Klara Castanho revela que engravidou após estupro e que deu bebê para adoção

Na noite deste sábado (25), a atriz Klara Castanho, da TV Globo, esclareceu uma história que circulou nas redes sociais sobre uma gravidez e doado o bebê para adoção. Em sua conta do Instagram, ela publicou um longo relato detalhando o episódio, onde revela que foi estuprada, mas que teve a criança e que realmente a entregou para a adoção.

O assunto ganhou destaque após a apresentadora Antônia Fontenelle revelar, durante uma live, que uma atriz global de 21 anos havia engravidado e entregue a criança para a adoção. Apesar de não revelar o nome, Fontenelle chegou a dizer que o colunista Leo Dias, do site Metrópoles, havia descoberto a história. De acordo com a apresentadora, Klara Castanho teria pedido ao colunista para não revelar a história, o que foi cumprido. Continue reading Klara Castanho revela que engravidou após estupro e que deu bebê para adoção

COSIP 2022: Prefeitura de Codó já arrecadou R$ R$ 1.686.278,33 da iluminação puinlica de janeiro a maio de 2022

No quinto mês do ano, a Prefeitura de Codó arrecadou R$ 290.352,42 por meio da Contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública (COSIP), mais conhecida como “taxa de iluminação pública”. O repasse da receita ocorreu em 12 de maio de 2022.

Com o resultado de maio, a arrecadação da COSIP totaliza R$ 1.686.278,33 no ano de 2022.

Paga mensalmente no talão da energia elétrica, o valor arrecadado é repassado pela concessionária, de forma integral, para a Prefeitura.

A contribuição serve como custeio para a instalação, manutenção, melhoramento e expansão da rede de iluminação pública, entre outras atividades associadas, sendo vedado o uso para outras finalidades (pagar talão de energia dos prédios públicos, pavimentação e manutenção de vias, reforma de escolas, aquisição de cestas básicas, folha de pagamento, quitação de dívidas, etc…).

FONTE: Diário Codoense

Leitura de hoje será 1 Samuel 13 e 14

1 Samuel 13

1 Saul reinou um ano; e no segundo ano do seu reinado sobre Israel,

2 Saul escolheu para si três mil homens de Israel; e estavam com Saul dois mil em Micmás e na montanha de Betel, e mil estavam com Jônatas em Gibeá de Benjamim; e o resto do povo despediu, cada um para sua casa.

3 E Jônatas feriu a guarnição dos filisteus, que estava em Gibeá, o que os filisteus ouviram; pelo que Saul tocou a trombeta por toda a terra, dizendo: Ouçam os hebreus.

4 Então todo o Israel ouviu dizer: Saul feriu a guarnição dos filisteus, e também Israel se fez abominável aos filisteus. Então o povo foi convocado para junto de Saul em Gilgal.

5 E os filisteus se ajuntaram para pelejar contra Israel, trinta mil carros, e seis mil cavaleiros, e povo em multidão como a areia que está à beira do mar; e subiram, e se acamparam em Micmás, ao oriente de Bete-Áven.

6 Vendo, pois, os homens de Israel que estavam em apuros (porque o povo estava angustiado), o povo se escondeu pelas cavernas, e pelos espinhais, e pelos penhascos, e pelas fortificações, e pelas covas.

7 E alguns dos hebreus passaram o Jordão para a terra de Gade e Gileade; e, estando Saul ainda em Gilgal, todo o povo ia atrás dele tremendo.

8 E esperou Saul sete dias, até ao tempo que Samuel determinara; não vindo, porém, Samuel a Gilgal, o povo se dispersava dele.

9 Então disse Saul: Trazei-me aqui um holocausto, e ofertas pacíficas. E ofereceu o holocausto.

10 E sucedeu que, acabando ele de oferecer o holocausto, eis que Samuel chegou; e Saul lhe saiu ao encontro, para o saudar.

