistentes ou em locais de mais difícil acesso para a escova e fio dental.
Além disso, o enxaguante age diretamente nos tecidos gengivais, evitando inflamações nessa área.
Por fim, deve-se passar o fio dental todos os dias, pois ele consegue limpar lugares que a escovação não consegue.
Inclusive, cabe dizer que ao recorrer a um plano de qualidade e clínicas odontológicas no decorrer da vida, é possível acompanhar a saúde bucal de forma integral evitando as doenças e promovendo cuidados mais significativos, e até orientações sobre como realizar esses processos de higienização com qualidade e de acordo com a faixa etária do paciente.
Além dessa vantagem, do pleno acompanhamento e orientações, o plano odontológico se mostra fundamental para a saúde e beleza da cavidade de forma ampla. Confira a seguir os motivos para isso.
Importância do dentista e do plano odontológico
Depois de passar todas as práticas diárias primordiais para ter um sorriso bonito e saudável, a função do dentista entra em ação e, com ela, a importância do plano odontologico.
Basicamente, todas as pessoas devem ir ao dentista regularmente, com uma distância de ao menos seis meses entre cada consulta.
Desse modo, o profissional consegue realizar o acompanhamento da saúde bucal de forma integral, removendo o tártaro e realizando uma limpeza mais profunda para ampliar ainda mais a prevenção de doenças bucais.
Além disso, o profissional pode aplicar o flúor na dentição, produto crucial para o combate à cáries, além de fortalecer e nutrir o esmalte dentário, deixando-o mais resistente.
Para a realização das avaliações regulares e para que os procedimentos básicos sejam feitos de forma adequada, promovendo mais saúde bucal, é necessário a visitação ativa a um consultório – o que pode demandar um alto investimento por parte do paciente quando feito no atendimento particular.
Isso porque cada consulta e procedimento tende a ser pago de forma individual, impactando no orçamento, principalmente em tratamentos que são realizados com acompanhamento a longo prazo.
Com isso, se mostra mais viável ter um convênio dentário, já que os valores são pagos mensalmente, permitindo uma cobertura vasta para a realização de diversos tratamentos.
Contudo, além do modelo de plano individual, é importante verificar se o local de trabalho apresenta alguma parceria/contratação com convênio, pois muitos disponibilizam benefícios como o plano odontologico empresarial, que cobre todos os procedimentos básicos.
Independentemente de ser o plano individual, coletivo ou relacionado ao trabalho, há diferentes opções de pacotes de serviço, o que permite a avaliação daquele que melhor se adequa ao orçamento e às necessidades.
Em todos os casos, os planos devem atender qualquer situação emergencial, mesmo que seja necessária uma intervenção cirúrgica, independentemente do tempo de carência.
Vantagens do plano odontológico
Como mencionado, para garantir uma bela dentição, bem como um sorriso mais saudável e harmonioso, consultas regulares devem ser feitas e isso pode ser mais fácil com um plano odontológico.
Confira nos tópicos a seguir as vantagens de contar com um convênio.
Praticidade
Com um plano odontológico, consultar um odontologista e fazer os procedimentos se torna bem mais prático e ágil, sendo muitos processos intermediados pelo convênio.
Além disso, o convênio odontológico proporciona idas frequentes ao dentista, reduzindo o receio de consultórios e procedimentos odontológicos, além de prevenir diversas inflamações – bem como a realização mais facilitada dos procedimentos estéticos.
Nesse sentido, é importante considerar que a contratação de planos deve cobrir consultórios localizados próximos da residência ou percurso realizado para o trabalho, por exemplo.
Ou seja, a clínica precisa estar, ao menos, em local de fácil acesso para facilitar o acompanhamento do profissional.
Afinal, além de dificultar atendimentos mais urgentes, um dentista longe ou difícil de chegar pode desestimular o paciente a se consultar e seguir a rotina correta e regular de cuidados com a saúde bucal.
Tratamentos de qualidade
Com um convenio odontologico empresarial ou individual, é possível ter profissionais mais qualificados e atendimento com tecnologia apurada.
Para essa garantia, no entanto, é preciso que, antes de fechar o contrato com qualquer empresa prestadora do serviço, checar se ela está regularizada na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).
Isso porque é por meio dos órgãos que se tem a garantia de segurança e qualidade, além de ter acesso aos procedimentos básicos que o plano cobre e seus processos para realização de forma credenciada.
Assim, também será mais fácil o proceder jurídico em caso do convênio não cobrir o que lhe é devido.
Melhora no bem-estar
Garantir um sorriso bonito é salvar o principal cartão de visitas de uma pessoa, aumentando a autoconfiança do paciente para ter relações interpessoais e melhorar a forma de se introduzir no meio corporativo ou escolar.
Além disso, com um plano odonto empresarial ou individual, o usuário consegue cuidar da aparência de seu sorriso, que impacta diretamente na estética do rosto, ao mesmo tempo que cuida da saúde, prevenindo doenças bucais e de todo o organismo.
Cobertura de dependentes
Planos odontológicos geralmente possuem a possibilidade de abranger os dependentes nos atendimentos.
Ou seja, contemplar os familiares nos serviços odontológicos, podendo incluir pais, filhos e o cônjuge, permitindo que eles usufruam do convênio para cuidar de seus dentes com um profissional e adquirindo mais qualidade de vida.
Isso é muito vantajoso para o usuário que contratou ou é contemplado com um benefício de plano odontológico, porque ele não terá de pagar outros planos ou consultas avulsas, o que pesaria consideravelmente em suas finanças.
Além disso, com familiares cuidando de sua saúde bucal, diminui a possibilidade de complicações bucais e, consequentemente, diminui a preocupação, principalmente em relação a situações emergenciais.
Assim, o usuário do plano dentário pode trabalhar e cuidar dos seus afazeres do dia a dia sem preocupação.
Maior acessibilidade aos procedimentos estéticos
Já que o assunto é sobre melhorar o sorriso, a odontologia estética é um recurso muito procurado nas clínicas odontológicas. Isso porque a partir de procedimentos práticos e simples, consegue-se resultados incríveis.
Com o clareamento dental, por exemplo, é possível recuperar a coloração dos dentes, podendo ser feitos até com mais facilidade, como em casa a partir de moldeiras.
A lente de contato dental, outra febre entre os procedimentos estéticos nos consultórios odontológicos, consegue melhorar a coloração dos dentes ao mesmo tempo que alinha o sorriso.
Esses e outros vários procedimentos ortodônticos estéticos, geralmente, não estão inclusos na cobertura de planos odontológicos mais básicos, mas muitas operadoras têm abertura para negociação para realizar o tratamento.
Além disso, os pacotes premium podem incluir esses procedimentos, demandando atenção ao avaliar os desejos e necessidades, comparando os planos odontológicos disponíveis. Outra opção é avaliar a possibilidade de ressarcimento no caso de realizar o tratamento no atendimento particular.
Procedimentos como esses citados são bem práticos, rápidos e trazem resultados notáveis.
No entanto, para a manutenção dos resultados, os clientes também precisam ter atenção aos cuidados de higienização e alimentação diários, que garantem uma boa saúde bucal, bem como realizar os retornos junto ao profissional para avaliação do tratamento.
Diversas modalidades
Para as pessoas que estão buscando o convênio mas ainda buscam aquele que melhor se adequa ao cenário financeiro e de trabalho, há ainda opções para outros modelos como os microempreendedores.
Assim, muitas operadoras visam oferecer diversas modalidades e pacotes de serviço, para abranger todo o tipo de caso, como o plano odontologico para MEI, coletivo, individual e familiar, por exemplo.
A diversidade de modalidades de convênios é muito grande, possibilitando que a abrangência de pessoas com acesso ao serviço com a vantagem de um convênio seja ampliada, democratizando o acesso a atendimento.
Para as pessoas que são colaboradoras de alguma empresa, é completamente natural considerar um benefício como esse, que não tem um custo muito alto para a empresa, para trabalhar para aquela unidade.
Na realidade, é cada vez mais comum as empresas oferecerem plano dental coletivo empresarial para os seus funcionários, complementando seus salários e diminuindo gastos à medida que aumenta a qualidade de vida.
Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Networkflow, especializada em materiais para network, empreendedorismo e dicas para a saúde e qualidade de vida.

