Codó Notícias - O melhor e mais completo site da Região dos Cocais

Deputado opositor venezuelano sofre tentativa de envenenamento na Colômbia

Caracas — O presidente da Comissão de Controladoria da Assembleia Nacional (parlamento) da Venezuela, Freddy Superlano, que estava em Cúcuta, na Colômbia, para apoiar a tentativa de levar ajuda humanitária a seu país, foi envenenado junto com seu primo Carlos Salinas, que acabou morrendo, informou neste domingo a assessoria de imprensa do parlamentar.

“Na cidade de Cúcuta o deputado Freddy Superlano e seu primo Carlos Salinas sofreram um envenenamento e Carlos faleceu. O deputado está estável, oremos todos por sua rápida recuperação”, diz uma mensagem postada no Twitter do legislador que foi difundida por sua assessoria de imprensa, que não acrescentou mais informações.

Por sua vez, o partido Vontade Popular (VP), do qual Superlano faz parte, disse através da mesma rede social que o parlamentar “foi vítima de um ataque com burundanga” — uma substância também conhecida como escopolamina — e que Salinas, que também militava no partido, “não resistiu” e “morreu por intoxicação”.

O parlamentar conduz várias investigações de corrupção na Venezuela relacionadas a temas como os pagamentos de propina da empreiteira brasileira Odebrecht, o desvio de divisas e o programa de alimentos subsidiados do governo Maduro.

Em novembro do ano passado, o parlamentar disse à Efe que o prejuízo que o país sofreu através do controle do câmbio supera os US$ 400 bilhões, um número quase 46 vezes superior às reservas internacionais atuais da Venezuela.

Primeiro ‘gênero neutro’ dos EUA volta a ser homem: “A ideologia de gênero é uma fraude”

A primeira pessoa a ser legalmente reconhecida como gênero não-binário nos Estados Unidos voltou a ser do sexo masculino. Jamie Shupe conquistou em 2016 o direito de ser parte do “terceiro gênero”, que não se identifica como homem nem mulher.

Em um anúncio feito em seu blog, no entanto, Shupe falou sobre seu arrependimento. “A ideologia de gênero é uma fraude perpetrada pela psiquiatria, algo que os EUA e outras nações não experimentaram desde a era da lobotomia. Como resultado, voltei ao meu sexo de nascimento masculino”, afirmou.

Junto com a declaração, Shupe publicou uma foto de sua nova carteira de motorista mostrando seu gênero como masculino.

Em 2016, a juíza Amy Holmes Hehn, do condado de Multnomah, em Oregon, concedeu sua petição para ser reconhecido como não-binário e assumir o pronome “they”, que na língua inglesa é neutro e não identifica o gênero.

Mas com o passar dos anos, Shupe entrou em conflito com sua verdadeira identidade. “Minha mudança histórica de mudança de sexo para não-binário foi uma fraude baseada na pseudociência da ideologia de gênero. Eu sou e sempre fui homem”, destacou.

“No meu casamento de mais de trinta anos, sou o marido. Para minha filha, eu sou o pai dela. Não me identifico mais como uma pessoa transgênero ou não-binária e renuncio a todos os vínculos com o transgenerismo”, acrescentou, se referindo a sua esposa, Sandy Shupe.

Ele ainda deixou claro que não fará parte do movimento que promove “ideologias de gênero prejudiciais que estão arruinando vidas, causando mortes e contribuindo para a esterilização e mutilação de crianças confusas por causa do gênero”.

Shupe também expressou apoio à atuação do presidente dos EUA, Donald Trump, em relação às questões de gênero. Em janeiro, entrou em vigor a lei que proíbe pessoas transgênero a trabalhar no Exército americano.

Trump ainda afirmou, em outubro de 2018, que pretende restringir a definição de gênero para uma condição biológica e imutável determinada pelos genitais no nascimento.