11 Então disse Samuel: Que fizeste? Disse Saul: Porquanto via que o povo se espalhava de mim, e tu não vinhas nos dias aprazados, e os filisteus já se tinham ajuntado em Micmás,

12 Eu disse: Agora descerão os filisteus sobre mim a Gilgal, e ainda à face do Senhor não orei; e constrangi-me, e ofereci holocausto.

13 Então disse Samuel a Saul: Procedeste nesciamente, e não guardaste o mandamento que o Senhor teu Deus te ordenou; porque agora o Senhor teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre;

14 Porém agora não subsistirá o teu reino; já tem buscado o Senhor para si um homem segundo o seu coração, e já lhe tem ordenado o Senhor, que seja capitão sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o Senhor te ordenou.

15 Então se levantou Samuel, e subiu de Gilgal a Gibeá de Benjamim; e Saul contou o povo que se achava com ele, uns seiscentos homens.

16 E Saul e Jônatas, seu filho, e o povo que se achou com eles, ficaram em Gibeá de Benjamim; porém os filisteus se acamparam em Micmás.

17 E os saqueadores saíram do campo dos filisteus em três companhias; uma das companhias foi pelo caminho de Ofra à terra de Sual.

18 Outra companhia seguiu pelo caminho de Bete-Horom, e a outra companhia foi pelo caminho do termo que dá para o vale Zeboim na direção do deserto.

19 E em toda a terra de Israel nem um ferreiro se achava, porque os filisteus tinham dito: Para que os hebreus não façam espada nem lança.

20 Por isso todo o Israel tinha que descer aos filisteus para amolar cada um a sua relha, e a sua enxada, e o seu machado, e o seu sacho.

21 Tinham porém limas para os seus sachos, e para as suas enxadas, e para as forquilhas de três dentes, e para os machados, e para consertar as aguilhadas.

22 E sucedeu que, no dia da peleja, não se achou nem espada nem lança na mão de todo o povo que estava com Saul e com Jônatas; porém acharam-se com Saul e com Jônatas seu filho.

23 E saiu a guarnição dos filisteus ao desfiladeiro de Micmás.

1 Samuel 14

1 Sucedeu, pois, que um dia disse Jônatas, filho de Saul, ao moço que lhe levava as armas: Vem, passemos à guarnição dos filisteus, que está lá daquele lado. Porém não o fez saber a seu pai.

2 E estava Saul à extremidade de Gibeá, debaixo da romeira que havia em Migrom; e o povo que estava com ele era uns seiscentos homens.

3 E Aías, filho de Aitube, irmão de Icabode, o filho de Finéias, filho de Eli, sacerdote do Senhor em Siló, trazia o éfode; porém o povo não sabia que Jônatas tinha ido.

4 E entre os desfiladeiros pelos quais Jônatas procurava passar à guarnição dos filisteus, deste lado havia uma penha aguda, e do outro lado uma penha aguda; e era o nome de uma Bozez, e o nome da outra Sené.

5 Uma penha para o norte estava defronte de Micmás, e a outra para o sul, defronte de Gibeá.

6 Disse, pois, Jônatas ao moço que lhe levava as armas: Vem, passemos à guarnição destes incircuncisos; porventura operará o Senhor por nós, porque para com o Senhor nenhum impedimento há de livrar com muitos ou com poucos.

7 Então o seu pajem de armas lhe disse: Faze tudo o que tens no coração; segue, eis-me aqui contigo, conforme o que quiseres.

8 Disse, pois, Jônatas: Eis que passaremos àqueles homens, e nos revelaremos a eles.

9 Se nos disserem assim: Parai até que cheguemos a vós; então ficaremos no nosso lugar, e não subiremos a eles.

10 Porém, se disserem: Subi a nós; então subiremos, pois o Senhor os tem entregado nas nossas mãos, e isto nos será por sinal.

11 Revelando-se eles à guarnição dos filisteus, disseram os filisteus: Eis que já os hebreus saíram das cavernas em que se tinham escondido.