Gilmar Mendes pede informações sobre restrições a 7 estados

ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), solicitou nesta sexta-feira (16) informações a sete estados sobre medidas de restrição por causa da pandemia de covid-19. Acre, Amapá, Bahia, Rio Grande do Sul, São Paulo, Sergipe e Piauí têm dez dias para enviar esses dados ao Supremo.

A decisão atende a ação direta de inconstitucionalidade proposta pelo PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) sobre decretos estaduais que estabelecem lockdowns e toques de recolher. O partido alega, em síntese, que as normas estaduais violam diretos fundamentais, em especial o direito à liberdade de locomoção e ao trabalho.

Depois, as informações devem ser enviadas à Advocacia-Geral da União e à Procuradoria-Geral da República, para que se manifestem no prazo de 5 dias. Desde explosão da pandemia em março, as novas medidas restritivas, que incluíram lockdowns e toques de recolher, têm sido alvos de ação no STF.

No dia 19 de março, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) entrou com uma ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) contra os toques de recolher que vigoravam na Bahia, Distrito Federal e Rio Grande do Sul.

Pouco mais de duas semanas depois, às vésperas da Páscoa, o ministro Kassio Nunes aceitou liminar da Anajure (Associação Nacional de Juristas Evangélicos) para determinar a abertura de igrejas para cerimônias presenciais, seguindo os protocolos sanitários de distanciamento.

O ministro Gilmar Mendes proferiu decisão contrária dois dias depois, e o Plenário do STF acabou referendando o entendimento de que estados e municípios podem decretar medidas restritivas contra a covid-19 e, portanto, poderiam fechar igrejas em fases críticas da pandemia.

Fonte:R7