Shupe disse que, nos próximos dias, irá tomar novas medidas formais para restaurar seu sexo de nascimento para masculino.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Emocionante: esposa canta para o marido sua música favorita antes de ele morrer; vídeo

Uma mulher realizou o último desejo de seu esposo cantando a sua música favorita antes de ele morrer. Durante a música, a jovem permaneceu forte para tranquilizá-lo. Tudo foi gravado e divulgado nas redes sociais e logo se tornou viral em todo o mundo.

A história de Danielle Gibson e seu marido Tony cruzou fronteiras devido ao tocante episódio que tiveram que viver. O casal construiu uma linda família, composta por quatro filhos, mas sua felicidade foi frustrada após o aparecimento de uma doença que literalmente derrubou seu marido.

Tony começou a sentir certos esquecimentos e confusões que o impediram de se desenvolver com total independência. Ele se esqueceu que tinha filhos, disse que tinha um cachorro quando não o tinha e se perdeu dirigindo.

A mulher decidiu levar o marido ao Centro Médico da Universidade Vanderbilt, em Nashnille, pensando que era demência. No entanto, o diagnóstico do médico foi muito pior: ele tinha uma doença cerebral rara e degenerativa, conhecida como doença de Creutzfeldt-Jakob.

Com o passar do tempo a doença tomou o corpo de Tony, impossibilitando-o de andar, falar e demonstrar dificuldade em engolir, pois havia sido diagnosticado pelos médicos que ele teria apenas mais um ano de vida.

Por essa razão, Danielle não hesitou por um momento em cumprir o último desejo do marido. Alguns dias antes de sua morte, a mulher cantou sua música favorita para o amor de sua vida, que ele aparentemente sabia reconhecer. Como esperado, esta situação devastou a mulher, mas sempre demonstrou sua força para seus quatro filhos pequenos.

Bombeiros morrem em explosão de padaria em Paris

Uma forte explosão causada por um vazamento de gás destruiu o piso térreo de um prédio comercial, onde funcionava uma padaria, no centro de Paris, neste sábado (12). Segundo informações do jornal “Le Figaro”, duas pessoas morreram e dezenas ficaram feridas com os destroços deixados pela explosão.

De acordo com a promotoria de Paris, entre os mortos, estão dois bombeiros. O órgão informou ainda que dez pessoas ficaram gravemente feridas e 37 ficaram levemente feridas com a explosão.

O ministro do Interior da França, Christophe Castaner, chegou a falar em quatro mortos. Porém, as autoridades afirmaram que duas pessoas morreram em decorrência do vazamento, corrigindo as informações dadas pelo ministro.

“Gostaria de saudar a coragem dos bombeiros que salvaram a vida de seu companheiro, que permaneceu enterrado sob os escombros por duas horas e meia”, disse Christophe Castaner, em uma segunda coletiva de imprensa, de acordo com o “Le Figaro”. “Eles assumiram riscos muito importantes sob a autoridade de seu líder e conseguiram salvar sete vidas”.

Segundo as testemunhas, a força da explosão, na rua Trevise, no distrito de Grands Boulevards, destruiu as fachadas próximas e balançou prédios a centenas de metros de distância.

Mais de 200 bombeiros atuam na operação de resgate e dois helicópteros aterrissaram na vizinha Place de l’Opera para retirar os feridos. “A situação está agora sob controle”, disse o ministro do Interior, Christophe Castaner. Uma testemunha em um hotel próximo do local disse que viu o incêndio surgir no prédio destruído pela explosão.

“Havia vidros quebrados por toda parte, as fachadas das lojas foram destruídas e as janelas se quebraram até o terceiro e quarto andares”, disse David Bangura, de 38 anos. Ele disse que ao se aproximar dos destroços, uma mulher chorava e pedia ajuda no primeiro andar de um prédio: “Ajude-nos, ajude-nos, nós temos um filho”.

A polícia da capital francesa estava em alerta máximo em decorrência do 9º dia consecutivo de protestos dos “coletes amarelos”, manifestantes que protestam contra o aumento no preço do combustível, com diversas partes do centro da cidade bloqueadas pela polícia.