12 E os homens da guarnição responderam a Jônatas e ao seu pajem de armas, e disseram: Subi a nós, e nós vos ensinaremos uma lição. E disse Jônatas ao seu pajem de armas: Sobe atrás de mim, porque o Senhor os tem entregado na mão de Israel.

13 Então subiu Jônatas com os pés e com as mãos, e o seu pajem de armas atrás dele; e os filisteus caíam diante de Jônatas, e o seu pajem de armas os matava atrás dele.

14 E sucedeu esta primeira derrota, em que Jônatas e o seu pajem de armas feriram uns vinte homens, em cerca de meia jeira de terra que uma junta de bois podia lavrar.

15 E houve tremor no arraial, no campo e em todo o povo; também a mesma guarnição e os saqueadores tremeram, até a terra se estremeceu porquanto era tremor de Deus.

16 Olharam, pois, as sentinelas de Saul em Gibeá de Benjamim, e eis que a multidão se dissolvia, e fugia para cá e para lá.

17 Disse então Saul ao povo que estava com ele: Ora contai, e vede quem é que saiu dentre nós. E contaram, e eis que nem Jônatas nem o seu pajem de armas estavam ali.

18 Então Saul disse a Aías: Traze aqui a arca de Deus (porque naquele dia estava a arca de Deus com os filhos de Israel).

19 E sucedeu que, estando Saul ainda falando com o sacerdote, o alvoroço que havia no arraial dos filisteus ia crescendo muito, e se multiplicava, pelo que disse Saul ao sacerdote: Retira a tua mão.

20 Então Saul e todo o povo que havia com ele se reuniram, e foram à peleja; e eis que a espada de um era contra o outro, e houve mui grande tumulto.

21 Também com os filisteus havia hebreus, como dantes, que subiram com eles ao arraial em redor; e também estes se ajuntaram com os israelitas que estavam com Saul e Jônatas.

22 Ouvindo, pois, todos os homens de Israel que se esconderam pela montanha de Efraim que os filisteus fugiam, eles também os perseguiram de perto na peleja.

23 Assim livrou o Senhor a Israel naquele dia; e o arraial passou a Bete-Áven.

24 E estavam os homens de Israel já exaustos naquele dia, porquanto Saul conjurou o povo, dizendo: Maldito o homem que comer pão até à tarde, antes que me vingue de meus inimigos. Por isso todo o povo se absteve de provar pão.

25 E todo o povo chegou a um bosque; e havia mel na superfície do campo.

26 E, chegando o povo ao bosque, eis que havia um manancial de mel; porém ninguém chegou a mão à boca, porque o povo temia a conjuração.

27 Porém Jônatas não tinha ouvido quando seu pai conjurara o povo, e estendeu a ponta da vara que tinha na mão, e a molhou no favo de mel; e, tornando a mão à boca, aclararam-se os seus olhos.

28 Então respondeu um do povo, e disse: Solenemente conjurou teu pai o povo, dizendo: Maldito o homem que comer hoje pão. Por isso o povo desfalecia.

29 Então disse Jônatas: Meu pai tem turbado a terra; ora vede como se me aclararam os olhos por ter provado um pouco deste mel,

30 Quanto mais se o povo hoje livremente tivesse comido do despojo que achou de seus inimigos. Porém agora não foi tão grande o estrago dos filisteus.

31 Feriram, porém, aquele dia aos filisteus, desde Micmás até Aijalom, e o povo desfaleceu em extremo.

32 Então o povo se lançou ao despojo, e tomaram ovelhas, e vacas, e bezerros, e os degolaram no chão; e o povo os comeu com sangue.

33 E o anunciaram a Saul, dizendo: Eis que o povo peca contra o Senhor, comendo com sangue. E disse: Aleivosamente procedestes; trazei-me aqui já uma grande pedra.

34 Disse mais Saul: Dispersai-vos entre o povo, e dizei-lhes: Trazei-me cada um o seu boi, e cada um a sua ovelha, e degolai-os aqui, e comei, e não pequeis contra o Senhor, comendo com sangue. Então todo o povo trouxe de noite, cada um pela sua mão, o seu boi, e os degolaram ali.

35 Então edificou Saul um altar ao Senhor; este foi o primeiro altar que edificou ao Senhor.

36 Depois disse Saul: Desçamos de noite atrás dos filisteus, e despojemo-los, até que amanheça o dia, e não deixemos deles um só homem. E disseram: Tudo o que parecer bem aos teus olhos faze. Disse, porém, o sacerdote: Cheguemo-nos aqui a Deus.

37 Então consultou Saul a Deus, dizendo: Descerei atrás dos filisteus? Entregá-los-ás na mão de Israel? Porém aquele dia não lhe respondeu.

38 Então disse Saul: Chegai-vos para cá, todos os chefes do povo, e informai-vos, e vede em que se cometeu hoje este pecado.

39 Porque vive o Senhor que salva a Israel, que, ainda que seja em meu filho Jônatas, certamente morrerá. E nenhum de todo o povo lhe respondeu.

40 Disse mais a todo o Israel: Vós estareis de um lado, e eu e meu filho Jônatas estaremos do outro lado. Então disse o povo a Saul: Faze o que parecer bem aos teus olhos.

41 Falou, pois, Saul ao Senhor Deus de Israel: Mostra o inocente. Então Jônatas e Saul foram tomados por sorte, e o povo saiu livre.

42 Então disse Saul: Lançai a sorte entre mim e Jônatas, meu filho. E foi tomado Jônatas.

43 Disse então Saul a Jônatas: Declara-me o que tens feito. E Jônatas lho declarou, e disse: Tão-somente provei um pouco de mel com a ponta da vara que tinha na mão; eis que devo morrer?

44 Então disse Saul: Assim me faça Deus, e outro tanto, que com certeza morrerás, Jônatas.

45 Porém o povo disse a Saul: Morrerá Jônatas, que efetuou tão grande salvação em Israel? Nunca tal suceda; vive o Senhor, que não lhe há de cair no chão um só cabelo da sua cabeça! pois com Deus fez isso hoje. Assim o povo livrou a Jônatas, para que não morresse.

46 E Saul deixou de seguir os filisteus; e os filisteus se foram ao seu lugar.

47 Então tomou Saul o reino sobre Israel; e pelejou contra todos os seus inimigos em redor; contra Moabe, e contra os filhos de Amom, e contra Edom, e contra os reis de Zobá, e contra os filisteus, e para onde quer que se tornava executava castigo.

48 E houve-se valorosamente, e feriu aos amalequitas, e liberou a Israel da mão dos que o saqueavam.

49 E os filhos de Saul eram Jônatas, e Isvi, e Malquisua; e os nomes de suas duas filhas eram estes: o da mais velha Merabe, e o da mais nova, Mical.

50 E o nome da mulher de Saul, Ainoã, filha de Aimaás; e o nome do capitão do exército, Abner, filho de Ner, tio de Saul.

51 E Quis, pai de Saul, e Ner, pai de Abner, eram filhos de Abiel.

52 E houve uma forte guerra contra os filisteus, todos os dias de Saul; por isso Saul a todos os homens valentes e valorosos que via, os agregava a si.

POLÍCIA CIVIL DEFLAGRA OPERAÇÃO NA CIDADES DE CHAPADINHA E PRENDE CHEFE DE ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA QUE SE ENCONTRA EM LISTA DOS CRIMINOSOS MAIS PROCURADOS DO ESTADO DO CEARÁ

A Polícia Civil do Estado do Maranhão, nesta sexta-feira (24), realizou o cumprimento de 03 (três) mandados de prisão expedidos pelo Poder Judiciário do Estado do Ceará, todos pelo crime de homicídio qualificado, em desfavor de Alexandre Ximenes de Carvalho, conhecido como “Jacaré ou Pica-Pau”. Além disso, deu cumprimento a um mandado de busca e apreensão expedido pela comarca de Chapadinha/MA na residência dessa pessoa.