Nos últimos anos, a França sofreu ataques militantes jihadistas em Paris, Nice, Marselha e além. Mas o promotor de Paris, Remi Heitz, descartou essa possibilidade. “Ainda precisamos determinar as circunstâncias e a causa da explosão, mas neste estágio podemos dizer que é claramente um acidente, presumivelmente um vazamento de gás”, afirmou.

* Com informações da Reuters

Mulher em coma há 14 anos dá à luz em clínica dos EUA

Todos os funcionários da clínica de Phoenix, no Arizona, vão agora ser sujeitos a testes de ADN. Diretor executivo apresenta demissão, num caso que está a chocar os EUA

A mulher estava internada e em estado vegetativo há 14 anos, na sequência de um afogamento. Surpreendentemente a 29 de dezembro deu à luz um bebé na clínica Hacienda HealthCare em Phoenix no Arizona.

O caso que está a chocar os EUA já levou o gabinete do governador do estado do Arizona, Doug Ducey a classificar este caso como “profundamente perturbador” e à demissão do diretor executivo da Hacienda, Bill Timmons, esta segunda-feira.

TESTES DE ADN PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS

O chefe de polícia de San Carlos Apache, Alejandro Benally, disse que a polícia de Phoenix “fará tudo o que puder para encontrar o agressor”.

Um porta-voz da clínica confirmou, entretanto que os investigadores já apresentaram um mandado de busca na terça-feira para obter amostras de ADN de todos os funcionários do sexo masculino.

O COMUNICADO DA HACIENDA HEALTHCARE

Em comunicado a instituição de saúde Hacienda HealthCare já veio saudar a recolha de amostras de ADN junto dos seus funcionários:

“Continuaremos a cooperar com a Polícia de Phoenix e com todas as outras agências de investigação para descobrir os factos nesta situação profundamente perturbadora, mas sem precedentes”.

Em comunicado, um membro do conselho de administração, Gary Orman, disse que a instituição “não aceitará nada menos que uma responsabilização total desta situação absolutamente horripilante (..) Faremos tudo ao nosso alcance para garantir a segurança de cada um dos nossos pacientes e dos nossos funcionários”, afirmou Orman.

DESCENDÊNCIA ÍNDIA

As autoridades de San Carlos Apache anunciaram na noite desta terça-feira que a mulher de 29 anos era membro da tribo, cuja reserva fica no sudeste do Arizona, a cerca de 215 quilómetros a leste de Phoenix.

“Em nome da tribo, estou profundamente chocado e horrorizado com a forma como foi tratado um dos nossos membros. Quando você tem um ente querido a receber cuidados paliativos, quando eles são mais vulneráveis e dependentes de outros, você confia nos seus cuidadores. Infelizmente, um dos seus cuidadores não era confiável e aproveitou-se dela. A minha esperança é que a justiça seja feita”, afirmou o presidente tribal Terry Rambler.

Na página da internet que está agora inoperacional a Hacienda HealthCare assume-se como “o principal fornecedor do Arizona de serviços especializados de cuidados de saúde para bebés, crianças, adolescentes e jovens com doenças crónicas e deficiências.

AS ONDAS DE CHOQUE DO CASO QUE ESTÁ A CHOCAR OS EUA

No rescaldo deste caso as autoridades de saúde do Arizona já vieram dizer que medidas de segurança adicionais foram implementadas e incluem mais vigilância no contacto com os pacientes e com as visitas.

HISTÓRICO DE QUEIXAS

Na base de dados online sobre os centros médicos de Los Angeles há várias notificações sobre esta clínica desde 2013, grande parte relativa a condições de segurança e evacuação dos edifícios, mas também sobre questões médicas. A que levanta mais dúvidas diz respeito a comentários inapropriados de um funcionário sobre quatro pacientes. O funcionário terá sido, entretanto, despedido.