As diligências para localizar o procurado da justiça foram realizadas pela Delegacia de Polícia Civil de Chapadinha, com o apoio de equipes do CIPC e foram iniciadas a partir de informações advindas do BEPI da PM CE, SSPDS CE e Força Tarefa SUSP CE, noticiando que um dos indivíduos mais procurados do Estado do Ceará, autor de vários homicídios, envolvimento com tráfico de drogas e organização criminosa estava homiziado no município de Chapadinha.

Imediatamente, policiais civis da Delegacia Regional de Chapadinha, com policiais da SPCI e CIPC, realizaram diligências com o intuito de localizar o local onde o foragido da justiça havia fixado residência.

Após dois meses de investigações, os policiais identificaram o local onde ele havia fixado residência no município de Chapadinha/MA. Dessa forma a operação foi montada para cumprir a prisão desse homem.

No decorrer da operação, além do cumprimento dos 03 (três) Mandados de prisão, e busca e apreensão, foram apreendidos: 01 (um) colete balístico; 01 (uma) espingarda Rossi de ar comprimido; 02 (dois) cadernos com anotações de contabilidade da venda de drogas; 01 (uma) mira telescópica Rossi; 01 (uma) faca tática; 01 (uma) balança de precisão; 01 (um) rádio comunicador; 01 (um) porta carregador de arma de fogo; 03 (três) carregadores alongados calibre 9mm; 01 (um) coldre velado; 02 (duas) pistolas, uma Taurus e outra Canik; 09 (nove) carregadores de pistola 9mm; 02 (duas) granadas; 02 (dois) veículos, sendo uma picape Hilux e um Jeep Compass; 257 (duzentos e cinquenta e sete) munições calibre 9 mm e outros objetos.

A Operação contou com a participação de aproximadamente 32 (trinta e dois) policiais civis, lotados na Delegacia Regional de Chapadinha, na Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI), do Grupo de Pronto Emprego (GPE) de Timon, Caxias e Codó, na Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (SENARC), Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), além de 02 (dois) cães farejadores do NOC.

Após as formalizações das prisões, o preso foi encaminhado ao sistema prisional onde ficará à disposição da justiça.

ASCOM

UEMA divulga o resultado do PAES 2022

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), por meio da Superintendência de Concursos e Seletivos (SUCONS), divulgou, na sexta-feira (24), o resultado final do Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior – PAES 2022. Confira a lista dos aprovados em: https://www.paes.uema.br/.

Neste vestibular, 85,82% das vagas foram preenchidas. Vale destacar que 76,87% das vagas do PAES 2022 foram preenchidas por candidatos oriundos de escola pública.

O PAES 2022 teve 40.240 candidatos inscritos que concorreram a vagas para cursos de graduação, na modalidade presencial. Mais de 70% desse quantitativo compareceu aos locais de prova, sendo 11.955 faltosos. O certame foi aplicado em etapa única.

As provas ocorreram em 20 cidades onde têm campi da UEMA e nas 3 cidades onde têm UEMASUL.

O seletivo ofereceu 3.370 vagas para UEMA e 905 para UEMASUL.

Os cursos mais concorridos neste vestibular foram: Curso de Formação de Oficiais Polícia Militar – Feminino, com 180,57 candidatas por vaga; e o Curso de Medicina – Campus Caxias, com 150,55 candidatos por vaga.

A matrícula de calouros do segundo semestre de 2022 acontecerá no período de 11 a 15 de julho. O início do período letivo 2022.2 está marcado para 22 de agosto. O edital de matrícula será divulgado em breve pela Pró-Reitoria de Graduação (PROG/UEMA).

 

MARANHÃO: Mesmo com queda em 20 anos, taxa de mortalidade infantil no estado ainda é a maior do que média brasileira

Apesar de registrar queda em 20 anos, a taxa de mortalidade infantil no Maranhão é maior do que a média brasileira: 16,3 óbitos por mil nascidos vivos. A média nacional é de 13,3 mortes por mil nascidos vivos, segundo os dados mais recentes mensurados pelo Ministério da Saúde. Se por um lado a melhora no índice entre 2000 e 2019 é atribuída pelas autoridades públicas ao aprimoramento dos serviços de Atenção Primária à Saúde, como pré-natal e acompanhamento da criança no primeiro ano de vida, por outro o número de médicos especialistas precisa aumentar para atender a demanda da população do estado.

Dos 5.699 pediatras distribuídos pelo país que realizam o primeiro atendimento de atenção em saúde, considerado a principal porta de entrada do SUS, apenas 26 prestam assistência aos pequenos maranhenses. Em São Paulo, por exemplo, são mais de 1,8 mil médicos na Atenção Primária à Saúde para dar suporte pediátrico. Os dados do Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde indicam outro problema: a distribuição desses profissionais está concentrada nas regiões Sul e Sudeste. Continue reading MARANHÃO: Mesmo com queda em 20 anos, taxa de mortalidade infantil no estado ainda é a maior do que média brasileira

BNDES amplia investimento em saúde no Norte e Nordeste

O  BNDES vai ampliar sua atuação no setor de saúde. Na pandemia, o banco já havia lançado, em conjunto com a iniciativa privada, o matchfunding Salvando Vidas, no qual cada R$ 1 doado por empresas tem como contrapartida R$ 1 do banco. O objetivo era levantar recursos para a linha de frente do combate à Covid-19. Foram levantados, no total, R$ 150 milhões com a adesão de 70 companhias ao projeto.

Desta vez, o foco é a assistência à saúde básica nas regiões Norte e Nordeste, áreas onde o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem fraco desempenho eleitoral . O banco vai lançar nos próximos dias o edital para a contratação de um gestor para o matchfunding, batizado de Juntos pela Saúde. Ele deve movimentar até R$ 200 milhões, dos quais R$ 100 milhões viriam do banco e o restante do setor privado.

A Vale tem a intenção de participar com até R$ 35 milhões, outra empresa vai doar R$ 9 milhões. Há ainda duas interessadas, com valor a definir, sendo que uma delas é a Bayer.

Segundo Bruno Aranha, diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, o banco intensificou sua atuação no setor durante a pandemia e agora dá um novo passo:

“Traçamos três prioridades: aumentar o acesso nos vazios assistenciais, pois o acesso à saúde no Brasil não é uniforme, melhorar a qualidade do serviço, fortalecendo instituições que dão acesso público, e fortalecer a indústria de equipamentos.”

A escolha pelo foco regional não é à toa. A proporção de médicos para cada mil habitantes no país é de 2,2. Na Amazônia Legal, ela cai para 1,1. A distância média que o brasileiro percorre para contar com serviços de hemodiálise, por exemplo, é de 43 quilômetros. Na região, ela sobe para 134 quilômetros.

O diretor cita ainda indicadores como esperança de vida menor, mortalidade infantil e doenças ligadas à falta de saneamento. Ele destaca que há falta de geladeiras, de internet e de profissionais nas unidades. E que muitos pacientes viajam centenas de quilômetros para realizar exames como mamografia ou ultrassonografia.

Hospitais no interior

Os beneficiados serão unidades públicas de saúde e entidades filantrópicas. A ideia é equipar unidades fixas ou móveis e oferecer serviços de telemedicina. Diante do desafio logístico, a avaliação é que, em algumas localidades, faz sentido contar com unidade fluvial.

Para garantir infraestrutura a estas soluções, o banco tem conversado com empresas de energia e telecomunicações. Elas poderiam atuar como doadoras de serviços. O prazo para contratação do gestor do projeto é de até três meses.