CRIME COM CASTIGO

Martin Solomon, um advogado de Phoenix que já representou vítimas de abusos sexuais e negligência, adianta que o próximo passo neste caso poderá passar por pedir todos os registos médicos da alegada vítima e a lista de todos os atuais e anteriores funcionários da clínica e antecedentes criminais na Hacienda HealthCare.

Para o advogado será difícil excluir responsabilidades criminais á clínica:

“Seja alguém de dentro da instituição ou de fora, a clínica tem obrigação de proteger os seus pacientes”

O Conselho de planeamento e desenvolvimento para deficientes do Arizona acaba de criar uma comissão para melhorar o treino dos funcionários de saúde para identificar e denunciar eventuais abusos sexuais.

Para a diretora geral Erica McFadden “ainda há muito que fazer nesta matéria”.

El Pais

Pai manda filho matar mulher para ganhar seu ‘diploma de homem’

Um caso envolvendo algo bizarro está chocando a sociedade norte-americana. Um pai ordenou a seu filho pequeno que matasse uma mulher para ter direito a ‘seu diploma de homem’. As alegadas ordens de Heith Gleason vieram à tona em um depoimento policial alguns dias após o crime.

O corpo de Amy Garcia, 41, foi encontrado no último dia 20 de dezembro no banco de um carro incendiado e cheio de buracos de bala em Walsenburg, no estado do Colorado. Uma testemunha que falou com Gleason antes do assassinato disse à polícia que ele e Garcia estavam discutindo sob o efeito de álcool.

A testemunha disse à polícia que Gleason pegou uma arma e disse “eu vou matá-la”, e então saiu do local. Momentos depois Gleason voltou com seu filho armado e ordenado que o garoto atirasse na mulher. O menino obedeceu ao pai e disparou mais de uma vez contra a vítima.

Após o crime Gleason disse à testemunha que seu filho “ganhou seu diploma de homem”, relatou a testemunha.

(Fonte: The Sun)

Papa Francisco se preocupa que ‘moda’ da homossexualidade invada Igreja

papa Francisco está “preocupado” com o número de sacerdotes e religiosos homossexuais, estimando que a Igreja Católica poderia se ver invadida pela “moda” da homossexualidade, segundo revelou um livro de entrevistas publicado na Itália neste sábado (1).

“A homossexualidade é um assunto muito sério que deve ser discernido adequadamente pelos candidatos” ao sacerdócio e à vida religiosa, declarou o pontífice argentino no livro intitulado “A força de uma vocação”, que será publicado em 10 idiomas.

“Em nossas sociedades, inclusive, parece que a homossexualidade está na moda e esta mentalidade, de certo modo, também afeta a vida da Igreja”, acrescentou. “É algo que me preocupa”.

Após a sua escolha em 2013, o papa Francisco adotou um tom mais acolhedor com os homossexuais, lançando sua agora famosa frase “Quem sou eu para julgar?” e recebendo casais homossexuais. Mas a sua postura sobre a homossexualidade continua sendo a da Igreja.

Um documento oficial de 2005 proíbe o acesso ao sacerdócio de qualquer homem com tendências homossexuais, apesar de muitos bispos optarem por fazer vista grossa, especialmente devido à drástica queda das vocações, em grande parte no mundo ocidental.

Fonte:G1

Quer morar e trabalhar no Canadá? Empresas pagam salários de até R$ 16 mil

Já pensou em morar e trabalhar no Canadá? A Québec International, agência de desenvolvimento econômico da cidade canadense, está recrutando brasileiros com experiência nas áreas de TI, usinagem e saúde. São mais de 200 vagas, e a média dos salários oferecidos varia de 41,2 mil a 65,5 mil dólares canadenses por ano –de R$ 121,1 mil a R$ 192,3 mil por ano, ou de R$ 10,1 mil a R$ 16 mil por mês, na cotação desta segunda-feira (26).

As inscrições podem ser feitas gratuitamente até 6 de janeiro de 2019 no site da agência recrutadora. Os currículos devem ser enviados em francês. As entrevistas serão por videoconferência via Skype, em francês, entre 18 de fevereiro e 1º de março, com os executivos das empresas contratantes.