Em outra iniciativa, o banco vai reduzir o limite de crédito para operações diretas de R$ 40 milhões para R$ 20 milhões para financiar a compra de equipamentos. O financiamento abrange não só hospitais filantrópicos como privados, que oferecem parcela de seu atendimento ao SUS.

O limite menor de crédito daria fôlego para que as instituições no interior possam investir em equipamentos.

Para Antônio Britto, diretor-executivo da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), o setor de saúde vive um ciclo vicioso e não sustentável, em constante operação “tapa buraco”, contraindo uma dívida para pagar outra:

“Para tornar pequenos hospitais sustentáveis, o primeiro ponto é revisar o financiamento do SUS, do qual a maior parte depende, pois a remuneração não paga os custos. O segundo é pensar regionalmente, redefinir a vocação dos hospitais fora dos grandes centros urbanos e modernizar a gestão, atuando em consórcio, por exemplo, para compras”, disse.

E acrescenta:

“Temos no Brasil mais de mil hospitais extremamente fragilizados e cem a 250 hospitais de ponta, de referência. Se cada um destes hospitais adotasse sete, oito pequenos poderia oferecer um sistema de tutoria estratégica, um salto na gestão e formação de pessoas.”

O banco também aposta na formatação de parcerias público-privadas (PPPs) no setor de saúde. Em Belo Horizonte, foi feito financiamento de R$ 290 milhões que abrange R$ 180 milhões para a concessionária reformar e administrar 40 unidades básicas de saúde.

Outros R$ 60 milhões foram repassados ao município para fazer aporte na PPP. E mais R$ 50 milhões destinados à digitalização e integração de 342 unidades. Aranha ressalta que a digitalização é fator essencial para a gestão das unidades.

O economista Marcelo Neri, diretor da FGV Social, afirma que o processo de digitalização é importante, pois barateia o acesso:

“O trabalho de inclusão digital potencializaria políticas públicas. Há 30 anos vivemos uma revolução com a criação do SUS, uma nova revolução está em curso, por conta da pandemia. Nessa nova agenda, a parceria entre o SUS e a iniciativa privada é fundamental, mas não é simples.”

Sede por sangue de inocentes: o absurdo caso do aborto em menina de 11 anos

O Brasil mais uma vez se chocou com o caso de uma menina de 11 anos, portanto uma criança, grávida após uma relação sexual supostamente com outra, um menino de 13 anos, com quem mantivera relações dentro da própria casa. Como se já não bastasse a situação trágica por si, outra surgiu em decorrência do caso: a morte de um inocente!

É difícil nos posicionar em casos como esse, pois a comoção popular e a complexidade da situação desperta muitos sentimentos e percepções distintas. Contudo, como cristãos e conservadores, não podemos deixar de falar em defesa das vítimas, o que também inclui o bebê gerado pelo ato sexual.

Neste episódio, me chamou atenção o quanto a imprensa, em sua maioria, fez apologia pelo aborto do bebê, retratando o caso em tom de indignação e repúdio contra a juíza Joana Ribeiro Zimmer, que inicialmente agiu para proteger não só a menina de 11 anos, como também o nascituro já em estado avançado de gestação, com 29 semanas.

A estratégia inicial, aparentemente, foi esconder o fato de que os envolvidos na relação são duas crianças. Tudo mudou quando a imprensa alternativa passou a divulgar essa notícia. Após a repercussão, O Globo revelou que a menina e o menino teriam relatado à Polícia que mantinham um relacionamento.

Ora, a menina e o menino não têm maturidade para namorar, muito menos ter relações sexuais. O fato aqui, portanto, vai muito além de caracterizar o acontecimento como estupro ou não, pois estamos diante de uma situação trágica que, em última instância, envolve duas crianças num ato sexual, o que já é escandaloso por natureza.

Mídia abortista

Sedentos por sangue de inocente, os defensores do aborto parecem ter tentado esconder a idade do suposto agressor, pois isso dá outra conotação para o caso. Podemos cogitar, por exemplo, que dois vulneráveis tiveram uma relação indevida, onde a geração de outra vida se tornou mais uma parte agravante do problema.

No meio disso tudo, quantos pensaram na proteção do mais vulnerável na história, o bebê no útero da menina de 11 anos? Se todos os envolvidos são crianças, a vida gerada no ventre materno não seria a mais inocente e vulnerável de todas, digna de proteção, assim como a da mãe?

O aborto é tão traumático e arriscado quanto uma gestação e parto precoces. Mas, a sanha pela morte de uma vida pareceu alimentar tanto as redações jornalísticas, e o ativismo abortista, que o bom senso e respeito pela vida foram ignorados. Resultado: derramaram o sangue deu um bebê no altar do feminismo!

Todo ato de violência deve ser repudiado, especialmente contra crianças vulneráveis, mas não podemos admitir que bebês resultantes de um estupro, ou ato sexual qualquer, sejam tratados como se fossem um mal a ser descartado, porque não são.

Infelizmente, porém, a sede pelo sangue dos inocentes parece ditar a conduta e o pensamento de quem não tem temor a Deus. Se alguns pudessem, acredito, teriam soltado fogos após a notícia de que a menina de 11 anos abortou o seu bebê. Celebração da morte travestida de “justiça social”.

Que Deus, por fim, traga luz, misericórdia, consolo e salvação sobre todos os envolvidos em mais este caso triste para o Brasil. Torço para que as crianças sejam devidamente tratadas, acolhidas e cuidadas, e que os responsáveis por induzir a morte de uma vida inocente encontrem a devida justiça divina.

Marisa Lobo é psicóloga, especialista em Direitos Humanos, presidente do movimento Pró-Mulher e autora dos livros “Por que as pessoas Mentem?”, “A Ideologia de Gênero na Educação” e “Famílias em Perigo”.

Portal Guia-me

Desemprego chega a 9,4% em abril, menor patamar desde outubro de 2015

Um estudo divulgado nesta sexta-feira, 24, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que, em abril, o número de desempregados no Brasil chegou a 9,4% da população ativa, o que representa o menor patamar desde outubro de 2015. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o recuo da desocupação foi de 4,9 pontos porcentuais.

Em números absolutos, de acordo com o Ipea, a população ocupada no mês de abril chegou a 97,8 milhões de trabalhadores. “Esse é o maior patamar apurado desde o início da Pnad Contínua, em 2012. Na comparação com o mesmo período de 2021, a população ocupada registrou alta de 10,8%, enquanto na série livre de sazonalidade o montante foi 2,1% maior que o registrado em março”, diz trecho de nota publicada pelo instituto.

O estudo divulgado mostra ainda que, apesar dos dados animadores, o Brasil tem desafios a serem superados. Em abril, havia 11 milhões de desempregados no país.

Esse levantamento diz ainda que o número de trabalhadores com carteira assinada subiu 11,6%, enquanto ocupados sem carteira cresceram 20,8%. “A análise dos dados mostra que a expansão da ocupação tem ocorrido de forma generalizada e envolvido todas as regiões, todos os segmentos etários e educacionais, atingindo todos os setores da economia”, afirma outro trecho da nota.

Centro-Oeste e Sudeste puxam alta

A pesquisa do Ipea, num recorte regional, mostra que o recuo do desemprego foi maior nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, cujas taxas caíram 4,3 e 4,2 pontos porcentuais respectivamente, entre os primeiros trimestres de 2021 e 2022. “As taxas de desemprego passaram de 12,8% para 8,5% no Centro-oeste e de 15,3% para 11,1% no Sudeste.” Em termos absolutos, a menor taxa de desocupação está no Sul (6,5%). A maior, no Nordeste (14,9%).