Se escolhido, o profissional assinará um contrato temporário, com duração de um a três anos, que pode ser renovado de acordo com a necessidade da companhia. Segundo a agência, os gestores darão suporte nos trâmites de imigração junto às autoridades locais e custearão todos os gastos do processo de recrutamento.

Salários e requisitos para as vagas

Para a área de TI, a média salarial das vagas é de 65,5 mil dólares canadenses (R$ 192,3 mil) por ano. As qualificações mais buscadas são: Java, C#, C++, Net, BI, SAP, Microsoft SharePoint, Cobol e visual studio.

O segmento de usinagem tem vagas para montadores, soldadores, mecânicos industriais, eletromecânicos, operadores de máquinas CNC e mecânicos de caminhão. A média dos salários oferecidos é de 43,3 mil dólares canadenses (R$ 127,2 mil) por ano.

Na área de saúde, as oportunidades são para profissionais com experiência em enfermagem. A média salarial anual é de 41,2 mil dólares canadenses (R$ 121,1 mil).

Agência promove palestras para tirar dúvidas

Quem quiser saber mais sobre as oportunidades de trabalho no Canadá pode ir a uma das palestras promovidas pela Québec International nas cidades de São Paulo, Campinas (SP) e Curitiba entre 28 de novembro e 4 de dezembro. A inscrição é grátis e pode ser feita pelo site da agência.

Confira abaixo as datas e locais das palestras:

São Paulo
Local: Aliança Francesa
Data: 28 de novembro, quarta-feira
Horário: 19h
Endereço: rua General Jardim, 182, Vila Buarque
Vagas: 262

Campinas
Local: Fatec Campinas
Data: 29 de novembro, quinta-feira
Horário: 19h
Endereço: av. Cônego Antonio Rocatto, 80, Jardim Mônica
Vagas: 229

Curitiba
Local: Universidade Positivo, Bloco Amarelo, Auditório 2
Data: 3 de dezembro, segunda-feira
Horário: 19h
Endereço: rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300, Campo Comprido
Vagas: 250

Curitiba
Local: Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Mini Auditório
Data: 4 de dezembro, terça-feira
Horário: 19h
Endereço: av. Sete de Setembro, 3.165, Rebouças
Vagas: 149

Marinha da Argentina confirma que achou submarino sumido há 1 ano

O submarino Ara San Juan S-42, desaparecido em novembro de 2017, com 44 tripulantes a bordo, foi localizado neste sábado (17). A informação foi confirmada pela Marinha da Argentina e pelo Ministério da Defesa nas redes sociais.

A embarcação foi encontrada a 800 m de profundidade na Península Valdés, na Patagônia. O local está a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia, onde estava o centro de operações durante a busca.

Na última quinta-feira (15), familiares das pessoas desaparecidas fizeram uma cerimônia marcando um ano do desaparecimento. Todos foram informados sobre a localização do submarino ainda antes do anúncio oficial.

A empresa Ocean infinity, que fazia buscas há meses, encontrou na última sexta-feira (16) um objeto de cerca de 60 metros de comprimento. Com um sonar, detectou-se a “grande probabilidade” de que fosse mesmo o submarino.

Ainda não há informações sobre a retirada da embarcação.

Fonte:R7

Homem descobre traição pelo Google Street View e pede divórcio

Um homem peruano descobriu que estava sendo traído por sua mulher por meio de imagens do Google Street View [serviço de mapas do Google] e pediu divórcio, de acordo com informações do TecMundo.

Segundo a reportagem, ele estava procurando uma rota mais fácil para ir à Ponte dos Suspiros, em Lima, quando reconheceu sua mulher um momento de afeto com outro homem.

O TecMundo contou ainda que as imagens eram de 2013, época em que o casal passava por uma crise e estava vivendo separado, ainda que legalmente casados. A descoberta, entretanto, foi o estopim para o pedido de divórcio.

Fonte:Istoé